sexta-feira, 27 de maio de 2016

UM LIVRO É....


Um livro é uma homenagem,
um testemunho, um desafio,
um tesouro, um fantasma,
uma perturbação, uma viagem,
um jogo, uma obsessão,
uma visão, uma loucura…
...e muito, muito mais!


Este postal trazia recomendação escrita de que a reprodução estava interdita. Estarei a incorrer em infracção?  Será que o postal já não é uma reprodução?  A tela? É de Magritte! Porquê esta amiga fez questão de sublinhar : «Don't forget it?»







44 comentários:

  1. Um postal é tudo isso mais o que não disseste.
    Gostei!
    Beijinhos, Janita.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu querido...Observador!
      Tudo o que 'digo' não é em homenagem ao postal e sim, ao Livro.( na generalidade)

      O postal veio à liça porque nele está um livro. Menos visível e em segundo plano, mas está lá.
      Com a redescoberta desta colecção de postais - que se não fora a rubrica criada pelo CBO ficaria para sempre no fundo do baú - volta e meia, publico um.:)
      Na impossibilidade de os digitalizar, tenho que os fotografar. O que lhes retira muito do brilho original.

      Beijinhos, António. :)

      Eliminar
  2. Um livro é tudo isso e tem tanto para nos dar!

    Recordaste-me um episódio com a minha filhota mais velha quando pequenina, olhou para o livro "Guerra e Paz" que eu andava a ler, ela olhou para o pai e perguntou "ó papá pa queque a mamã quel um libo tão maiol".
    Recordaçõs :)

    Beijinho amiga

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A tua filhota tinha razão, «Guerra e Paz» é mesmo dos mais 'maioles' livros, Adélia. :)
      Esse ficou-me atravessado, porque o comecei a ler e antes de terminar tive que o devolver. Tinha sido uma pessoa amiga da minha irmã que mo emprestou. Há quantos anos isso foi...
      Nunca mais tive oportunidade nem desejo de retomar a leitura.
      Recordações, mesmo, Amiga Flor!

      Beijinhos.

      Eliminar
  3. Sim, Janita.
    Um livro é um tesouro que traz o conhecimento de outras verdades, por isso foi queimado na fogueira e, por um livro há quem vá parar à prisão.
    Pena que, muitos de nossos jovens não descubram os verdadeiros encantos do livro.
    bom fim-de-semana
    bj amg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, Carmem!
      Até poderia referir o nome de alguém cuja vida ficou destruída por ter escrito um livro. E não há muito tempo!

      Realmente é uma pena que a maior parte da nossa juventude leia tão pouco. Vejo isso pelo meus netos. Depois ficam com um vocabulário reduzido ao trivial.

      Obrigada, Carmem.
      Beijinhos e bom fim de semana

      Eliminar
  4. Valha-me a Virgem Maria, que hoje alguém azucrinou a Janita, cousa que não deve ser feita sem sanção adequada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ehehehe

      Não José, ninguém me azucrinou e agora até me fez rir.
      O que já não é cousa pouca, diga-se! :)

      Sabe que também vi o filme "Desaparecida"? Há-de lá
      a ir ver a minha resposta no vídeo sobre os westerns.
      Há cada coincidência. Ou isso não existe e o que existe tem outro nome? Não sei...

      Um beijinho e bom fim de semana.

      Eliminar
  5. Um livro é um amigo...
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso o mesmo, Papoila.
      Um amigo sempre fiel e disposto a fazer-nos boa companhia.

      Beijinhos! :)

      Eliminar
  6. Ui, Janita! Nem me fales em livros! Hoje fui à livraria "cheirar" os livros e tive vontade de trazer p'raí uns dez... O pior é que, além do dinheirame, quando é que os ia ler? Tenho uma data deles em espera...

    Beijinhos livrescos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O pior é não ter espaço.

      Eliminar
    2. Também comecei a ler "Um Postal de Detroit" e não me está a entusiasmar lá muito.
      Vamos ver se o levo ao fim, porque o único que deixei a meio, de livre vontade, foi um de Saramago!!

      Beijinhos, Graça, bom fim de semana! :)

      Eliminar
    3. A falta de estantes também é um problema, Teresa, mas eu vou metendo em caixas os já lidos e relidos e arrumo-os no sótão. Quando lá vou remexer, surpreendo-me sempre com os achados que faço. Já me aconteceu com um livro, velhinho, velhinho, de Rentes de Carvalho. Fui pesquisar na Net e qual o meu espanto quando descobri que ele tinha um blogue. O "Tempo Contado" que sigo e leio sempre com imenso prazer.
      Fiz um post sobre isso, não sei se leram.

      Beijinhos, Teresa

      Eliminar
    4. Já não tenho paredes para tantas estantes. Como não tenho sótão, tenho sim uma cave, não posso levar para lá os meus livros, por causa da humidade. Tenho que me separar de muitos, muitos livros, essa é a razão, porque os livros são para mim um penoso fardo.

