sábado, 20 de novembro de 2010

SER POETA....


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Não me considero, nem de perto nem de longe, uma poetisa. Apesar disso, aventuro-me de quando em vez, a debitar uns mal-amanhados versos.
Adoro poesia desde que me conheço por gente! Por isso, e quando publico poesia com valor, recorro muitas vezes ao talento alheio. Contudo, preocupo-me, sempre, em dar os devidos créditos ao seu autor. Nada mais justo, mais natural e mais legítimo...

Como escreveu Florbela Espanca:

“Ser poeta é ser mais alto, é ser maior…”
----------------------------------------------------------------------------------------
--------------------------------------------------------------------------
A Un Amigo

Tiene la mirada perdida,
sus ojos miran y no ven
porque acaso su mente dormida,
se quedó en un rincón detenida
cual viajero que pierde su tren.
Y la luz que en sus ojos brilló
reflejando el amor que sentia,
una noche el destino apagó
cuando roto en el suelo quedo
com su mente perdida y vacia.
Y hoy vive en su mundo sin pena ni gloria,
no llora ni ríe ni expresa dolor;
no sabe de amores, porque su memoria,
se borró una noche de amargo dolor.
Él, que tenía la luz
brillando en sus ojos,
hoy es tan solo una cruz
que su madre venera de hinojos.
Él que entregaba su amor sin condiciones,
se quedó sumido en sopor
sin llorar, sin sentir emociones.
No siente en la vida ni pena ni gloria,
no llora no ríe ni expresa dolor,
no sabe de amores porque su memoria
se borró una noche y se llevó su amor.
Acaso en su mente dormida
flotando, mirando sin ver,
siga estando su amor a la vida
Y quizás un buen dia decida
Despertar de ese sueño... y volver.
Poema de Juan Francisco Bravo Real.
Transcrito do seu livro de poesia:
"Entre Renglones"
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

20 comentários:

  1. Olá, Janita!

    Terrível castigo o deixar de sentir, ter os olhos aberto e não ver, encontrar o vazio olhando o longe, ter perdido o querer e o poder.
    Talvez bem pior do que morrer...!

    Lindamente escrito, infinitamente tocante e triste.

    Bom domingo; beijinhos.
    Vitor

    ResponderEliminar
  2. Boa noite Janita!
    Confesso que tive que reler várias vezes...
    Que dor transmite esse poema! Que coisa mais triste pode haver, do que apenas existir...sem VIVER!
    CARINHOS

    ResponderEliminar
  3. Boa noite Janita,
    um poema arrepiantemente belo e triste!

    Beijinhos,
    Ana Martins
    Ave Sem Asas

    ResponderEliminar
  4. Lo he traducido para ver la triste belleza de este singular poema.
    Si los ojos a veces tiene tanto dolor que no quieren mirar para no volver a llorar.

    Un saludo.

    Si en mi perfil está la dirección

    ResponderEliminar
  5. hola Janita!! realmente una propuesta triste y para pensar...Te mando besos y abrazos. Que tengas un buen fin de semana...Patry de "Rincón de Amigos"

    ResponderEliminar
  6. Olá querida amiga Janita!
    Falando lá do meu Rincón se eu fizesse isso que diz, ele mandava-me prender ou fechava-o, a minha mulher tantas vezes que ela me chama a atenção, mas eu nasci assim.
    O poema do Juan Francisco, está muito bem escrito e que me toca profundamente, eu que vi a minha nos últimos anos da vida, viver sem estar vivendo. Agora tenho a minha sogra com 90 anos, está num lar com mais umas quarenta pessoas, e só uma dessas pessoas tem o juízo perfeito, e ela diz que está assim porque não toma os comprimidos que lhe dão, segundo ela diz as pessoas responsáveis, e os empregados batem nos velhinhos,ainda ontem ela teve falando com a minha mulher, dizendo que preferia estar igual aos outros, assim vendo sofre mais do que lhe batessem.

    Tenha um resto de um bom domingo,um beijinho grande,
    José.

    ResponderEliminar
  7. Queria dizer a minha mãe nos anos de vida.
    É a pressa...

    ResponderEliminar
  8. Querida Janita!

    Amiga, há muita beleza quanta verdade neste poema.
    Não será assim mesmo um pouco assim para todos o amor?
    Aqui levado ao extremo, concordo, mas o amor quer-se incondicional e sem condições impostas!
    Assim penso!

    "Él que entregaba su amor sin condiciones,
    se quedó sumido en sopor
    sin llorar, sin sentir emociones."

    Não sei se deva reler, mas não faço a mesma leitura, tão dramática, do que os restantes comentadores.

