domingo, 10 de setembro de 2017

DAS ESPERANÇAS VÃS.


Foto Minha



V I V E R

Mas era apenas isso, 
era isso, mais nada? 
Era só a batida 
numa porta fechada? 


E ninguém respondendo, 
nenhum gesto de abrir: 
era, sem fechadura, 
uma chave perdida? 



Isso, ou menos que isso 
uma noção de porta, 
o projecto de abri-la 
sem haver outro lado? 



O projecto de escuta 
à procura de som? 
O responder que oferta 
o dom de uma recusa? 



Como viver o mundo 
em termos de esperança? 
E que palavra é essa 
que a vida não alcança? 






Carlos Drummond de Andrade, in "As Impurezas do Branco"




==========================================

=================================

31 comentários:

  1. Continuamos numa de nostalgia e sentimento de perda. Isso costuma acontecer lá mais para o final do Outono, quando o Inverno se aproxima.
    Que se passa amiga?
    Um abraço e tudo de bom.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tenho propensão a sofrer de distúrbios sazonais, amiga Elvira. As estações do ano passam por mim com a naturalidade do inevitável. Assim conseguisse eu lidar com outras alterações, que nada têm a ver com o tempo.
      Um abraço, boa semana.

      Eliminar
    2. Eu até tenho propensão a sofrer de distúrbios sazonais, mas desta vez a minha tristeza é mais profunda.

      Em Outubro estou no Porto, temos que nos encontrar e conversar sobre as nossas mágoas.

      Abraço com carinho e compreensão 🎆

      Eliminar
    3. Tens o meu e-mail, Teresa. Quando estiveres por cá combinaremos um encontro. Terei um enorme prazer em te conhecer pessoalmente e ter oportunidade de conversar contigo.
      Abraço muito amigo e grato.

      Eliminar
  2. Olá, Janita!
    Parabéns pela tua bela foto e também pelo poema desse mestre, Carlos Drummond de Andrade.
    Um ótimo domingo.
    Meu abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Pedro!

      Mestre Drummomd deixou um espólio poético rico, imenso e variado.
      De quando em vez, lá vou eu buscar um pouco dessa riqueza.

      Grata pela visita e palavras amigas.
      Um abraço e votos de óptima semana.

      Eliminar
  3. Senti o mesmo que a Elvira...andas triste?
    Um xi-coração.
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ando, Papoila!

      Um xi - do coração! :)

      Beijinhos.

      Eliminar
  4. Estou numa fase instrospectiva, a fé perdi, mas a esperança é nome de sogra, e a última a morrer - qué lá isso!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por mais que entre em fases introspectivas, sempre acabo por não me conhecer, então já nem me dou ao trabalho de as fazer, Noname!!
      Então o nome de sogra não é Sóstrova??

      Beijocas, muitas!! :)

      Eliminar
  5. Que possamos apesar de todas as adversidades que a vida nos concede viver em vez de sobreviver ,maravilhosa semana querida amiga ,muitos beijinhos felicidades

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que assim seja e se cumpra, meu amigo!

      Um beijinho e boa semana.

      Eliminar
  6. Ora aqui está o meu grande mestre e poeta: Carlos Drummond de Andrade.
    E viver (também) é isso: as dúvidas que nos surgem, uma demanda pelas respostas.

    Com um ramo de :-) (sorrisos).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hello, MacGregor.

      Viver (também) é (saber) abraçar tudo o que a vida nos dá de bom, menos bom e mau. Da melhor maneira que soubermos e pudermos.

      Um ramo de abraços para si. :)

      Eliminar
  7. Soa bem, o poema. A esperança faz parte da vida humana... Pode sempre via a acontecer o que se anseia...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Soa bem, não soa?
      Com tanta questão que se levanta, alguma há-de ter resposta, pois claro!

      Um beijinho.

      Eliminar
  8. Bela foto, na simplicidade que está a beleza. Janita, você nos brinda com um dos nossos maiores poetas. Ler Drummond não tem errada, saímos sempre enriquecidos.
    Beijo, amiga! Uma ótima semana pra você.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Taís!

