segunda-feira, 7 de maio de 2018

GENTILEZA E HUMILDADE.

Coisas, Pequenas Coisas


Fazer das coisas fracas um poema. 

Uma árvore está quieta,
murcha, desprezada.
Mas se o poeta a levanta pelos cabelos e lhe sopra os dedos,
ela volta a empertigar-se, renovada.
E tu, que não sabias o segredo,
perdes a vaidade.
Fora de ti há o mundo
e nele há tudo
que em ti não cabe.

Homem, até o barro tem poesia!
Olha as coisas com humildade. 

[Fernando Namora, in Mar de Sargaços.]









===================================================

==============================

38 comentários:

  1. O filme é uma delícia.
    Beijinhos, boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Será que os 'casmurros'; os de 'antes quebrar que torcer', se virem este filme aprendem que, nas horas decisivas, mais vale ter a flexibilidade do junco à dureza inútil do carvalho, Pedro? :)

      Beijinhos, boa semana.

      Eliminar
  2. bom dia
    a humildade é tão bonita !!
    JAFR

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde.

      E fica-nos tão bem!!!
      :)))

      Boa semana, JAFR.

      Eliminar
  3. Bom dia, Janita!
    Maravilhosa postegem! Adorei o vídeo :)!!


    Especial:- Nesta dança, onde o amor é a consagração. [ POETIZANDO...]
    .
    Beijo e uma excelente semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde, Cidália.
      Uma lição que serve para todos nós.

      Beijinhos, boa semana.

      Eliminar
  4. Um poema muito bonito..
    Beijinhos,
    https://chicana.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Ana, boa tarde!
      Se olharmos para tudo o que nos cerca, sem azedume nem sobranceria no olhar, veremos que em tudo existe poesia, não é verdade? :)

      Beijinhos, boa semana.

      Eliminar
  5. Por isso é que existe a magia da poesia. Fazer do nada a ponte entre o saber e a utilidade.
    .
    * Não posso calar o coração *
    .
    Cumprimentos Poéticos

    ResponderEliminar
  6. Um poema muito bonito e um filme adorável. Obrigada pela partilha.
    Abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A opinião da Elvira é sempre importante para mim.
      Fico contente por ter acertado com o post.

      Um abraço e votos de excelente semana.

      Eliminar
  7. Fernando Namora, que viu o teu vídeo
    alterou o poema, nos versos finais

    "Homem, até as pontes tem poesia!
    Olha essa banda desenhada. Que seja assim, a vida."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fernando Namora enquanto médico, pôs em prática o ensinamento do vídeo, Rogério. Foi como um moderno João Semana, quando jovem.
      Aprendamos nós a ser como ele foi.

      Grande abraço. :)

      Eliminar
  8. A humildade é como se costuma dizer é uma qualidade de todos que sabem viver a vida com toda a simplicidade com que ela se apresenta querida amiga desejo-lhe uma semana muito abençoada ,beijinhos felicidades

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma grande qualidade que poucos de nós possuímos. Por vezes, penso que peco por não a ter na dose necessária, Emanuel. :(

      Beijinhos, obrigada.

      Eliminar
  9. Muito bonito o poema! A humildade é o ponto mais elevado de se atingir na escala humana.

    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desde que li "Retalhos da Vida de Um Médico", há muitos muitos anos, fiquei fã de Namora. Da sua escrita e dos seus poemas, ainda que agora me disperse por outros autores.

      Beijinhos, Graça.

      Eliminar
  10. Belo poema. E adorei o vídeo. Tão fofo. Tão exemplar. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O vídeo é uma lição de vida. Aprenda quem quiser.:)

      Beijinho, Luísa.

      Eliminar
  11. O meu comentário desapareceu. Diz que houve um erro...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já me tem acontecido tantas vezes, José!...
      E é tão aborrecido isso.
      Ainda bem que não desistiu...:)

      Eliminar
  12. Dizia eu, então, que não se trata de humildade mas de bom senso, de cooperação, para bem de todos. Até os burros se entendem para comer os dois molhos de feno, como aliás fizeram os dois pequenos bichos.
    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lá está como etiquetei o post: Sensibilidade e Bom Senso. Concordo inteiramente consigo. Sem isso, nada feito. :)

      Um beijinho

      Eliminar
  13. Janita, com humildade digo que escolheste muito bem o poema (conheço tão pouco da obra de Fernando Namora) e o video (um encanto).
    Beijo e boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)) Também não exageremos, Teresa!

