sexta-feira, 2 de outubro de 2015

OUTROS TEMPOS.

Esta é das poesias de António Aleixo, a que mais gosto e a que mais me diz!...


TELA DA AUTORIA DE CARLOS REIS, RECOLHIDA
DAQUI.


                                        A Gentil Camponesa

                                              Tu és pura e imaculada,
Cheia de graça e beleza;
Tu és a flor minha amada,
És a gentil camponesa.
És tu que não tens maldade,
És tu que tudo mereces,
És, sim, porque desconheces
As podridões da cidade.
Vives aí nessa herdade,
Onde tu foste criada,
Aí vives desviada
Deste viver de ilusão:
És como a rosa em botão,
Tu és pura e imaculada.

És tu que ao romper da aurora
Ouves o cantor alado...
Vestes-te, tratas do gado
Que há-de ir tirar água à nora;
Depois, pelos campos fora,
É grande a tua pureza,
Cantando com singeleza,
O que ainda mais te realça,
Exposta ao sol e descalça,
Cheia de graça e beleza.
Teus lábios nunca pintaste,
És linda sem tal veneno.

Toda tu cheiras a feno
Do campo onde trabalhaste;
És verdadeiro contraste
Com a tal flor delicada
Que só por muito pintada
Nos poderá parecer bela;
Mas tu brilhas mais do que ela,
Tu és a flor minha amada.

Pois se te tenho na mão,
Inda assim acho tão pouco,
Que sinto um desejo louco:
Guardar-te no coração!...
As coisas mais belas são
Como as cria a Natureza,
E tu tens toda a grandeza
Dessa beleza que almejo,
Tens tudo quanto desejo,
És a gentil camponesa 





Meus Amigos, a todos desejo um excelente
 FIM-DE-SEMANA


«««««««««««««««««««««««««««««««««««««

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


24 comentários:

  1. "Teus lábios nunca pintaste,
    És linda sem tal veneno.

    Toda tu cheiras a feno"

    (lindo, isto)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De uma simplicidade que dói, de tão bela, não é Rogério?

      Poetas, são Poetas, seja chamados populares ou eruditos.

      António Aleixo é especial, para mim!

      Um abraço amigo!

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Ao alto e em uníssono , meu Amigo!

      Um beijo

      Eliminar
  3. boa tarde Janita, uma bonita surpresa esse poema sobre a beleza que a mãe natureza cria, mima e aconchega, até as filhas dos homens muito lhe devem
    beijinhos
    Angela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A beleza que mais cativa é a natural, sem artifícios. Angela!
      A maquilhagem, em excesso, estraga aquilo com que a natureza dotou a Mulher.
      Embora, hoje os tempos sejam outros...:)

      Beijinhos.

      Eliminar
  4. Não vale a pena sustentar uma longa apreciação a mais um excelente trabalho de António Aleixo.
    20 pontos porque não posso dar mais.

    Bom fim de semana, Janita. Beijinhos de um cidadão em pleno estado de ... reflexão :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo, António,

      20 pontos numa escala de a zero a vinte..É a pontuação merecida!! :)

      Estás em estado de reflexão? Olha, eu não! Já está tudo reflectido há muito tempo...

      Bom fim de semana também para ti , meu Amigo!

      Amanhã falamos mais!! :-)

      Beijinhos.

      Eliminar
  5. Também gosto Janita!

    Tem um bom fim de semana também.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um poema muito doce, Flor!
      Na minha ideia acho que é uma homenagem à simplicidade - tão apreciada pelo poeta - que existia na mulher campesina.

      Um beijinho e tem um excelente Domingo.

      Eliminar
  6. Olá, Janita!

    Obrigado pela visita e palavras amigas deixadas.
    “Barco parado não faz viagem”, é ditado antigo e também grande verdade.Neste caso não por causa da embarcação, mas antes pelo rombo sofrido no ânimo por parte do barqueiro: que somando as mazelas da mãe às suas ficou como que sem vontado e disposição para nele navegar.Nada que mate, no meu caso, mas que ainda assim tende a atrapalhar a vida, tornando difícil o que antes se tinha por fácil.As da mãe, mais sérias, trazidas pelo peso dos anos, e que a fazem desanimar e perder o gosto por estar viva…De modo que não sei quando aqui voltarei, ainda que sinta saudades…mas certamente que esse dia há-de chegar.
    E por agora despeço-me, agradecendo o bonito gesto de teres perguntado por mim, com beijinhos amigos e votos de muita saúde e boa disposição.

    Com um abraço amigo.
    Vitor

    PS: E o teu cantinho continua bonito e acolhedor, como sempre…

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu grande e estimado Amigo Vitor.

      Quando aqui te vi fiquei com lágrimas nos olhos!
      Quis deixar que voltasses quando pusesses e quisesses, sem sentires nenhum tipo de 'pressão'.
      Mas as saudades eram muitas e não resisti a ir dar-te um empurrãozinho!

