quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

PRETIDÃO DE AMOR.

 

Endechas A Bárbara escrava

 
Aquela cativa
Que me tem cativo,
Porque nela vivo
Já não quer que viva.
Eu nunca vi rosa
Em suaves molhos,
Que pera meus olhos
Fosse mais fermosa.

Nem no campo flores,
Nem no céu estrelas
Me parecem belas
Como os meus amores.
Rosto singular,
Olhos sossegados,
Pretos e cansados,
Mas não de matar.

Uma graça viva,
Que neles lhe mora,
Pera ser senhora
De quem é cativa.
Pretos os cabelos,
Onde o povo vão
Perde opinião
Que os louros são belos.

Pretidão de Amor,
Tão doce a figura,
Que a neve lhe jura
Que trocara a cor.
Leda mansidão,
Que o siso acompanha;
Bem parece estranha,
Mas bárbara não.

Presença serena
Que a tormenta amansa;
Nela, enfim, descansa
Toda a minha pena.
Esta é a cativa
Que me tem cativo;
E. pois nela vivo,
É força que viva.
Luís Vaz de Camões                                         
 
                                                                     
 

 

29 comentários:

  1. Este momento fez-me voltar a tempos há muito passados.
    Voltei ao liceu, senti os olhos argutos de um professor, enquanto eu, com voz tímida, lia este poema.
    Não há dúvida, Camões e Zeca Afonso são imortais!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Camões acompanha-nos desde os bancos do Liceu, Manuel.
      Até Zeca Afonso, encontrava nos seus poemas, algo para adaptar às suas músicas imorredouras.
      Um beijo.

      Eliminar
  2. Janita uma das belas canções do nosso zeca,mas que eu não recordava, obrigada pela partilha e por este momento comovente que me propocionou!

    Vou levar e publicar no FB no grupo do Zeca.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Flor de Jasmim:

      Está à vontade e leva daqui tudo o que quiseres.

      O teu Rodrigo adicionou-me ao grupo de "Vamos Ler Poesia ou Prosa" no Facebook, mas sabes que já lá andei e não me entendi com aquilo? Praticamente, não percebo nada do FB, mas recebo sempre no meu e-mail tudo o que é lá publicado nessa rubrica.

      Beijinhos e rosas para ti, Adélia.

      Eliminar
  3. Olá Janita,
    Também uso uma Pena que me deixa cativo....mas de alguns sonhos que teimam em me tirar!

    Mas é com eles que vivo:)

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, JP:

      Eu sei que usas uma Pena que te deixa cativo da escrita...mas tenho uma pena imensa que teimem em tirar-te os sonhos que são a razão de ser da tua vida.

      Tens de lutar contra isso, meu amigo!

      Beijinhos.

      Eliminar
  4. E a faceta lírica de ambos a soar ao som trinado das cordas...

    Não sei se Camões nasceu para escrever para o cantor
    Se o cantor nasceu para cantar Camões
    Sabemos que não foi nenhuma das coisas, mas até parece

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rogério.
      Camões nasceu para poesia escrever e o cantor para poemas cantar. O encontro entre os dois é que pode não ter sido casual e sim, algo inevitável entre dois génios.
      Um beijo.

      Eliminar
  5. Janita,
    Eu sou um bom bocado cabeça no ar, sabia?
    Só depois de ver o seu comentário no blogue do Carlos é que percebi que a Janita também tinha um blogue.
    Só eu!
    E aqui estou.
    Para ficar.
    Beijinho e bfds

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Pedro.
      Seja bem vindo.
      Essas distrações acontecem a muito boa gente, não é só ao Pedro.:))
      Fico muito, mas muito contente que tenha vindo, e mais ainda para ficar!
      Para mim é uma honra tê-lo aqui no meu cantinho.
      Beijinho e bom fim-de-semana.

      Eliminar
  6. Olá, Janita!

    É um linda trova de amor, esta; que aqui ganha mais vida,cantada por quem foi um grande trovador.
    Bonita escolha.

