domingo, 17 de novembro de 2019

São das Pequenas Coisas Que Se Constrói Uma Vida.


"Título sugestivo. Mas pela experiência que as minha leituras
de G.G. Marquez, já me conferiram,
 este será 'mais' um bom e delirante livro

de pequenas situações, porque afinal,
são das pequenas coisas

que se faz uma vida."




Escreveu esta dedicatória num livro do autor referido acima, e me foi oferecido num Natal já distante, o meu filho, então estudante universitário na Universidade do Minho.

Foi sendo a sua vida construída aos poucos, feita de pequenos/grandes sucessos e algumas frustrações, mas, mercê da sua força de vontade, persistência e determinação - a tal resiliência, hoje tão em voga - conseguiu alcançar  os seus objectivos pessoais e profissionais. Não foi fácil, sofreu reveses, mas a luta tornou-o mais forte.

Quando eu, hoje, ao tentar colocar alguma ordem na desordem em que convivem livros já lidos e relidos, com outros meio-lidos ou ainda por ler, encontrei esta preciosidade, já de folhas amarelecidas pelo tempo. 
Comovi-me com a lembrança desse Natal distante, em que as esperanças dos meus filhos em alcançar os seus objectivos, eram as minhas esperanças, e a sua luta era a minha luta.

Comovi-me também com a desventura da pobre e jovem Cândida Erêndira - que continuou a correr, com o colete de ouro, mais além dos ventos áridos do deserto e dos entardeceres de nunca acabar. Jamais se voltou a ter a menor notícia dela nem se encontrou o vestígio mais ínfimo da sua desgraça. 

Tampouco por aqui se encontrará. Talvez, um dia, quando os meus descendentes forem remexer nas caixas empoeiradas, cheias de velhos livros, no sótão, encontrem, feita em pó, cinza e nada, a Velha e Desalmada Avó, que deu origem à Incrível e Triste História
escrita pelo autor de «Cem Anos de Solidão.».




sábado, 16 de novembro de 2019

Abençoada Insanidade.


Minha Foto



"Rosa Esquerda"



Rosa Esquerda, plantei eu num antigo poema virgem,
e logo ma roubaram,
logo me perderam o pequeno achado,
mas ninguém me rouba a alma,
roubam-me um erro apenas que acertava só comigo,
um umbigo, um nó,
um nome que só em mim era floral e único.

Herberto Helder, “in" Servidões

[ Assírio & Alvim – 2013]

---------------------------------------------------------------------


Também Eu

Também eu quisera ser poeta, artista, 
pintora
quisera ser escriba, culta,
doutora
apenas para  saber retribuir,
 na justa medida,
o carinho recebido.

A beleza dos escritos sentidos e com sentido.

Nada disso sei ou sou,
mas sinto e disso não abro mão:
Sinto-me grata à Flor simples,
de enorme coração
de insana inspiração
me proporcionou momentos de riso,
de pasmo e enlevo,
 outros, de profunda emoção.

Obrigada, Flor.
:)

Foto Minha



Postal dedicado à autora do blogue:  "A Faca Não Corta o Fogo"

==============================================

sexta-feira, 15 de novembro de 2019

Porque Hoje É Sexta-Feira. # 78


Se  Resulta, Não É Caro!



Um médico urologista atende o próprio avô no consultório:
- Como está indo a vida, meu neto?
- Está tudo bem, avô. E o senhor? Como vai a avó?
- Vai indo, vai indo. Filho quer dizer, neto, eu vim aqui falar contigo porque quero saber tudo sobre esse tal de Viagra!
- Ah, avô... O Viagra é um remédio bom, mas é muito caro.
- Quanto custa?
- São sessenta euros cada comprimido, avô!
- Tens razão. É caro.
- Não disse?
- Mas mesmo assim eu quero experimentar! Se não te importares pago amanhã, sem falta!
Assim o neto entrega o comprimido para o avô, que sai de lá todo contente.
No dia seguinte ele está de volta ao consultório com quinhentos e sessenta euros!
-  Avô, o senhor entendeu mal... Eu disse que o comprimido era sessenta e não quinhentos e sessenta.

- Eu sei. Os sessenta euros são meus. Os outros quinhentos foi a tua avó que mandou!

Diz-se que o velhote ficou viciado e tarado.


----------------------------------------------------

Sinalização Enganadora!

Um polícia estava na estrada a controlar a velocidade do trânsito, quando avista um carro a circular em baixíssima velocidade. Imediatamente faz sinal para o carro parar e vai falar com o motorista. Aliás, a motorista. É uma senhora idosa acompanhada de três amigas da mesma faixa etária.

- Não sei se a senhora sabe, mas andar devagar demais pode provocar um acidente! - Adverte o guarda.

