segunda-feira, 19 de maio de 2014

Ventos de Mudança.




"A criança que fui chora na estrada.
Deixei-a ali quando vim ser quem sou.
Mas hoje, vendo que o que sou é nada,
Quero ir buscar quem fui onde ficou."
( Fernando Pessoa)

 
Vou ali e já venho. Prometo não demorar!
 
 
*******************************************************************

22 comentários:

  1. Não demores!
    Só Fernando Pessoa para nos emocionar assim!

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Até uma "quadrinha poética" de Fernando Pessoa, soa como uma imensa poesia, por toda a maravilha que diz e toca à alma...
    Um beijo, Janita!

    ResponderEliminar
  3. Só mesmo os poetas sabem flutuar nas duas pontas desse cordão da vida. Lindo demais isso. Beijos, amiga sumida.

    ResponderEliminar
  4. para ir buscar essa criança, basta fazer umas asneiras ( brincar para as crianças).

    ResponderEliminar
  5. Acho que aqui Pessoa
    É uma pessoa normal
    Todos queremos a criança que fomos
    E ser nada é uma conclusão não final

    Um dia,
    seremos
    O que mais queremos

    ResponderEliminar
  6. Vamos procurar a criança que existe em nós!
    Com muita alegria e sorrisos, naturalmente!

    ResponderEliminar
  7. Comovida com o que li.
    Aguardo a tua volta.

    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  8. Olá, Janita!

    Difícil parece ter sido a separação, daquilo que se vai e já não vem.Coisa que acontece a tanta gente...mas a vida sempre foi assim.

    E quando voltares ainda por aqui estou.

    Beijinhos amigos e boa semana - e tudo a correr bem.
    Vitor

    ResponderEliminar
  9. Amiga Janita, desejo que esses ventos não te levem para longe nem durante muito tempo.
    Sabes que espero por ti.

    beijinho comovido


    “Quando os ventos de mudança sopram, umas pessoas levantam barreiras, outras constroem moinhos de vento.”
    ―Érico Veríssimo

    ResponderEliminar
  10. Vai e não te esqueças de voltar com a criança dentro de ti... :)

    Beijocas

    ResponderEliminar
  11. Só um Fernando Pessoa podia dizer tanto em tão poucas linhas.
    Acho, mas só acho, que o António Aleixo escreveu algo com o mesmo sentido.
    Um baraço amigo!

    ResponderEliminar
  12. É uma grande reflexão, eu gostei muito Janita. Um grande abraço e bom amigo para semana.

    ResponderEliminar
  13. Siempre será una verdadera ilusión encontrar al niño que nos hizo feliz.

    Si tardo en aparecer es por tener bastante quehacer.

    Saludos

    ResponderEliminar
  14. A todos os Amigos que estiveram presentes, durante a minha ausência, o meu agradecimento sincero.

    Vejo ali em cima, um sorriso triste! Cá estou! :)

    Espero que nenhum de vós tenha, entretanto, resolvido pausar...:)

    Beijinho e abraços para todos.

    É muito bom estar de volta ao vosso convívio!

    Janita.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E a criança, ainda lá estava?

      Eliminar
    2. Não, Daniel.

      Procurei-a por todo o lado, para lhe enxugar as lágrimas, mas perdi-me dela!

      Eliminar
    3. A minha anda sempre comigo.

      Eliminar