    Bom fim de semana, e beijinhos amigos.
    Vitor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Vitor!
      Sabes que fui agora dar com este teu comentário retido como Spam? Sinceramente, não sei qual o critério que usam para determinar quais os comentários de spam ou não. Só sei que já não é a primeira vez que isso me acontece, pelo que de vez em quando vou lá espreitar.
      Desculpa, Vitor, felizmente ainda dei com ele hoje!

      Já vi que publicaste novo post, se já não der para ir ler hoje, irei amanhã. Como ainda não jantei já estou a ver estrelinhas.:)

      Beijinhos, Vitor e obrigada pela presença amiga e assídua.

      Janita.

      Eliminar
  7. Olá Janita, bonito post.
    O nosso Camões bem precisa de ser tirado mais vezes do panteão; quanto ao Zeca, e isto dos josés não é nada assim tão óbvio e eu sei do que falo, tenho andado aqui a matutar no que será preciso para um Zé dar um Zeca. Não estou a falar por falar, o assunto é para mim relevante. Zés há muitos, mas Zecas... Não estou a falar de zezinhos nem de zequinhas que são coisas usadas com pouco dignidade. Falo de Zecas.
    O que será preciso para se atingir a força de se ser Zeca qualquer coisa? Acredita que não comecei a pensar nisto hoje. Ainda não avancei grande coisa...
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Zé Maria!
      Já me fizeste sorrir muito com este comentário.:)

      Esse assunto tão relevante para ti sobre o que será necessário fazer para um Zé ser promovido a Zeca, para mim não tem nada que saber.
      Até me lembrei de um amigo da minha irmã - dos tempos de juventude- que se chamava José. Ele adorava ser tratado por Zeca, o pior era o apelido do moço que não combinava bem, tanto mais que havia outro e para os distinguir só mesmo referindo o apelido.
      Um dia, encontrei-o e ele mandou cumprimentos para a minha mana. Quando eu lhe disse "Encontrei o Zeca que te mandou cumprimentos" e ela, qual? E eu, o Zeca Góis!
      Ficámos a olhar uma para a outra e a seguir quase rebentávamos de tanto rir. Isto é a mais pura verdade, Zé Maria!
      Lembrei-me desta cena, porque estatuto para ser Zeca já tu tens e muito, mas como é que te vou chamar Zeca Maria???
      Agora sou eu que vou ficar a matutar...:)

      Beijinho.

      Eliminar
  8. Amiga Janita:
    Também hoje dediquei um post ao amor.
    Mas a junção que nos apresentas é imortal, tal como o verdadeiro amor :)

    beijinhos e bom fim de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Fê:
      E que belo post dedicaste ao Amor! Adorei!
      Love Story, será sempre a mais bela e triste história de amor, que me fez chorar baba e ranho...
      E a canção é lindíssima.

      Beijinhos, amiga.

      Eliminar
  9. Não conhecia, ou nunca dei atenção a esta fantástica "letra" de Camões, extraordinariamente bem cantada pelo Zeca Afonso !
    !
    O lirismo de Camões em alta neste belo poema de amor ! :)))
    Foi uma boa surpresa para mim Janita !

    Beijinho !
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo, Rui:
      Fico muito contente que tenhas gostado.:)
      Quanto ao nosso Zeca, qualquer poema cantado por ele ganhava um sentido mais elevado. Imagina agora o que é cantar "quando valores mais altos se levantam!:))

      Beijinho!

      Eliminar
  10. Já não me lembrava desta canção do Zeca, obrigado por a recordares!
    Esta manhã enviei-te um Mail com SOS. Estou com problemas com as fotos. se puderes responder, agradeço.
    Beijinhos e até já, ou até domingo na Rua dos Cafés.
    Bom fds

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Carlos, eu é que tenho todos os motivos para te agradecer! A presença e as palavras amigas.

      Já te respondi ao mail, espero ainda ter chegado a tempo.

