terça-feira, 7 de setembro de 2010

CRUÉIS TRADIÇÕES

Esta imagem foi-me, gentilmente, cedida pelo amigo Christian do blog "Un Mundo Animal".
----------------------------------------------
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Correndo o risco de ir contra a opinião da maioria dos meus amigos/as e de quantos, eventuais, visitantes me possam ler, incluindo os meus seguidores anónimos, contudo reconhecendo-me o direito de manifestar a minha convicção, devo dizer que não concordo, de forma alguma, com certas tradições que já vêm dos tempos longínquos dos nossos antepassados como justificação para serem infligidos dor e sofrimento. Independentemente de as vítimas serem seres humanos ou animais.
Ao longo dos séculos muitas têm sido as tradições que se foram perdendo, umas boas e outras más, com a evolução dos tempos e das mentalidades.
Algumas, como as touradas, permanecem e não acredito que isso se deva ao amor à tradição. A razão que encontro (além de outras de ordem financeira) para que este tipo de espectáculo tenha tantos adeptos, é porque a luta entre o homem e a “fera” deve despertar em muitas pessoas o delírio dos sentimentos primitivos de domínio e supremacia. Embora nesta luta o touro esteja, à partida, em desvantagem em relação ao homem.
A maioria dos aficionados, se calhar, nem sabe bem explicar porque motivo gosta. Deixam-se empolgar pela força da adrenalina provocada pelos “Olés” e, então, desculpam-se com a tradição e o facto de não a quererem renegar.
Pessoalmente, considero a tourada um espectáculo cruel, primitivo e degradante, que em nada abona a favor do Homem dito civilizado, pelo que dispenso bem esta “herança cultural”.
As primeiras imagens mostram-nos o apedrejamento de uma mulher, para se fazer a comparação entre uma e outra tradição, tanto mais que ambas ainda existem. Não entre nós europeus e noutros continentes mas, o apedrejamento até à morte em praça pública, ainda faz parte da cultura muçulmana como forma de punir a mulher adúltera.
As imagens são apresentadas com o intuito de nos mostrar que, se nos escandalizamos e achamos que o apedrejamento público de uma mulher é um acto bárbaro, humilhante e inadmissível, não devemos aceitar com naturalidade que um animal seja picado e torturado numa arena, para gáudio de uma multidão.
Penso que as únicas tradições que se deviam passar, de geração em geração, seriam aquelas que nos engrandecem e nos dignificam enquanto seres humanos e, como tal, um exemplo a preservar pelas futuras gerações.
Existem tradições, que nem essa designação deviam ter mas, hábitos primitivos e cruéis que há muito deviam ter sido abolidos, e há tantas…
A tradição em certas tribos africanas, de fazer a excisão do pequeno órgão genital às jovens, mal elas atingem a puberdade. Causa arrepios só de pensar nesse sofrimento!
Enquanto as vacas passeiam livremente nas ruas, com o estatuto de seres sagrados, existem na Índia seres humanos a passar fome.
Todos sabemos disso e o que é que nós fazemos, relativamente a estas e outras absurdas tradições? Condenamo-las, é certo, mas reconhecemos que são tradições milenares, que os próprios povos respeitam e aceitam. Para se mudar o que está mal, seja lá o que for, é preciso acção e divulgação e é nesse sentido que eu considero meritória a acção desta instituição (Acção Animal. Pelo Direito À Vida Animal) e outras, na chamada de atenção para aqueles que vivem alienados e indiferentes, acerca dos direitos dos animais e dos seres humanos desamparados.

Que o mesmo é dizer: daqueles que não têm voz!

24 comentários:

  1. Amiga Janita!
    Eu assino por baixo cada palavra escrita aqui neste texto, porque também sou contra a estas tradições
    que mal tratam pessoas, ou animais, tenho ouvido muitas vezes os toureiros dizerem que amam os animais, quem ama não mal trata, eles amam sim e muito é o dinheiro.
    Estes ainda vão influenciando as pessoas a seguir a tradição porque há muito dinheiro envolvido.
    Os outros atrasos de vida, será o quê? será que religião, apoia estas
    coisas, ou é mesmo a malvadez do ser humano.
    Parabéns pela postagem.