      A bem da verdade, não tinha muita esperança que saísses da tua 'zona de conforto' - como agora é moda dizer-se - daí a minha enorme alegria e emoção ao ver-te aqui de novo. Bem-hajas, meu Amigo.

      Quanto aos problemas da senhora tua Mãe, resultantes da sua avançada idade, o que posso dizer-te é que lhe dês todo o apoio enquanto tens a bênção de a teres a teu lado.
      No que ao Barqueiro diz respeito, tem mais é que segurar no leme e dirigir a embarcação rumo aos lugares onde moram todos os que o estimam, respeitam, admiram e sentem a tua falta!

      Fico à tua espera e podes contar com a minha presença lá no Cais onde ancoraste a embarcação.

      Fico tão contente por te sentires bem neste Cantinho que também é teu; e de todos quantos têm sido a razão da minha permanência por cá!

      Resta-me agradecer-te a boa vontade e amizade que sempre senti ser retribuída.

      Um beijinho muito amigo, Vitor. :)



      Eliminar
  7. Lindo lindo!
    E acompanhar o poema ao som de acordeão ainda lhe dá mais encanto.

    Beijinhos de bom fim de semana
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Afrodite, em nome do poeta!
      Sabes que tive muita dificuldade em ouvir a som que acompanha as legendas, no vídeo? Tanto assim, que nem consegui identificar o som do acordeão! :(
      Ando muito desanimada...

      Um beijinho muito grande e amigo, para ti.

      Eliminar
  8. Olá Janita ! ... Sabes que se não o dissesses eu não fazia a menor ideia de quem seria o autor ?! ... Tão bem conheço aquela enorme variedade da sua mais conhecida obra poética e no entanto "essa" é uma pequena parte da sua obra literária !

    É caso para se levantar a questão do que é "ser-se analfabeto ou semi analfabeto" !... Será que tamanha sapiência expressa e transmitida na sua obra não contradiz totalmente o conceito ? ... Afinal, o que é ser-se analfabeto ? ... Grande sabedoria tem tanto desse povo anónimo que por aí anda e que nós não valorizamos e chegamos até a desprezar por falta de instrução !
    ... Mas uma coisa é não ter "instrução" e outra bem diferente é ter-se um verdadeiro conhecimento da vida e das suas coisas ! ... e muito especialmente (como é o caso), saber expressá-lo por escrito e com qualidade poética ! É notável !

    Para ti também, minha amiga, um excelente Domingo ! :)

    Um Grande Abraço ! ... e obrigado !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Rui,

      Este poema já é conhecido, embora o sejam mais, as quadras. Como tenho os dois livros dele, um editado pelo próprio e o outro com o título "Inéditos", já publicado pelo filho, em 78... quando calha e a nostalgia me invade, lá sai mais um poema deste homem admirável que, só após a sua morte, vimos o seu talento ser reconhecido.

      Instrução sem sensibilidade, de nada serve! Há pessoas que nasceram pré-destinados a uma grandeza que lhe foi concedida, na hora de virem ao mundo!

      Obrigada, pelas palavras amiga e animadoras, amigo Rui! :)

      Um excelente Domingo também para ti.

      Beijinhos! :)

      Eliminar
  9. Pois, é que acho que na cidade dizer a uma mulher que cheira a feno, não será o melhor elogio... sorry

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :))))

      ...pelo menos fiquei com a certeza que leste o poema todo! :)

      Não precisas de "sorryar", porque tens toda a razão. Se alguém me dissesse que cheirava a feno levava logo um tabefe! Eheheheh

      Também é preciso ver que não sou nem gentil nem camponesa! ;))

      Até logo...Já estou mais que atrasada...Mais tarde seque o resto.

      Eliminar
    2. Eu ler um poema até ao fim... é quase motivo para celebrar... lol

      Por outro lado, mesmo se uma rapariga for do campo, não sei se será um bom elogio referir aromas do campo. Ou pelo menos todos. "Estou apaixonado por ti, esse teu cheiro a estrume é maravilhoso"...

      Eliminar
    3. Mas, olha, que nem todo o feno- quando entra em decomposição - serve para estrumar o campo!

      Este feno grego tem qualidades terapêutica óptimas. Até eu vou experimentar! Primeiro tenho de concentrar, esse tal feno grego!!

      http://www.plantasquecuram.com.br/ervas/fenogrego.html#.VhmieuxViko

      As coisas que se descobrem ocasionalmente!!...:)

      Janita

      Eliminar
    4. É engraçado como se começa a falar de poesia e acaba-se a falar de estrume... lol

      Quanto à página que descobriste, as pessoas alimentam-se uma vida inteira de coisas que fazem mal e depois querem remendar comendo umas ervas mas continuando a comer tudo o resto...

      Eliminar
    5. Pois...

      Lá em cima, onde está escrito 'concentrar' lê encontrar...estás a ver, não estás??

      :)

      Eliminar