      Beijinhos e até já, até domingo e até sempre!!:-))

      Eliminar
  11. Minha Querida Amiga Janita,
    Desconhecia este poema e a sua interpretação pelo Zeca Afonso. Adorei, pelo que lhe agradeço ter trazido ao seu blogue para nosso prazer.
    Beijinhos muito amigos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querido Amigo Luís:
      A sua generosidade deixa-me sem palavras. Sinto-me em falta consigo e o meu Amigo ainda me agradece...
      A nossa amizade já vem de longa data e apesar de eu não visitar muitas vezes o seu blog, isso não significa que não me lembre de si, acredite!
      Obrigada, por tudo meu Amigo.
      Beijinhos com muito carinho.

      Eliminar
  12. Cara confrade Janita!
    Desculpe-me pelo atrevimento em entrar, sentar e ficar totalmente a vontade e encantado no seu aconchegante e sensível espaço cibernético!
    Como o nosso estimado Professor Rui não colocou nenhum enigma novo na Escolinha do Professor Rui da Bica, tive tempo de conhecer melhor seu também imperdível blog!
    O Max, meu fiel mordomo, ficou felicíssimo ao vê-la embarcar no vagão do Expresso do Oriente, sob meu comando, e claro que eu também!
    Já o instrui para dar-lhe tratamento VIP e reservar-lhe a cabine nº 9!
    Peço-lhe que tenha cautela com a lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, que ocupa a cabine nº 5, porque ela adora conhecer novas passageiras/confrades e envolvê-las nos seus fuxicos... Fique atenta, porque em pouco tempo ela tornar-se-á sua amicíssima e claro, sem que percebas, saberá tim por tim tudo sobre ti!
    Como é auspicioso fazer novas amizades!
    Caloroso abraço! Saudações amistosas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderEliminar
  13. Caro Professor João Paulo.
    Aqui neste meu modesto mas hospitaleiro cantinho, as portas estão abertas de par em par, para todos os amigos e mesmo para os forasteiros que vierem por bem.
    Claro, que o Prof. está incluído no grupo dos amigos, uma vez que já nos conhecemos da escolinha do amigo Rui, pelo que fez muito bem em entrar e ficar à vontade.
    Quanto ao tratamento VIP que recomendou dar-me lá no seu esplendido Expresso do Oriente, fico-lhe imensamente grata, mas sabe que eu sou uma pessoa extremamente simples e ficarei mais à vontade com um tratamento familiar e amigável.
    Vamos lá ver como a Agrado irá reagir à minha presença, mas algo me diz que nos vamos entender bem, até porque a minha vida é um livro aberto e não há problema se ela quiser saber seja o que for a meu respeito.
    Ainda que virtuais, é muito bom fazer novas amizades e conservar as antigas, também.:))
    Um grande e amistoso abraço.
    Até breve!

    ResponderEliminar
  14. Quando tu não estás, está Camões, cheio de pretidões de amor, o que me enche sempre de alegria, não só pelo conteúdo mas também por me lembrar o abominável acordo ortográfico.
    Um grande beijinho minha querida Janita e, por mim, bebe um cimbalino com vista para o mar.

    ResponderEliminar
  15. Neste caso estamos os dois, eu e Camões! E tu, sempre, meu querido Kim.
    Aqui no Norte, principalmente no Porto, um café com vista para o mar é com um copo d'água a acompanhar. eheheh

    Beijinhos, meu querido, já "falei" um bocadinho contigo lá no "On the Rocks" do amigo CBO. A propósito do famigerado acordo ortográfico - embora isto não tivesse nada a ver - vê lá tu que eliminei um comentário por ter escrito mal uma palavra e depois repeti o erro. Só eu!

    + um beijinho, que tu mereces!!

    ResponderEliminar
  16. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  17. A grande poesia de Camões
    Aqui cantada pelo Mestre Zeca
    Autor de belíssimas canções
    Plenas de inspiração poética!
    :-):-):-):-):-)
    Beijinhos, Janita.

    ResponderEliminar
  18. :))

    Nas quadras o L.O.L. é campeão
    Na música o Luciano dá cartas
    Ambos têm fibra e coragem de leão
    E da minha amizade não os apartas…:)

    Beijinhos, L.O.L.
    Beijinhos, Luciano.
    ;)


    ResponderEliminar