domingo, 13 de maio de 2018

O Gato E Eu.

Lembram-se de vos falar no gato do meu vizinho? O tal que andou, sorrateiro, pelo muro que divide os dois quintais... a apurar o ouvido para detectar de onde chegavam os piu-pius...aquele, a quem atirei o pau...Pois bem, o caçador de passarinhos, não caçou nada e eles, os meus melrozitos já voaram e vazio ficou o ninho...
...Sinto saudades dos seus chilreios.


Ficou-me o gato para me servir de modelo fotográfico...Basta-me vir ao fundo do terraço, olhar para baixo e lá está ele a cheirar alguma lagartixa que se escondeu em qualquer buraco do velho muro.
Faço psst-psst, ele levanta a cabeça e o seu olhar fica preso ao meu. E assim se mantém o gatito a olhar-me impávido, com a tranquilidade de quem não cometeu pecado algum...e eu, zás...clico. Ficámos amigos, acho eu. Pelo menos não somos inimigos.


Quando lhe dou autorização para dispersar e ir à vida, :) sem correrias lá vai para o seu lugar preferido: a chapa ondulada que cobre o depósito das garrafas de gás, aquecida pelos raios de sol desta desequilibrada Primavera...A ramagem do limoeiro do quintal do dono, continua a ser o seu esconderijo mesmo agora que já não precisa de se esconder do pau que eu lhe atirava...Ele ronrona e eu penso:- que estranhas formas de vida são as nossas. A do gato, a dos passarinhos que nunca mais vi, a do meu solitário vizinho...e a minha... 


Tu e eu temos de permeio 

a rebeldia que desassossega, 
a matéria compulsiva dos sentidos.

Que ninguém nos dome, 

que ninguém tente 
reduzir-nos ao silêncio branco da cinza, 
pois nós temos fôlegos largos 
de vento e de névoa 
para de novo nos erguermos 
e, sobre o desconsolo dos escombros, 
formarmos o salto 
que leva à glória ou à morte, 
conforme a harmonia dos astros 
e a regra elementar do destino. 



[ Ode  ao Gato - de José Jorge Letria ]



***______***

36 comentários:

  1. ……….
    Boa noite. Visitando e como sempre, ficando fascinado com a sua publicação. Simplesmente brilhante.
    .
    * Mulher = Ventre de Vida...( Poetizando) *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Gil.

      Já lá fui ontem visitar o seu cantinho.

      Obrigada, boa semana.

      Eliminar
  2. Os passarinhos, não sei se sabem, mas tiveram uma fada madrinha de seu nome Janita :-)

    Beijão em TU

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eles não sabem nem sonham, Noname, que o meu sonho lhes comandou a vida...ehehehe

      Beijinhos em TI!! :)

      Eliminar
  3. Sei que vais dizer: já sabia!!! E eu sei que sabias.
    Mas digo-o na mesma: no que respeita a felinos, e apesar de gostar muito de (quase todos os) animais, prefiro as gatas.
    Adivinho-te o sorriso matreiro ao mesmo tampo que pensas: das de 4 ou as de 2 patas?
    Respondo-te: de ambas muito embora prefira disponibilizar o meu colo, carinho e afagos para estas... *|º
    Beijokas com sorrisos doces

    §-maliciosos (não viste as aspas?) quis dizer: ladinos/espertos/matreiros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não! Por acaso não sabia, Kok! :-P

      Sorriso matreiro...Eu????

      Afinal, a quem prodigalizas os teus mimos?
      A tua Ga)Lina quantas patinhas tem? Mau, Maria!

      Puseste açúcar no sorriso? Ah, malvado! Não sabes que sou diabética?

      § -Cegueta ( não viste que te respondi também com aspas?)

      Abraço. :)

      Eliminar
  4. Maravilhosa postagem!! Belas fotos! :)

    Beijo. Boa noite.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :) Obrigada Cidália.

      Beijo, boa semana.