    Há dias disse a uma amiga Espanhola,minha seguidora, que gostava quase tudo o que vem de Espanha, até dos ventos, e casamentos,só não gostava das touradas, ela não gostou muito da minha frontalidade, mas continua a visitar-me.

    Um beijinho grande,
    José.

    ResponderEliminar
  2. Amiga,adorei o teu texto inteiro e assino por baixo também,é tudo o que tenho dito ácerca das touradas e de tudo o que de mal se faz com os animais e há um ditado que traduz lindamente o que eu penso,(a civilização de um país é vista pela maneira como trata os seus animais),como vês,falta ainda muito para termos um país civilizado,com muita pena minha,que adoro Portugal.
    Para ti amiga um grande beijinho...Miuíka

    ResponderEliminar
  3. Janita minha querida, infelizmente há gosto para tudo, eu nesse aspecto sou muito diferente. Não digo que de quando em vez não dou uma olhadela numa tourada, mas que Deus me perdoe, vejo e fico feliz, só para ver a vingança do touro quando deita por terra e os faz em frangalhos, os desgraçados que de cima do seu ilustre cavalinho caiem ao chão. E vão desta para melhor, assim vale a pena ver, não que eu seja sádica, mas ai sim são cornos com cornos e venção os touros. Gostei da postagem, beijinhos de luz e paz e acabem de vez com tanta crueldade, pois assim nunca se consegue um mundo melhor. Enquanto os animais não forem tratados com amor e carinho.
    Fica com Deus minha linda amiga

    ResponderEliminar
  4. Os "aficionados" não vão gostar de ler este texto, não! E é tão compreensível a sua revolta, amiga!
    Dizem "que ao touro tem são dadas todas as condições para se defender (mesmo quando lhe cortam as pontas?!), que é uma "luta" leal!...
    Nem percebem que o touro, esse "animal irracional", nessa irracionalidade ganha sempre em "dignidade": tudo o que tenta é defender-se, por instinto, conservar a vida!
    Como é possível defender as touradas?!...
    Beijinho

    ResponderEliminar
  5. Janita, gracias por quedarte en mi casa junto con tu amigo José, me alegro de terenos a los dos.
    En cuanto a los toros,ciertamente que es un gran sufrimiento para los animales, desde pequeña me gustó la fiesta nacional , pero cuando tenían que hacer daño al toro , cerraba muy fuerte mis ojitos para no verlo, pero los coloridos de la plaza, el traje del torero siempre me han deslumbrado, es una fiesta de color, incluso la sangre torna una mezcla de color-dolor que siempre me ha hecho pensar.
    Con ternura
    Sor.Cecilia

    ResponderEliminar
  6. Amiga,não tens que agradecer o meu comentário,nem foi o ler o teu texto que me fez formar uma opinião,simplesmente avivou a minha revolta de sempre e nada nem ninguém me fará aceitar as leis e tradições abjectas e cruéis,que sacrificam animais para gáudio de milhares de pessoas,que se dizem cultas e que poderiam escolher outros divertimentos,ajudando para tivessemos um país mais civilizado.
    Um grande beijinho...Miuíka

    ResponderEliminar
  7. Minha amiga Janita!

    Não tem nada que agradecer, sou apenas uma pessoa normal igual a tantas outras.
    Mas conhece virtualmente uma grande mulher, que dá mergulhos como ninguém,rrs e publica textos como estes.
    Agora falando sério o seu neto vai dar um grande fotografo, acho que um fotografo verdadeiro, não fazia melhor, e aquela dele ao pé da estátua,com cara de maroto.

    Um bom fim de semana,
    um beijinho,
    José.

    ResponderEliminar
  8. Inomináveis Saudações, Janita.

    Apoio todas as idéias expostas no texto, sou totalmente contra as touradas e a tal "farra do boi" que acontece aqui no Brasil todo ano, na qual bois são massacrados por um multidão de retardados mentais desumanos. O sentido do ser humano, nosso real sentido, é preservação nossos irmãos menores, mantê-los em perfeito equilíbrio conosco, tornando o habitat um imenso volátil ambiente de inter-relacionamentos entre as espécies. No entanto, o cabedal de crueldades cometidas contra os animais e contra os de nossa espécie tal convivência impossível...

    Como mudar tal panorama, Janita? Explodindo o mundo ou revolucionando o pensamento do mundo? Prefiro a segunda opção.