    Voltarei.
    Beijos

    ResponderEliminar
  9. Amiga Janita um poema tocante. Nada é mais triste do que apenas existir e não viver.
    "Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe." (Oscar Wilde)
    Tenha um bom domingo e uma semana maravilhosa.
    beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  10. Me ha encado el poema. Su autor es un gran poeta.
    Feliz noche.
    Un beso.

    ResponderEliminar
  11. Hola Janita, quiero dar las gracias a todos tus seguidores y seguidoras por sus comentarios salidos del corazón. Es un poema tristem, pero con una puerta abierta a la esperanza.
    Te dire (os diré a todos) que precisamente hoy, nos ha visitado un amigo de mí hija al que cinco energúmenos pegaron una paliza hace varios meses y a consecuencia de ella, el chico, de 23 años, quedó en coma. Un muchacho estupendo, que compartía el trabajo de taxista con su padre. Ahora, gracias a Dios, ha salido del coma y se está recuperando poco a poco. Esperamos que pueda volver a su vida de antes y llevar de nuevo su taxí, que es lo que más desea. Como os decía antes, mí querida Janita y amigos, la esperanza siempre debe estar ahí. Un abrazo grande con mí cariño.

    ResponderEliminar
  12. Minha querida amiga,no nosso Pais costuma-se dizer que de poeta e de louco todos temos um pouco.
    Mas eu também não chego aos pés de poeta algum, só sei dizer se gosto ó não, e, se aquilo que eles escrevem me toca no coração.
    Saem umas a direito
    e outras ao inviés
    mas tu minha linda amiga
    vales bem pelo que és.

    olha sem querer lá vai mais uma cajadada, cada tiro cada melro, beijinhos de luz para quando a lua por ai deixar de brilhar

    ResponderEliminar
  13. O amor tem destes contrastes - prefiro chamar assim aos sentimentos neste texto versejados/cantados/chorados/sonhados
    ...
    O amor mantém-nos despertos em sono profundo, sonhando jamais acordar!

    Luís de Camões "cantava":

    "Amor é fogo que arde sem se ver;
    É ferida que dói e não se sente;
    É um contentamento descontente;
    É dor que desatina sem doer;

    É um não querer mais que bem querer;
    É solitário andar por entre a gente;
    É nunca contentar-se de contente;
    É cuidar que se ganha em se perder;

    É querer estar preso por vontade;
    É servir a quem vence, o vencedor;
    É ter com quem nos mata lealdade.

    Mas como causar pode seu favor
    Nos corações humanos amizade,
    Se tão contrário a si é o mesmo Amor?"

    Quem sou eu, pobre de mim!?...

    Beijinho

    ResponderEliminar
  14. Pois eu admiro quem domina essa arte, pois já eu quando tento só sai asneira!

    Beijoca, ó poetisa!

    ResponderEliminar
  15. oieeeeeeeeeeeee.....flor muito obrigada pela visita viu....fiquei super feliz.......bjuxxxxxxxxxx

    ResponderEliminar
  16. Obrigado, do coração amiga Janita!

    Ser poeta é ser mais alto!
    Lindíssima essa poesia.

    Voltei e já comecei hoje a trabalhar.
    Como trabalho por turnos e no aeroporto não há fins de semana nem feriados :) tenho pouco tempo até para descansar.
    Acredite!

    O tempo que estive em casa, sim, porque aqui vivo há 14 anos mas a minha casa é lá e sempre será, foi tão bom, mas curto demais.

    Estou aqui de corpo e sempre de coração inteiro em Portugal.
    Beijos a todas.
    Tentarei passar por cada uma, mal possa.

    Pedro Ferreira.

    As fotos do meu pai, são sempre sensacionais.

    ResponderEliminar
  17. Olá querida amiga, lindo poema mas de uma tristeza que faz doer a alma. Já fiz o convite á amiga Graciete e faço-o a si para nos encontrarmos em Almada para nos conhecermos. Adorava amiga. A amiga Graciete falou, que lá para o principio do ano. Isto se a amiga quiser. Beijos com carinho

    ResponderEliminar
  18. Querida Amiga,
    Pois é. Isto de entregar o amor sem condições, é como que renunciar a si mesmo, comporta sofrimento, dor e o vazio.
    A poesia é isso... é o arrepio.
    Bj amigo,
    J

    ResponderEliminar
  19. Olá Janita, a poesia está dentro de você e isso o que encanta os amigos da blogosfera. Beijo

    ResponderEliminar
  20. "Ser poeta é ser mais alto"...
    disse Florbela Espanca

    e disse quase tudo...
    deixou algumas coisas para dizer,
    não teve tempo para cantar o entardecer.

    Mas ser poeta "É Ser mais Alto"
    e difícil de entender!

    Não me parece assim tão bom...

    Mas o que Janita escreve, por si,
    é muito bom!

    Um abraço,

    Mª. Luísa

    ResponderEliminar