      Quando tirei essa fotografia foi por achar esse batente muito interessante. A porta deveria tê-la fotografado de mais longe.
      Quanto a Drummond, tudo o que possa dizer ficará sempre aquém do imenso valor do Poeta.

      Um beijo Taís e obrigada por passar.

      Eliminar
  9. Ânimo, please.
    Todos passamos por fases mais complicadas.
    Beijinhos, boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem favor, meu Amigo, sem favor! :)
      De facto, fase difícil está o Pedro a passar e sempre com boa disposição.

      Beijinhos e votos de excelente semana.
      Obrigada.

      Eliminar
  10. Gosto tanto de Drumond. Quanto aos comentários deve ser falta de prática. Pensei ter publicado e respondido. Terei feito asneira :) :) Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Vitor!

      Então?...Esqueceste de publicar os comentários? Todos os dias lá ia espreitar e nada. Já pensava que algo grave estivesse a acontecer. Afinal, foi esquecimento!...:)
      Tem calma, não andes 'a mil', olha que assim não aprecias tanto a vida. :)
      Beijinho e obrigada por não esqueceres este Cantinho. ;)

      Eliminar
  11. Embora vá mais com a POESIA PORTUGUESA 🌹 também gosto da poesia do brasileiro.

    Adorei a fotografia que espelha a minha disposição actual.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Teresa
      Para mim, Poesia não tem nacionalidade, quando gosto...gosto!

      ...Branca, vazia e fechada?...Pois, eu sei como é!

      Um abraço grande.


      Eliminar
  12. Gosto muito de Drumond e escolheste uma óptima foto para ilustrar este belo poema. Só há uma coisa que não gosto...de te sentir triste. Toca a levantar esse astral!

    Beijinhos Janita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como cantava a Elis: "Tristeza não tem fim, felicidade sim"!...
      No problem, querida Manu, enquanto sentirmos algo, nem que seja tristeza, é sinal de estarmos vivos.
      Obrigada amiga.

      Beijinhos.

      Eliminar
  13. Estou aqui há três dias a bater à porta e ninguém me atende. Estou aqui há três dias sem comer, sem beber, sem descansar, sem fazer... Quanto tempo tenho que esperar mais?
    Se começar a cantar muito alto uma qualquer música do Quim Barreiros ou da Ruth Marlene, será que a porta é aberta mais rapidamente?
    :-D

    A "Foto Minha" está de parabéns. Essa pessoa fez uma boa fotografia, muito limpa em termos de composição. Até a presença das linhas ajudou a enquadrar o elemento principal, o batente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Remus.
      Seja bem aparecido!!

      Já fui colocar o aparelho auditivo. A partir de agora basta dar apenas um leve pancadinha, ou, então, um toque na campainha. ( também tem)
      Quim Barreiros gosto, acho divertido, mas a outra senhora, não me agrada tanto. :)

      Canudo!! Estou aqui há três quinze dias à espera da opinião do Mestre...tenho andado a fotografar tudo o que me aparece pelo caminho...e nada? Até já tinha desistido da aprendizagem desta bela Arte, eis senão ...Aleluia, Aleluia... O Mestre surgiu por entre a bruma, e fez-se luz!
      Não percebo patavina sobre o que possa ser essa limpeza em termos de composição, mas deve ser coisa boa; caso contrário ficava calado, que isto do ego das pessoas para o Mestre é algo sagrado, que eu sei.
      Posso continuar a treinar? Obrigada!! ;)

      Um abraço. Volte sempre! :))

      Eliminar
  14. "E que palavra é essa / que a vida não alcança?"
    Quem sabe não a diz. Descansa.
    Bj.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ...Mas devia dizer, Agostinho!
      Às vezes basta uma palavra para salvar uma vida, sabia?
      Claro que sim, o Agostinho é um homem sábio.

      Um beijinho. :)

      Eliminar
  15. Viver é maravilhoso e essa poesia linda! Parabéns! Para que esse fim de semana seja de muita paz, amor e esperança de dias melhores, deixo esse pensamento da Ana Carolina:
    “Diga o que você pensa com esperança.
    Pense no que você faz com fé.
    Faça o que você deve fazer com amor!”
    Abraços da amiga Lourdes Duarte.

    ResponderEliminar