      Eliminar
  5. Ohhhhhhhhhh tão fofinho <3 então e os melrritos, já foram à vida deles :) Bom inicio de semana Nita
    Beijinho

    r: as crianças devem ser educadas desde pequenas, a ajudar em casa e a tratar delas mesmas, ainda bem que ensinaste as tuas, depois se não fazem, o mal será deles :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Primeiro partiram os dois mais fortes e desenvolvidos. Ficou o mais enfezadito. A mãe melro ficou dividida, voando de lá para cá, embora eu não chegasse a saber onde ficava esse 'lá'; passados uns dias dei com o ninho vazio e sem vida.
      Sabes que me apeteceu chorar? De alegria, e de pena por não ter presenciado o voo dos pássaros: a sua emancipação.:)
      Pode ser que um dia me venham visitar...

      Beijinhos e boa semana, Nina. :)

      Eliminar
  6. Que lindo, é!
    Eu já estou a alimentar três certos e mais dois incertos :)))
    São muito selvagens ainda não se deixam afagar mas comem muito bem :))) bjs e boa semana,Janita.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este é muito arisco; não é meu. Mas já tive um, todo preto, muito meigo e dócil. Acho que cheguei a publicar fotografias dele.
      Já tinhas falado desses que te visitam e tu alimentas.
      Fazem companhia, mas eu não quero mais animais de estimação. Sofremos muito quando nos deixam.

      Beijinhos Papoila, boa semana. :)

      Eliminar
  7. Que ninguém os dome

    O meu gato
    chamava-se Gato
    e não se deu domado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem eles, os gatos, se deixam domar, Rogério.
      São muito independentes, passeiam e voltam, gostam da casa e boa comidinha mas sem se afeiçoar a donos.

      Já tive um que se chamava: "Ele que o Diga", já lhe tinha dito?
      Abraço.

      Eliminar
  8. O bichano tem um ar tipicamente de gato - altivo.
    Beijinhos, boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Altivo, como o são todos os felinos, Pedro! :)

      Beijinhos, boa semana.

      Eliminar
  9. Um post muito interessante, com fotos muito giras. Adorei.
    Abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico contente, amiga Elvira. Obrigada.
      Um abraço, com votos de uma óptima semana.

      Eliminar
  10. não conhecia este texto, Janita.
    adorei!
    boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, Laura, se te referes ao texto que está escrito no início, e entre as duas fotos, certamente não conheces nem poderias conhecer, pois escrevi-o directamente aqui no blog pouco antes de fazer a publicação.
      Agora, se te referias ao poema que finaliza o post, já é outra conversa. :))

      Beijinhos, boa semana.

      Eliminar
  11. Adoro gatos, mas também e ainda mais adoro a natureza selvagem, com acréscimo para seres, no caso aves como o Melro, em vias de extinção ou que se vêm cada vez menos. Pelo que especial obrigado à Janita por proteger os melrozitos, sem perder de todo a amizade ou pelo menos sem ganhar a inimizade do gato, do vizinho... quanto ao mais adorei todo o texto, intrínseco e extrínseco à Janita, sem esquecer as fotos, claro!

    Parabéns e felicidades, por essa "estranha forma de vida", que é também esta...

    Excelente semana

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Victor Barão.
      É sempre um gosto vê-lo de volta à blogosfera.
      Espero que desta vez tenha vindo para ficar, pelo menos, numa mais longa permanência do que aquilo que tem sido habitual nos últimos tempos.

      Ler os seus comentários deixa-me sempre com a grata certeza de ter sido lida e entendida. Muito obrigada!

      Um abraço e uma óptima semana.

      Eliminar
  12. Então, Janita? Personagens há, ambiente também. Agora, mãos à obra: conto, novela, argumento...

    E o melro, descarado, ri-se se....
    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sou uma pessoa muito sui generis, Amigo Agostinho. E não digo isto num auto-elogio, muito pelo contrário!
      Gosto de escrever, mas sem nada que implique uma obrigação.
      Nunca conseguiria sobreviver se tivesse de escrever para comer...:)
      Quando iniciei este blog escrevi muitos textos sobre as coisas que ia lendo e vendo aqui pela internet e que iam acontecendo pelo mundo e, ainda, sobre experiências minhas.