    Saudações Inomináveis, Janita.

    ResponderEliminar
  9. Eu, quando se trata de casos assim, borrifo-me no que os outros possam pensar da minha opinião, e não me importo de ir contra a ditadura da maioria. Nas touradas a única coisa que aprecio são as pegas, pois é quando o touro está ao mesmo nível do homem. Tudo o resto são resquícios de um passado bárbaro.

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  10. Janita meu amor, lá se cumpriu mais uma tradição versos aberração em Monsaraz, se soubesse a raiva que me faz estes ignorantes que até me arrepia, que Deus nos perdoe, mas até parece que estão todos esfomeados.
    Hoje a quando o repórter fez a pergunta a uma senhora e lhe disse: então não lhe faz impressão ver matar o touro, e ela não é tão lindo de ver, até me apetecia chegar a ela dar-lhe uma trapada daquelas na tromba, amiga me desculpa mas as pessoas se agarram tanto às tradições, que qualquer dia destes, pegam outra vez nos seus velhotes, lhes dão uma manta e os levam para a serra para morrerem também era tradição.
    Beijinhos minha querida e que Deus perdoe estes ignorantes.

    ResponderEliminar
  11. Manda-me um e-mail para rafeiroperfumado@gmail.com para podermos discutir essa tua ideia!

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  12. E achas que eu levaria a mal o que quer que seja? Quanto a puxar aos Gatos, acho que da minha parte se fica pelo nome, que foi claramente inspirado nos ditos. Já no que toca aos textos, nem sequer me quero comparar, mas revejo-me mais no Seinfeld, que tinha o dom de reparar em coisas banais do dia a dia e fazer humor das mesmas. Isso sim, é o meu ideal de humorista, coisa que não sou nem ambiciono ser, limito-me a colocar no papel as ideias que me surgem perante determinadas situações.

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  13. Janita

    Há tradições que são contradoções
    ao amor ao próximo, aos animais, à natureza.

    Esta barbárie de colocar um touro possante que não sabe o que está a fazer e é cruelmente tratado e responde alucinado a esse tratar que não entende - "é miséria e
    maldade humana".

    Devia ser proibido, assim como os animais abandonados que deixam de interessar aos donos.

    E fala-se de "Amor" a cada passo e a cada palavra.

    Mª. Luísa

    ResponderEliminar
  14. Janita

    E eu vou mais longe do que tu e faço o que não tenho direito de o fazer!

    Condeno,sem subterfúgios ou diplomacias.

    Condeno as tradições selvagens, ignóbeis de quem nada sabe, nada sente e tudo desconhece!
    Condeno!

    Não aceito!
    A religião se cala com medo! Eu não tenho medo!

    Condeno a crueldade para com as crianças (pedofilia por triste exemplo, outros há)).

    Condeno o abandono dos animais,

    Condeno as touradas, chamadas "trajes de luces" - pois são trajes de trevas.

    Condeno a ignorância e a maldade
    camuflada de grandeza.

    Condeno e lhes tiro as ilusões, eles não são nada, apenas peões sem
    alma, sem préstimo e sem moral

    A ignorância permanece no século XXI, igual ás gerações passadas.

    Estes textos inseridos na Net não ´
    são para alguns, mas sim para todos

    E quando se aperceberem que o barco é o mesmo e os pobres não são fechados, como no naufrágio do titanic, talvez o mundo acorde e
    reconheça a verdadeira luz.

    Eu escrevo poesia, por vezes prosa.
    Cada um tem o seu destino.
    O meu é o que disse, o vosso é clamar contra o injusto.

    E juntos,em destinos diferentes,
    podemos mudar o mundo e ajudar a
    tarefa Divina!

    Com ternura,

    Mª. Luísa

    ResponderEliminar
  15. Concordo plenamente com o último comentário, a condenação direta e incisiva desses criminosos abusadores de animais e de seres humanos.

    ResponderEliminar
  16. Amiga Janita!

    Vim agradecer a visita!
    Andei por aí a ver o que me dizia e não pude deixar de parar aqui.

    Amiga, eu gostaria que me permitisse publicar este seu texto e o vídeo.
    Agradeço que me informe ou volto cá para saber a sua resposta.