      Li sobre o Rentes de Carvalho no blogue do Carlos.

      Beijinhos e bom fim de semana.

      Eliminar
  7. Um livro é um penoso fardo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penoso fardo seria quando eram de 'Leitura obrigatória' e não entusiasmavam.
      Porque dizes isso, Teresa?
      :)

      Eliminar
    2. Nunca houve para mim "leituras obrigatórias". Sempre amei ler os chamados livros difíceis.

      O meu apartamento afunda com tanta livrarada, dizem os meus filhos, outros familiares e amigos.

      Um penoso fardo é eu ter de me separar de uma grande parte da minha biblioteca.

      Eliminar
  8. Já lá fui e já comentei o comentário. Dom João I diz-lhe alguma coisa?
    Livros... O problema maior é onde os colocar e, depois, querer (re)ler um e não se sabe onde está. Há um único livro que não acabei (melhor, só comecei) de ler. Tenho-me prometido regressar, mas ainda não criei coragem: o "Ulisses". Outros houve que fiz questão de terminar e, em todos eles, foi positivo o esforço. Já agora, qual o livro do Saramago cuja leitura não conseguiu terminar?
    Um bji.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já lá irei ler.
      D. João I ? Da primeira Dinastia lembro-me bem de todos e até dos cognomes, mas acho que este rei foi o primeira da Dinastia de Avis. Mas porquê? Por ter tido o cognome de o de "Boa Memória"? :)

      Já estou farta de levar nas orelhas por causa do livro de Saramago, mas é verdade, que hei-de fazer?
      Pois o dito cujo foi "Levantado do Chão". Como se tratava de um livro sobre uma família do Alentejo, foi esse que escolhi da extensa colecção que o meu genro tem do Saramago.
      Não estava preparada para aquele tipo de escrita sem pontuação nem diálogos.
      Quando comecei a ficar literalmente enjoada, parei.
      O pior é que nunca mais lhes peguei.
      Mas da sua poesia gosto, e muito. Vá lá entender-se isto...

      Um beijo! :)

      Eliminar
    2. E de repente
      decidi escrever outro livro
      (aliás, já o tinha prometido)

      Eliminar
    3. Então, não vai partilhando connosco os rascunhos do novo romance, Rogério?
      Lembra-se como foi bom partilhar com os amigos, os rabiscos "D'Almas que não foram Fardadas"?
      Ficaremos a aguardar.
      :)

      Eliminar
  9. Nao podemos passar sem livros... ora essa! : )
    O Rogerio vai escrever outro livro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não mesmo, Catarina!
      Os livros são o alimento da alma.
      Olha que boa notícia o Rogério mos dá assim de chofre...:)

      Beijinhos

      Eliminar
  10. Um livro pode ser uma janela num espaço limitado.

    Abraço grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou uma janela aberta para o infinito, Ricardo!

      Um livro pode ser tudo o que quisermos que seja e tu sabes isso. Amas os livros tanto quanto eu!

      Alguém me disse que um livro é como uma estrela. Eu diria mais: uma Estrela que nos pode conduzir a um porto de abrigo só nosso, quando nos sentimos perdidos e sós.

      Um Grande abraço e muitos beijinhos! :))

      Eliminar
    2. Janita?

      Obrigado, aprendi imenso com esta tua última publicação.

      Abraco grande e obrigado por me deixares ser teu amigo e partilhar dessa tua humildade e "fair play"

      Eliminar
    3. Bondade tua, meu querido Amigo!
      Tu é que me tens ensinado o valor imensurável que nos chega das pequenas coisas. És um Grande Amigo e um Grande ser humano que me honra com a sua amizade!

      Beijinhos :)

      Eliminar
  11. "A reprodução interdita" é o nome dessa pintura que o Hugo Nofx tem na parede do quarto dele (recorte de uma revista qualquer)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, Anónimo/a, que cabeça a minha, sempre nas nuvens. :)

      Voltei a pegar no bilhete-postal e, para além das palavras iniciais,"Don't forget it :REPRODUCTION INTERDITE", há os cumprimentos da praxe e notícias pessoais.

      O que não li nem me preocupei em ler, foram as palavras em rodapé, inclusas no postal. Se o tivesse feito antes de o publicar já saberia.

      René Magritte, La Reproduction Interdite, 1937-39. huile sur toile. ( seguem-se as dimensões da tela.)

      Por outro lado, ainda bem que fui descuidada. Caso contrário este comentário não teria razão de ser e eu é que ficaria a perder.

      Pois...Por andará esse "maroto" do Hugo Nofx?
      Já sentimos saudades, Hugo!

