terça-feira, 7 de março de 2017

A VOZ DO MAR.


O Artur sentiu sobre a orelha uma coisa muito fria, com um som...
- O que é, mãe?
- Não ouves?
Sim, ouvia. Era um som pesado lá ao longe e que depois vinha, vinha e subia, e que depois se tornava mais brandinho, para logo voltar a vir de longe. Parecia música, mas não era bem música. E talvez fosse. Bom, não seria bem música.
- O que é, mãe? - Voltou a perguntar. - Que barulho é este?
- É o mar... É a voz do mar...
- A voz do mar?!
- O mar fica longe, mas a voz meteu-se aí dentro. Isto é um búzio.
- E onde nascem os búzios?
- No mar.
-Então é por isso que se ouve...
- Pois é. As ondas fazem um barulho assim quando se ouvem ao longe. E a gente está longe. Não ouves a voz que lá vem?
- Oiço.
- E depois quebra-se assim como as ondas na areia.
- Então isto é o mar? O mar é o oceano. No mapa chamam-lhe oceano. Parece que há vários... Eu já ouvi aos que andam no quarto ano: é o Oceano Atlântico, o Oceano Índico...
- Não achas que mar é mais bonito?
- Pois é, mar é muito mais bonito.
De repente, fechou os olhos e juntou as duas mãos sobre o búzio, apertando-o contra o ouvido.
- Agora deve ser um navio que lá vem. É mesmo, é, é um navio...
A mãe aproximou o ouvido, desviando o lenço.
- Não ouves?
Não, a mãe não ouvia. Mas o importante para ele era ter o mar apertado entre as mãos. Lá vinha uma onda...e outra...



Alves Redol, Histórias Afluentes 


[ Texto repescado de uma publicação de 2013 ]



«««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»


28 comentários:

  1. E que lindo é som do mar, mesmo que num búzio, aquele que me trouxeste e eu em cima da cama o puzio ahahahahah

    Boa noite Janita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O adiantado da hora fez-te variar, mulher!! ;))

      Em cima da cama o puseste?
      Mas era para colares ao ouvido!
      Não ouviste a Voz do Mar
      Um sonho mágico perdido…!!

      :)) Beijos, Noname!

      Eliminar
  2. Há coisas que só as crianças vêem, sons que só as crianças ouvem.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os adultos podem até olhar, Pedro, mas não ouvem nem vêem
      com o mesmo encanto das crianças.

      Beijinhos, boa semana.

      Eliminar
  3. Fui ao mar
    APanhei um búzio
    Vim pra casa
    Em cima da mesa
    Púzio


    Sou poeta rimaadora...
    Tão presente, eu que adoro búzios e punha Tb no ouvido para ouvir o mar, embora ele estivesse ali ao virar da esquina
    Kis :==}

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até pareces uma alentejana a fazer versos, AvoGi:

      Perdia a minha galinha
      Lá prós lados da Várzea
      Se lá fores e a vires:
      Trázea!!

      Kisses.

      Eliminar
  4. Um som muito calmante, o do mar.

    Um bom dia para ti com sons maravilhosos.
    Bjos : )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já passei um mês numa casa frente ao mar, em Leça da Palmeira.
      De noite, o barulho do rebentar das ondas na praia, dificultava-me o conciliar do sono. Depois, habitei-me, quando regressei a casa, senti imenso a falta da voz do mar...:)

      Uma óptima semana, Catarina.
      Um beijo.

      Eliminar
  5. O Redol é dos escolhidos.
    Onde li isto... tantas vezes...
    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Alves Redol, o eleito do povo, mas marginalizado pelo antigo sistema. Quem o não leu?

      Beijo, Agostinho!

      Eliminar
  6. Búzios?
    Umas vezes como-os
    outras
    oiço-os

    Redol é meu irmão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os búzios são duros de roer,
      mais apropriados para ouvir
      o marulhar das vagas do mar
      pra ler a sina
      ouvir a profecia da cigana
      e com eles o futuro saber.

      Irmão?
      Acredito mais que fosse
      um bom camarada.

      Eliminar
  7. Também ouvi o mar numa concha (um búzio?) e li o Alves Redol (quem não leu?)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico contente por saber que também desfrutou desses pequenos/grandes prazeres da vida. Eu também, e até tenho um búzio enorme no parapeito de uma janela que, com pena minha, não é virada para o mar...

      Um beijinho e uma boa noite. :)

      Eliminar
  8. Lembro-me tão bem da primeira vez que meu pai me deu um búzio para eu ouvir o mar. E eu julgava que o mar era aquilo que se estendia á minha frente. E o pai aproveitou para explicar a diferença entre o mar e o rio.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom, Elvira! Ter tido na sua vida um pai tão amigo e dedicado. Essa dádiva não há abastança que pague ou compense.
      Um abraço.

      Eliminar
  9. Gosto muito de Alves Redol, gosto do mar, gosto do som do mar nos búzios.

    Abraço grande grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu gosto de ter um amigo que gosta das coisas boas e simples da natureza, Ricardo.
      Gosto de ti e do que tu gostas.

      Um enorme e forte abraço.

      Eliminar
  10. Respostas
    1. Aqui, ficamos a saber o mistério que nos traz o som do mar, O Puma. Quer ver?
      http://www.ultracurioso.com.br/por-que-ouvimos-o-som-do-mar-nas-conchas/

      Beijinhos. :)

      Eliminar
  11. Mais um livro que ainda não li e vou tentar encontrar :)
    (uma vez em criança tentei ouvir o mar num búzio, mas não consegui)

    um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se leres o link que deixei em cima ficarás a saber melhor porque dizemos ouvir os sons do mar na concavidade de um búzio.

      Um beijinho, Gábi. :)

      Eliminar
    2. Primeiro fui procurar o link no post, depois é que percebi que estava na resposta ao comentário anterior :) segui oo link e já percebi que tenho de tentar novamente ouvir qualquer coisa e num local onde haja muitos sons :)
      obrigada e um beijinho, Janita :)

      Eliminar
  12. Também já ouvi o mar numa concha... :)
    E gostei também da foto, Janita. Parece um mar pintado. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. És um doce, Luísa. Obrigada! :)

      Beijinhos

      Eliminar
  13. O texto é do Alves Redol, mas até chegar ao fim, e antes de ver o nome do autor, pensei que fosse teu, Janita. É que tu escreves bem e com sentimento.

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, A.C. não me mimes tanto!! ;))

      Saber bem, sabe, mas não mereço. Embora reconheça que se parece com um texto que escrevi para o meu neto e participei com ele num desafio do CR. )

      Beijinhos, AC.! :)

      Eliminar
  14. Adoro o mar! E agora que estou longe dele, todos os dias tenho saudades... O texto é muito giro. Obrigado pela partilha, Janita

    ResponderEliminar