      Este médico/escritor/poeta e pintor, infelizmente, não é autor muito conhecido, não! De quem é a culpa?- Nossa, público leitor, provavelmente não será, não!

      Beijinho e obrigada, Amiga.

      Eliminar
  14. Uma grande lição de humildade e bom senso, Janita ! ... Adorável !
    E essa "imagem" da árvore quieta e murcha e do "milagre" do poeta, que bem que , metaforicamente, se pode aplicar às pessoas e aos seus amigos !
    Temos todos que saber ser poetas, tantas são as árvores tristes e sós !!!

    Beijinhos querida Amiga !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Encontrei o vídeo e pensei o mesmo que tu, Rui.
      Achei-o adorável!
      Quanto à metáfora da árvore triste, é como dizes. Quantas vezes, à nossa volta, existe tanta gente murchinha e triste, mas nem reparamos, entregues a viver a nossa própria existência triste...

      Beijinhos, Amigo Rui.

      Eliminar
  15. Que ternura, adorei!
    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma lição admirável, querida Papoila. E tão verdadeira!

      Beijinho :)

      Eliminar
  16. Gentileza e humildade, mas com certeza. Faz-me lembrar aquele senhor muito bem posto que viaja num transporte público com um bebé no colo e que vendo chegar uma formosa e voluptuosa mulher de imediato tira a bebé do colo para dar o lugar à voluptuosa e formosa mulher.

    Ok ok adivinho que vais dizer: lá vem ele com as parvoíces num tema é de sensibilidades poéticas.
    É verdade, mas o que esperar de um parvo?, senão parvoíces?

    «Fora de mim há um mundo e nele há tudo que em mim não cabe».
    Esta é a minha realidade e porque sei disso trato de me inventar criando um outro mundo onde consigo viver sem me rejeitar.
    E mais não digo porque isto já são horas tardias quando as ideias se baralham e o discernimento adormeceu à muito.
    Beijokas.

    §-amigo da onça? Não!! Mas muito distraído olhando sem ver!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 1º - Queres dizer com isso que há muita gente que aparenta ter e ser o que não é? Concordo! Ironia? Claro!

      2º- Não, meu amigo, não ia dizer, nem digo, que só dizes parvoíces, simplesmente porque nem sempre assim é! (lol)

      3º- «Fora de mim há um mundo e nele há tudo que em mim não cabe».
      Acredito, acredito e acredito! Três vezes acredito.
      Assim como sei que inventas e te reinventas, para dar largas ao mundo que em ti não cabe. E mais não digo, querido Amigo!

      Beijocas e um abraço. :)

      Eliminar
  17. Até o barro, Janita.
    Namora tinha razão, como não, se até nós barro somos, animado? Muitas vezes desanimado, é certo, rachado, quebrado... Apanham-se os cacos e colam-se. As vezes que for necessário até dar certo.
    É esse o segredo?
    Coisas pequenas são grandes? Depende. É nos olhos, nas mãos e no gosto que a gente tem, comum ou singular.

    Gostei deste trabalho que encerra uma lição que vale a pena.

    Bj.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Moldáveis que somos, podemos dizer-nos "aparentados" com o barro, Agostinho.
      Partimo-nos em mil pedaços a cada queda, e possuímos o engenho, a capacidade, de nos refazermos. As cicatrizes da alma - e do corpo - serão as rachadelas do barro.

      Não creio que o poeta quisesse dizer que coisas pequenas são grandes. Inclino-me mais para a mensagem de tirar partido da fraqueza, atribuindo-lhe o lado simbólico da fragilidade poética. Valorizando, assim, a fraqueza humana; afinal, todos somos feitos do tal barro, igual.

      Estimo que esteja bem, Amigo e Poeta Agostinho.

      Beijinhos.

      Eliminar
  18. Humildade não é de certeza uma das minhas virtudes.

    Admiro a obra de Fernando Namora desde a minha adolescência.

    Beijos da amiga que ama a POESIA.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga, a meu ver, só o facto de não te reconheceres humilde, já denota haver em ti muita humildade.

      Ai está um ponto que temos em comum, Teresa! :)

      Beijinho da amiga que comunga do mesmo gosto.

      Eliminar
  19. Que belo poema do Fernando Namora! O barro... o barro, todo ele é poesia.

    O vídeo é uma pequena delícia.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se uma grande e sensível Poetisa o diz, fico contente porque corrobora o meu pensamento...e o do Poeta.

      Muito grata, querida Maria João.

      Um beijinho.

      Eliminar