sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

APEGO EM EXCESSO É UM ERRO.


 
A Máscara do Esquecimento e do Equívoco
 
Sob a máscara do esquecimento e do equívoco, invocando como justificação a ausência de más intenções, os homens expressam sentimentos e paixões cuja realidade seria bem melhor, tanto para eles próprios como para os outros, que confessassem a partir do momento em que não estão à altura de os dominar.
Sigmund Freud

Deve ser por esse motivo que dizem de boas intenções estar o Inferno cheio! Será?



 
Não é fácil desapegarmo-nos  das pessoas nas quais acreditamos, nem das coisas que pensávamos serem importantes na nossa vida. Mas, fica mais  fácil quando algo,de súbito, nos faz entender que, inexplicavelmente endeusamos pessoas que afinal não passam de  seres humanos  como outros quaisquer, óbvia e naturalmente.   Seres sujeitos a cometer erros para nós impensáveis e que afinal, nada possuíam de qualidades extraordinárias.
 Os Deuses não enlouquecem...simplesmente, não existem! :)
Equívocos a que todos estamos sujeitos, inclusivé aqueles que se consideravam experientes e avisados. Nem sequer é uma questão de boa ou má fé.  É aqui, que o desapego se torna imprescindível. Vem isto a propósito deste poema de Fernando Pessoa. 
 
A todos desejo um excelente fim-de-semana.
                                                                                    

19 comentários:

  1. "Ser livre, não tem preço!"

    É uma verdade, que nunca esqueço!!!

    Saudações da amiga de longe, que também te deseja um fabuloso fim-de-semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O vídeo "Fernando Pessoa - Praticando o Desapego" não posso ver na Alemanha.
      No entanto, eu não preciso de praticar o desapeso, porque sou por natureza muito desapegada.

      Eliminar
  2. Um excelente fim de semana para ti tb. Mais tarde ou mais cedo todos nós nos equivocamos.
    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Não vim comentar. estou um bocadinho sentido (leia-se "zangado") contigo. Já não comentei os outros posts anteriores.

    Gosto de brincar e procuro não ofender. Mas realmente não tenho tido muita sorte.

    Abraço
    (podes usar o mail se quiseres)

    ResponderEliminar
  4. Minha amiga, a vida ensina-nos tanto...

    Tem também um excelente fim de semana, eu vou tentar.

    Até para a semana.

    beijinho

    ResponderEliminar
  5. Olá, Janita!

    Os temas deste post davam assunto para uma semana-e não chegava...

    É verdade que as boas intenções nem sempre chegam, se não forem praticadas, tal como não há deuses na terra, nem devíamos pôr alguém num pedestal, assim como sermos desapegados seria talvez uma sensata forma de lidar com a vida.Mas nós somos gente com emoções, e nunca seríamos capazes de lidar com tanta racionalidade...que tiraria todo gosto à vida: O mau, mas também o bom, acho eu...

    Que seja bom o fim de semana, que já não é nada mau!
    Beijinhos amigos
    Vitor

    ResponderEliminar
  6. Segundo dizem o Freud também não era muito boa rês. Quanto ao que escreves, tenho para mim que são palavras sábias. Sem ter tido substanciais deceções, naturalmente por causa deste meu mau feitio de apenas ter endeusado o Eusébio no meu galarim de ídolos, já passei por ter que me desapegar de quem eu não esperava. Mas c'est la vie, minha querida e como dizia um primo meu, o que tem que ser tem muita força. Um grande beijinho, bom fim de semana e obrigadinho pelo Pessoa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem é que disse ao Vítor, que o Freud não era muito boa rês?

      Eliminar
  7. Olá Janita, toda a minha vida tentei...eu disse tentei...entender certas maneiras de estar e vida e certas coisas, que me iam caindo sem que para isso contribuísse. Pois é querida amiga... acabei por desistir, pois se calhar como dizem na gíria (sou lerda). Se de boas intenções está o inferno cheio então onde estamos a viver presentemente? Adoro Fernando pessoa e adorei o poema. A minha avó dizia, que as palavras têm que ser bem medidas e há por aí muito boa gente, que nunca usou fita e nem sabe o que é. Bom fim de semana e beijos com carinho

    ResponderEliminar
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  9. Há uma sabedoria que os anos me vão trazendo que me diz que devo amar o dito e não quem o diz. Assim, dou mais relevancia às ideias que a quem as produz
    (mas saber que existe a coerência deixa-me uma firme confiança nos homens...)

    ResponderEliminar
  10. A universidade da vida é aquela que mais cara se paga, é nela que aprendi e continuo a aprender a cada dia que passa, no entanto eu bem gostaria de ser desapegada, mas não sofro imenso porque tenho uma bolinha no meu peito que julgo ter defeito por não ter um interruptor para desligar e ligar consuante a necessidade.
    Bom fim de semana Janita

    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  11. Freud que vá dar banho ao cão!
    Na verdade isso não é uma máscara, mas sim outra coisa.
    É verdade que por vezes fazemos coisas que dão errado, sem a mínima intenção de errar ou fazer mal. Só erramos em relação aos outros porque:
    1 - não conhecemos assim tão bem a outra pessoa, porque não prestamos a devida atenção, ou porque a outra pessoa simplesmente não se deu a conhecer!
    2 - fizemos uma coisa que para nós é correcta ou porque está ao nosso gosto.

    A razão de errarmos é simplesmente porque somos humanos com gostos diferentes, com idiossincrasias e caminhos que embora possam ser paralelos a muitos outros não são os mesmo! Têm pedras, buracos e espinhos diferentes uns dos outros.
    As boas intenções não são uma máscara nem um desculpa como disse Freud. É na maior parte das vezes a tentativa de ser generoso com outra pessoa.

    ;)

    ResponderEliminar
  12. O inferno está vazio, ao contrário do que dizem. É que há muito tempo que o Diabo se reformou, tal a quantidade de almas que lhe mandavam, não havia quem aguentasse. Beijoca!

    ResponderEliminar
  13. O Freud é um dos meus escritores favoritos de ficção científica...

    ResponderEliminar
  14. He intentado en muchas ocasiones entender el comportamiento de las personas,y las encuentro como yo me encuentro,un poco pasotas no desean tener problemas solo desean tener siempre buenas sensaciones.

    Saludos

    ResponderEliminar
  15. Janita Amiga
    É um prazer os ler os seus bem elaborados posts, cuja interpretação acarreta, por vezes, um certo grau de dificuldade.
    As experiências que vamos passando na vida ensinam-nos e tornam-nos pessoas com uma maior sabedoria. Mas, quando se vive no arame é que são elas e não há desapego que nos valha.
    Bj amigo

    ResponderEliminar
  16. Todos os excessos, são o maior erro do homem.
    Um beijinho grande minha querida Janita!

    ResponderEliminar
  17. Muito obrigada pelos Parabéns no Crónicas on the rocks
    um beijinho
    Gábi

    ResponderEliminar