- Mas, senhor guarda! Eu só estou obedecendo à sinalização.  É assim muito estranho, só porque ninguém respeita a sinalização?

- Um minuto, minha senhora - interrompe o polícia - posso saber que sinalização a senhora está
a respeitar?

A velhinha não diz nada. Só aponta para uma placa onde está escrito "EN 50".

- Mas, minha senhora... Aquela placa não indica o limite de velocidade, mas sim o número da estrada, "Estrada Nacional 50"...
Olhe, eu não vou multá-la se a senhora prometer ter mais atenção, tudo bem?

- Está bem. Está bem.

- Só mais uma coisa - diz o guarda - as restantes senhoras estão bem? Elas parecem assustadas!

- Elas já vão melhorar! - Responde a senhora - é que nós acabamos de sair da "EN 250".



==========================================
------------------------

quarta-feira, 13 de novembro de 2019

OLÁ A TODOS.


Ainda se lembram de mim?!

Sou o Noah...

...o menino que a babada da minha avó diz que é d'Oiro.
Vejam se pode!! 




Fez hoje um mês que nasci,  às 12 horas e mais uns minutos, aqui na Holanda, mas minha avó só agora teve tempo de me trazer ao blog para vos dar um beijinho.

Vou nanar e no próximo dia 13, já mais crescido, voltarei, Ok?

Beijinhos para Todos. 

:) 

* * * * * * * * * * * * * * * 

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

A ARTE DO OLHAR. # 9




[Entre o escuro e o obscuro]



Assim foi designada a obra de Mário Cravo Neto.

 Natural de São Salvador da Bahia, Brasil.

(1947-2009)




Quando Mário Cravo Neto acompanhou o pai em meados dos anos 60, para Berlim, era na escultura que ele pensava. A formação artística que recebeu em casa tendia para esse campo de criação —  o pai era escultor. Mas depois, a história dos primeiros passos na arte fotográfica, começa como tantas outras histórias de fotografia, alguém lhe ofereceu uma câmara e a partir daí nunca mais parou.









Vale muito a pena conhecer o percurso de vida deste fotógrafo. A todos os interessados e seguidores desta rubrica,  peço que cliquem AQUI. Terão acesso a vária informação acerca deste artista, bem como à fabulosa Galeria de fotografias. 









domingo, 10 de novembro de 2019

Toma Lá Que Já Almoçaste!


A Banda Militar Portuguesa deu música a Trump e a Macron.
É ver a expressão agradada e até algo divertida do segundo, em contraste com a beiça e a tromba do primeiro. Ora apreciem...





Mal sabia ele, de ar carrancudo e superior,  que o mestre da culinária cá do burgo, foi comprar uma panela de pressão para ver se o cuzinhava mais depressa...  







§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§§




sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Porque Hoje É Sexta-Feira. # 77



Em Rota de Colisão.




Durante manobras de navios espanhóis na costa portuguesa, o seguinte diálogo foi captado e gravado por um radioamador português.

O comandante de um navio espanhol estava perto da costa portuguesa quando avistou uma luz distante e resolveu enviar uma mensagem via rádio:

 -  «Aqui habla el capitan J. Alonso. El curso de su navio esta en ruta directa con el nuestro. Por favor alteren su curso 15 grados hacia el norte. Cambio».

O português respondeu:

- «Vocês é que estão em rota de colisão connosco. Alterem vocês o vosso rumo 15 graus para sul».

O comandante espanhol ficou irritado e respondeu:

- «Nosotros exigimos que alteren el vuestro curso 15 grados al norte!».

O português insistiu:

- «Alterem o vosso rumo 15 graus para sul».

O comandante (nuestro hermano) ficou irritadíssimo e gritou:

- «AQUI DEL REAL IBER ESP., EL MAYOR PORTA AVIONES DE GUERRA DE LA PENINSULA, DE LA REAL MARINA ESPAÑOLA,  ESTAMOS EN MANOBRAS CON MAS 2 FRAGATAS, 2 DESTROYERS Y NUMEROSOS NAVIOS DE APOYO – LE REPITO -  EXIGIMOS QUE VOSOTROS CAMBIEN RAPIDAMENTE DE CURSO 15 GRADOS HACIA EL NORTE. ESTAMOS PREPARADOS PARA TOMAR TODAS LAS MEDIDAS QUE SEAN NECESSARIAS PARA GARANTIZAR LA SEGURIDAD DE NUESTROS HOMBRES.

CONTESTE PRONTO. CAMBIO».

Ao que o português respondeu, simplesmente:


- «E daqui é do Farol do Cabo de S. Vicente. Terminado!».





-------------------------------------------------------------------------------------
-------------------------------------------------