domingo, 6 de maio de 2012

MÃES.



No mais fundo de ti
Eu sei que te traí, mãe.

Tudo porque já não sou
O menino adormecido
No fundo dos teus olhos.

Tudo porque ignoras
Que há leitos onde o frio não se demora
E noites rumorosas de águas matinais.

Por isso, às vezes, as palavras que te digo
São duras, mãe,
E o nosso amor é infeliz.

Tudo porque perdi as rosas brancas
Que apertava junto ao coração
No retrato da moldura.

Se soubesses como ainda amo as rosas,
Talvez não enchesses as horas de pesadelos.

Mas tu esqueceste muita coisa;
Esqueceste que as minhas pernas cresceram,
Que todo o meu corpo cresceu,
E até o meu coração
Ficou enorme, mãe!

Olha - queres ouvir-me? -
Às vezes ainda sou o menino
Que adormeceu nos teus olhos;

Ainda aperto contra o coração
Rosas tão brancas
Como as que tens na moldura;

Ainda oiço a tua voz:
Era uma vez uma princesa
No meio do laranjal...

Mas - tu sabes - a noite é enorme,
E todo o meu corpo cresceu.
Eu saí da moldura,
Dei às aves os meus olhos a beber.

Não me esqueci de nada, mãe.
Guardo a tua voz dentro de mim.
E deixo as rosas.
Boa noite. Eu vou com as aves.

Eugénio de Andrade
Poema à mãe.

***************************************************************
***************************************************************************


20 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Eugénio de Andrade é sempre bem vindo. E eu sou um filho desnaturado que só agora se apercebeu que hoje se comemora o dia da mãe. Parece que vou ter que ir à florista logo pela manhã. eheheheheh.
    Beijinhos. ;)

    ResponderEliminar
  3. Isto de comentar logo de manhã bem cedo só poderia ter dado num engano grosseiro, o qual me levou a remover o "first comment". lololololololol=)

    ResponderEliminar
  4. Excelente esta escolha. Eu vou levar a ideia para a minha mãe...tarde...porque o dia já foi, mas levo, ainda assim.

    Um excelente domingo
    BShell e um beijo

    ResponderEliminar
  5. Boa imagem para a dedicatória.

    Óptimo domingo.

    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Janita
    Um belo poema que me emocionou. Sabe Janita? Penso que quando os nossos entes queridos estão vivos, não somos capazes de lhes dizer, o que apetece quando os perdemos.
    Um beijo
    Rodrigo

    ResponderEliminar
  7. Parabéns amiga pela escolha é o meu poema preferido,
    já o dediquei ao meu filho e me vem sempre as lágrimas quando o leio , tivestes um maravilhoso gosto.
    Parabéns também a ti mãe coruja, mãe guerreira, que este dia seja para ti sempre a recordação da dor da hora do nascimento dos teus filhos e a ternura com que lhe pegastes pela primeira vez, e até a primeira vez em que os ouvistes chamarem-te de mãe, são recordações que nos ficam para todo o sempre.
    Janita se não for pedir-te muito dá uma olhadela no gastandootempo que é o blogue da minha princesa que passou comigo desde sexta à noite até há pouco que se foi embora, beijinhos para ti amiga e um resto de um dia lindo

    ResponderEliminar
  8. Lindo poema, menino que sua mãe traiu?
    Não o terá feito por querer
    O menino adormecido
    Porque ele inocente ser
    De sua mãe ser muito querido.

    Rebelde talvez, ser
    Como quase todos eles são
    Pequenos estão a crescer
    Mas todos eles têm coração.

    Criança desconhecer
    Quando algum mal praticar
    Só depois de crescer e aprender
    Seus actos condenar!

    Tem sua mãe para proteger
    Seus filhos ela muito amar
    Nunca a deverão esquecer
    Quando ela partir,
    outra não ter em seu lugar!

    Bom domingo,
    para todas as mães
    beijos e abraços
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  9. O Eugénio de Andrade fez aqui uma linda declaração de amor. À mãe. A ti por teres publicado.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  10. un gran poema para una gran ocasión como es el desear lo mejor para una madre.

    Saludos

    ResponderEliminar
  11. Sabes uma coisa, Janita? Foi esse o poema que estive para colocar esta manhã lá no meu blog!
    Espero que tenhas tido um Feliz dia da Mãe
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. É muito gratificante chegar de viagem, me servir de uma taça de um bom tinto seco e ler um belíssimo poema como este. Obrigado. Beijo

    ResponderEliminar
  13. O minha doce Janita
    Amiga de longo tempo
    o blogue da minha neta
    chama-se gastandootempo

    do lado direito da página principal tem o link de alguns blogues que eu estou a seguir, ai encontra de certeza o gastandootempo ao clicares em cima vais logo lá ter.
    Adorei a tua visita e o teu comentário que tem sempre muita clareza em tudo que escreves , beijinhos meu amor e que tenhas uma linda semana...


    http://gastandootempo.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  14. Olá, Janita!

    Julgo que o autor nos quer falar aqui duma outra forma de olhar o amor entre mãe e filho:O do crescimento dele, pequenote e submisso que deixa de o ser; e o da mãe - possessiva(?), que não consegue lidar com esses facto, e tem dificuldade em o aceitar - e o filho "perder".

    Nem todas as relações entre pais e filhos serão perfeitas; a imagem bonita, idealizada, de que sempre o serão, às vezes será não será mais do que isso mesmo...

    Tem interessante;boa escolha do poema.

    Beijinhos; boa semana.
    Vitor

    ResponderEliminar
  15. Janita amiga, todos os dias são para mim dias da mãe.
    Um poema dos mais belos às mães dedicado.

    beijinhos

    ResponderEliminar
  16. Querida amiga
    Meu Abraço de Paz e bem!

    Mãe do céu da terra e do mar
    Por favor,
    Ensina-nos o teu segredo
    Do Teu Amor
    Para que não tenhamos medo
    De apreender Amar!

    Meu abraço carinhoso para você!

    Se você for mãe Feliz dia das Mães !

    Maria Alice

    ResponderEliminar
  17. Estou como o lol, sou filho desnaturado, mas a minha mãe não se importa...

    Lembrei-me agora duma parte duma canção do Jim Morrison também dedicado à mãe...


    ahahahahahahaaha




    The killer awoke before dawn
    He put his boots on
    He took a face from the ancient gallery
    And he walked on down the hall
    He went into the room where his sister lived
    And then he paid a visit to his brother
    And then he walked on down the hall
    And he came to a door
    And he looked inside
    Father?
    Yes, son?
    I want to kill you
    Mother, I want to...

    Come on, yeah

    ResponderEliminar
  18. Zé da Trouxa
    Olha só o que havias de recordar... lololololol=)

    ResponderEliminar
  19. Sabes como é, Mestre...
    O Zé tem recordações que nunca esquece. :)

    ;)

    ResponderEliminar
  20. Conheci a musica dos Doors através do filme do Oliver Stone. Ainda há pouco tempo revi esse filme e acho mesmo que é uma obra prima. Um musical moderno como nunca se voltou a repetir.

    Os Doors são talvez o meu grupo de Rock and Rolhas preferido.

    ResponderEliminar