quinta-feira, 25 de julho de 2013

AUSÊNCIA.

Foto Minha




Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada.

Aconchegada nos meus braços,
Que rio e danço e invento exclamações alegres,
Porque a ausência, essa ausência assimilada,
Ninguém a rouba mais de mim.
 
Carlos Drummond de Andrade


  
 
 
Continuação de excelente semana para todos, minha gente!:)
 
 
****************************************************************** 

31 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigada, João.
      Outro grande para ti.:)

      Eliminar
  2. Janita, boa noite!
    É sempre bom ler Carlos Drummond de Andrade.

    Beijinho,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite, Ana!

      Ler os belos poemas que a Ana escreve, não é menos bom.
      E, olhe que o digo com sinceridade.

      Beijinho.
      Grata pela sua presença, Ana!

      Eliminar
  3. Com a poesia de Carlos Drummond de Andrade a música de Leonard Cohen não há como não ficar bem disposto, Janita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode ser, Pedro, mas nem sempre.
      Há músicas e poesias que nos ocorrem quando nos encontramos mais nostálgicos.
      Felizmente, os estados de espírito são um pouco como as marés...

      Beijinho.

      Eliminar
  4. Susana Miranda25 julho, 2013 16:37


    Janita, boa tarde!

    Duas brilhantes escolhas…continuação de um fabuloso dia…

    Beijinhos
    Susana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite, Susana!

      O dia não foi fabuloso, mas espero que a noite seja reparadora:)

      Beijinhos, Susana e obrigada pela tua presença constante e animadora.

      Eliminar
  5. Olá Janita,

    Se houver demasiadas "ausências" na nossa vida, mesmo assimiladas e aconchegadas, a brancura que delas emana transforma-se num nevoeiro cerrado e o branco deixa de ser tão branco...

    Abraço grande

    P.S. Gosto de Leonard Cohen, música simples, poemas complexos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Argos, meu amigo,

      Aprender a viver com as ausências inevitáveis, pode ser uma aprendizagem difícil e dolorosa, mas creio que precisamos criar defesas para podermos sobreviver. Talvez essa brancura que se aninha em nós, não chegue a transformar-se no nevoeiro cerrado que nos faz perder o norte. Será mais a recordação de algo só nosso e nos faz inventar novos sonhos e alegrias.

      Acho, acredito, que os poemas de Cohen são mensagens que temos de saber interpretar, por isso nos parecem mais complexos.

      Beijinhos e um abraço.

      Eliminar
    2. Sobreviver?
      Viver, Janita, viver!

      Abraço grande

      (aquilatar da falta que os outros sentem de nós? Se for preciso uma ausência para isso...)

      Eliminar
    3. Tens razão, Argos! VIVER...e intensamente! Senão de que vale a Vida?

      Não! Nem penses em ausentar-te! Eu já sinto a tua falta se não vieres aqui...imagina!
      Eu não me expressei bem na minha resposta à Flor!:(

      Beijinhos!:)

      Eliminar
    4. Eu é que não me expressei bem, queria dizer é que se os "amigos" precisam de experimentar a nossa ausência para sentir a falta...

      Abraço grande

      Eliminar
    5. Se nós sentimos falta deles, quando se ausentam, é suposto que a nossa ausência os faça sentir falta de nós, se forem nossos "amigos"...

      Beijinhos!

      Eliminar
  6. Excelentes escolhas, gostei muito!
    Espero que não vá existir uma ausência da tua parte amiga.

    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, querida Adélia.

      Ainda bem que gostaste! Sabes que as ausências também servem para aquilatarmos da falta que os outros sentem de nós e vice-versa, claro.
      Da minha lista de blogues amigos, mais de metade, ou fecharam o blog ou estão em pausa ou pura e simplesmente deixaram de postar há meses. Esse abandono faz-nos sentir mais isolado. Felizmente, vão aparecendo novos amigos com quem nos vamos identificando e criando laços de amizade.
      Se assim não fosse, seria como caminharmos no deserto...

      Espero que estejas bem, Flor!

      Beijinhos.

      Eliminar
  7. De um álbum chamado "Absence"...
    http://www.youtube.com/watch?v=Yd8kPDg6vo8

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Ricardo!
      Hoje já é muito tarde, mas amanhã, ou melhor mais logo, na hora de almoço, irei ouvir e depois te direi a minha opinião.:)

      Beijinho e boa noite.