    Todas, mas mesmo todas as suas palavras, indignação e profundo sentimento de horror e revolta estão, desde sempre, presentes em mim.

    Ouso mesmo dizer mais...
    As pessoas que vêm e se emplogam com estes "espectáculos" degradantes e primitivos, são anormais, têm que sofrer de alguma forma de "esquizofrenia".
    Não há nada que justifique este crime e todos os que envolvam violência, seja contra animais os pessoas.

    O caso da lapidação e de Sakineh é outra luta que temos que ganhar. Estou nessa causa desde sempre e para sempre, até que seja abolida essa e todas as penas de morte.
    A lapidação não pune só adúlteras, mas mesmo as adúlteras têm direito a viver.
    Alguém já se lembrou de punir severamente os verdadeiros ladrões, ou os pedófilos, ou ainda os patrãos da droga???????
    Quem dá direito aos homens de tirar a vida a outro???

    Conhece a obra de Ayaan Hirsi Ali?
    Estou a ler Infidel e li Caged Virgin.
    Choro a cada passo...impossível não o fazer!!!

    Bem haja por este texto, a verdade deve ser dita sem medo de perder seguidores ou comentadores.
    Beijinhos e parabéns pela coragem, só podia ser uma mulher do Porto!

    ResponderEliminar
  17. Amiga Janita!

    Não sei como interpretar a ausência de mais comentários acerca deste tema.
    Este mesmo texto, e todo o seu Blog, está hoje e durante o fim de semana todo linkado na casa do Rau.

    Espero que mais gente venha até cá e diga de sua justiça.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  18. De mãos dadas com a Ná, cá estou.

    Não entendo muito bem qualquer tradição que cause danos, ou prejuízo à saúde e ao bem estar de qualquer ser vivo que não o mereça.

    O vídeo comove, mas as palavras que 'não se calam' foram mais do que perfeitas na mensagem de preservação da vida, pela vida com vida.

    Atitude!


    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  19. Querida Janita!

    Permita-me que agradeça aqui à amiga Giardia por estas suas palavras.
    Bem haja.

    Beijo

    ResponderEliminar
  20. Aqui, não podia faltar mesmo.

    Em nome da "preservação das tradições", chamem-lhe o que quiserem, teriam que se desculpar de algum modo, existem em pleno século XX várias "tradições" abomináveis, uma delas é a tourada.
    Não há desculpa possível para quem pratica nem para quem assiste.
    Acabem-se com todas as atrocidades que se cometem sobre pessoas e animais...
    Tourada, nem é Cultura nem é Arte!

    Abraço amigo.
    J.Ferreira

    ResponderEliminar
  21. Janita
    Vim da através da Na Casa do Rau onde a amiga Ná lhe presta uma homenagem e ao mesmo tempo inicia o conteúdo desse seu post "Cruéis Tradições" as quais abomino de tal forma que muitas vezes me nego a continjuar ver imagens tão violentas. Como podemos lutar por um mundo melhor se ainda carregamos nas costas tradições invioláveis que massacram seres humanos, animais com um "desejo de prazer" e satisfação ... criam-se marginais, demÔnios que não sabem o que pe a essência do amor, do respeito, da dignidade.

    Junto-me a ti nesta revolta e acho que muitos o devem fazer até que essas crueldades cheguem ao fim

    Beijos e uma boa semana

    ResponderEliminar
  22. Janita, você logo vai ver que muitos, como você, não suportam o sofrimento e por isso condenam as touradas. Aqui onde moro, no interior de São Paulo, Brasil, temos os rodeios, que sofreram influencia dos norte-americanos, e também os condeno pois fazem sofrer os animais e arriscam a vida dos peões que tentam se manter em cima dos cavalos e touros, mas muitas vezes caem e podem até morrer, conforme o tombo. Há tantas formas de diversão que não exigem sofrimento, porque deveriamos apoiar touradas e rodeios? Vamos conservar boas tradições apenas! Um abraço, Anamaria

    ResponderEliminar
  23. As touradas são espectáculos abomináveis. Mas são só a ponta do iceberg no que concerne ao sofrimento dos animais. As touradas são o lado visível. O lado invisível, criação de gado, laboratórios, cosméticos, etc, é tão mau ou ainda pior.

    ResponderEliminar