      Beijinhos e obrigada ( para quem aqui esteve )

      :)


      Eliminar
  12. Gosto muito de ler, embora ultimamente tenha que me sujeitar à leitura imposta pelas disciplinas que frequento na Universidade Sénior. Menos mal que exceptuando as viagens na minha terra, Que tive de reler, todos os outros foi primeira leitura.
    Mas tenho aí uma série deles para ler. Dois ou três vou levar quando for de férias.
    Também tenho um livro que deixei a meio "O inventor das lágrimas" de Luís Carmelo. Li e reli um bom bocado mas não conseguir entrar naquilo que ele tinha para me dizer.
    Um abraço e bom fim de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, Elvira, essa é a tal "leitura obrigatória". Aquela que era imposta nas escolas.
      O autor que refere não conheço, nem o livro que não leu até ao fim.
      O mal de recebermos livros como ofertas de Natal ou aniversários, é não serem escolhidos por nós, depois tanto podem ser de leitura agradável como uma grande seca.
      Gosto de ser eu a escolher os livros que leio.

      Como não sei se irei de férias, ainda não pensei nos livros a levar.:)

      Beijinhos, bom fim de semana, Elvira.

      Eliminar
  13. Não é o postal que é de reprodução interdita, Janita !
    "Reprodução interdita" é o nome de um quadro em exposição no Museu de Roterdão, no qual está representado um espelho que reflecte um livro e um homem, só que este não "reflectido" no espelho (reprodução interdita a do homem, Edward James, quadro pintado por René Margritte em 1937), mas sim visto tal como visível nesse postal ! O postal representa esse quadro.
    Neste link tens toda a informação :

    http://trans-ferir.blogspot.pt/2008/03/reproduo-interdita.html

    Quanto ao livro, sim, é isso tudo e ainda mais, claro !

    Beijo e bom fim de semana ! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é Amigo Rui!

      Depois de casa roubada trancas à porta - como diz o ditado - :))

      Como podes ler acima na minha resposta ao Anónimo/a, já está tudo esclarecido.
      Agradeço-te o link desse site que hei-de ir ver com tempo.

      Lá fui eu pegar novamente no postal e há a indicação da Fundação Edward James, que penso ser o local onde está exposto quadro.

      Obrigada, Rui! Nada como termos amigos sempre prontos a elucidar-nos e/ou a pesquisar por nós! :))

      Beijinhos, bom fim de semana, agora que a chuva abrandou!

      Eliminar
  14. A vida é uma biblioteca nem sempre publicada

    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quanto do que a vida escreve fica por publicar, Mar?
      Tanto, mas tanto!

      Beijinhos

      Eliminar
  15. Indispensáveis, os livros. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tão necessários para a alma como o pão para a boca! :)

      Beijinho e bom passeio de domingo, Luísa!

      Eliminar
  16. Janitamiga

    Que estória é essa dum pseudo copyright? O Mundo está maluco, mas essa tua amiga bem podia auto excluir da maluqueira...

    Sobre livros só tenho de dizer que gostava de os ler todos mas...:-)))

    O Cantinho da Janita já está na Nossa Travessa Era impossível estar zangado contigo, mas também era impossível eu chegar no meio do tsunami que houve na minha parte da blogosfera... Mas, agora já não há merdas - espero...

    Bjs da Lampiona & qjs do Leãozão

    + E agora como sempre espore-te na www.anossatravessa.blogspot.com. Oxalá nºao me f... oops, lixem outra vez

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. HenriquAmigo,

      Acabou-se a vida boa, que levaste lá por Goa?
      Também espero que as trapalhadas em que te viste envolvido, tenham chegado ao fim, e bem que te deram água pla barba - se a tivesses - ehehehe

      Não escrevas tu testamentos e conta comigo para te ler e 'opinar'.

      Quem é a Lampiona? A tua Raquel é assim a modos que um lampião, iluminando tudo ao seu redor...será ela?

      Beijocas para ambos e muita saúde.

      Eliminar
  17. E poderia ser depois uma infracção copiarmos a fotografia do postal :)
    um beijinho e um bom Domingo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Imagina qual seria a sanção a aplicar, Gábi! Livra!

      Pelo sim, pelo não, coloquei o postal quase a meio da mesa para salvaguarda futura. :))

      Beijinhos e feliz Domingo.

      PS- Se quiseres ver mais postais meus, vai ao blogue do CBO, o Crónicas do Rochedo. Estão lá mais dois 'patentes ao público'. Aproveita e participa.

      Eliminar
  18. O livro é também um objecto a ganhar pó na estante.

    Também tenho rendas desse género cá em casa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A solução? Passar todos os dias com o espanador. O pó sai dos livros e vai pousar noutro lado, mas é o mesmo. :)

      Referes-te à toalha que está na mesa? lol
      Acredito que sim. :) Esta tem um enorme valor estimativo.
      E tenho mais, vê lá!!

      Eliminar