      Eliminar
    2. Adorei a canção Ricardo, obrigada!:)

      Já deixei resposta no teu/nosso "Pacto...":)

      Um beijinho.

      Eliminar
  8. Vim deixar um beijinho e dizer que gostei muito do comentário, obrigada!

    Ana Martins

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora, Ana Martins, nada que a minha amiga não mereça!

      Beijinho.

      Eliminar
  9. Olá Janita! Vim agradecer esse poema lindo que você publicou, eu não conhecia. Não tenho postado muito nem visitado muitos blogs, ando meio preguiçosa, mas foi muito bom passar por aqui. Um beijo, Anamaria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, minha querida Anamaria, preguiçosa e sem grande ânimo ando eu!
      Ando em falta com as minhas visita ao teu lindo "atelier" e preciso colmatar essa falta urgentemente.

      Obrigada pelas tuas carinhosas palavras e mando um grande beijinho de amizade para ti, Anamaria.

      PS: O nosso amigo Hugo também é um dos que levou sumiço! Ele que gosta tanto de música nem nos conta nada dos Concertos que tem visto...digo eu!

      Eliminar

  10. Eu preciso apenas de um abraço teu,
    nesse dia tão especial para mim.
    Penso que à minha volta nada muda, compete a nós
    todas as mudanças para cada dia sermos
    um pouco mais felizes.
    Lembre-se, Deixe marcas de amor por onde passar
    tenha certeza cedo ou tarde colherá os frutos
    daquilo , que semeou no longo da sua vida.
    Dê amor , carinho, seja fiel às suas amizades
    Leve no coração o maior sentimento ,
    Aquele que tem o poder de mover o mundo.
    A fé e a esperança de um mundo de amor e paz.
    Mesmo que por vezes me sinta mais velho,
    esse é o momento de praticar aquilo , que
    Deus traçou para cada um de nós.
    Na postagem deixei uma lembrança para você.
    Beijos ! Deus está contigo e comigo
    Evanir..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, querida Evanir!

      Estas tuas belas mensagens de esperança, fazem-nos acreditar que há sempre uma Luz no fundo do túnel.

      Beijinho muito grato.

      Janita

      Eliminar
  11. Olá, Janita!

    É muito bem construído, e não menos intrincado... este jogo de palavras que Carlos Drummond transformou em poema. Ausência e falta, são sentimentos que por vezes se confundem, outras se sobrepõem, querendo dizer o mesmo;e noutras não.No fundo, falta e ausência sempre quererão expressar o não termos por perto, ou mesmo ao longe,alguém...

    E se o Leonard,melancólico e nostálgico, fosse Português, certamente que cantaria o fado...e muito bem.
    Bonito post!

    Beijinhos amigos e bom fim de semana; fica bem.
    Vitor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Vitor!

      Os poetas são pessoas como nós e como na vida nem tudo são flores, também vivem situações inusitadas e têm momentos de cansaço e desânimo.
      Por vezes, ao lermos um poema dá-nos a ideia que as palavras não fazem sentido, mas a interpretação estará sempre na forma como cada um de nós encara esse lapidar de palavras a que chamamos poesia.
      Eu, por exemplo, acredito que pode haver ausência sem falta e falta sem ausência...não sei se me fiz entender!

      Mesmo sem ser português, creio que o Leonard Cohen, tem sensibilidade e nostalgia bastante para cantar o fado! Assim ele quisesse...:)

      Beijinhos e bom fim de semana, Vítor.

      Eliminar

  12. Definitivamente, não gosto de sentir a ausência. E, no entanto, a vida é tão cheia delas.

    Beijo

    Laura



    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A vida é feita de ausências que nos fazem falta e de outras que até nos sabem bem...
      Sentir a ausência de quem me faz falta, também não gosto, Laura...

      Beijinhos e bom fim de semana.

      Eliminar
  13. Minha querida

    As ausências magoam sempre e por vezes há ausências presentes que ainda doiem mais.
    Bom fim de semana

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida amiga.

      A propósito de ausências, quando estiveste longe do nós todos sentimos imenso a tua falta!
      Quanto à dor das ausências presentes que referes, é justamente o que eu disse ao Vitor, relativamente ao sentimento de falta sem que haja ausência!

      Um beijinho sem ausência nem falta de carinho, amiga Sonhadora!

      Eliminar