      Criar o blog fez parte da aprendizagem de um curso de informática que fiz. Não tinha amigos virtuais nem falei a ninguém no blog. Não havendo feed back o ânimo esfria e foi o que aconteceu comigo. Estive sete meses sem escrever aqui nada, depois voltei e fui fazendo amizades, visitando outros blogs. Curiosamente fiquei preguiçosa para escrever, entretida num convívio até então desconhecido para mim.
      Bem, isto já vai longo...Vê? Já tinha aqui matéria para um novo post. :))

      Pode ser que me vire novamente para escrita!!
      Porém, jamais, contos ou novelas.
      Obrigada, pelo incentivo.

      Beijinhos.

      Eliminar
  13. Entre cães e gatos, prefiro os cães. Mas ambos são estimáveis. De aves, mais das canoras, também gosto.
    1 b.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo duplamente consigo, Amigo José.
      Na preferência pelos canitos e pelas aves que soltam belos trinados, mas...adoro todas as aves!
      Ah...essa maravilhosa capacidade de voar com que a Natureza as dotou...que inveja.

      Beijinho

      Eliminar
  14. rsss, gostei da postagem, e muito por não saber lidar com gatos; faço carinho quando não pedem e não pedem aí é que faço, e o negócio não dá muito certo, não!!! Sei lidar bem com cães e cavalos, deles entendo bem. Cães em casa e cavalos de salto (hipismo).
    Beijo, janita!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os gatos não gostam de afagos quando não conhecem a pessoa, Taís. E nem todos são sociáveis. Este parece que ficou encantado pelo meu olhar. ehehehe

      Gostava de saber montar a cavalo. Andei uma única vez e fiquei com as mãos cheias de bolhas de segurar as rédeas, sem luvas. Mas tive um treinador comigo. Foi numa Herdade nos arredores de Évora. :)

      Beijinhos e obrigada, Taís!

      Eliminar
  15. :(( Olha que enorme risco correram os melritos !!! ... Felizmente que ganharam asas com tempo !
    E olha que bem ficou o gatito lá no sítio dos melros ! ...

    Este teu post está uma delícia e fez-me lembrar um outro que publiquei já lá vão 8 anos !!! ... Como o tempo passa. E tu comentaste ! :)
    Era este :
    http://coisas-da-fonte.blogspot.pt/2010/04/se-fosse-um-gato.html

    Beijocas para uma semana, querida Amiga ! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :))) Olá Rui!
      O gato não está no sítio dos melros! ehehehe
      O ninho ainda lá está no cimo da cameleira.
      O gatito estava nuns degraus de pedra que dão acesso a um anexo da casa do vizinho e eu, em cima, no meu terraço. :)

      Passaram oito anos, Rui? Não me digas!! Tenho que ler esse teu post. Depois voltamos a falar. :)

      Beijinhos, Amigo Rui.

      Eliminar
    2. Há coisas engraçadas, Rui. Quando falaste em oito anos fiquei surpreendida, porque em 2010 ainda eu não ia ler o "Coisas da Fonte". Quando comecei a ler os comentários e vi que havia lá uma 'ianita' pensei que me tivesses confundido com ela. :)
      Afinal também comentei, mas só em 2012 e creio que foi por causa do mesmo poema do Pessoa. O do 'Gato que brincas na rua'. ;)

      Beijos, amigo até amanhã.

      Eliminar
  16. Janita, não gosto de gatos... mas gosto de passarinhos.
    A foto do bichano por baixo da ramagem do limoeiro é lindíssima!
    O poema de José Jorge Letria, que não conhecia, lindo é.
    Beijo amiga, e boa semana.
    ("QUE NINGUÉM NOS DOME"!!!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :) Se quiser, Teresa, pode levar a fotografia do bichano, que se abriga entre os ramos do limoeiro, lá para o seu "Pétalas...".
      Quanto aos passarinhos, acabaram por voar e não mais os vi.

      Beijos, Amiga Teresa, uma excelente semana.

      Eliminar
    2. Tks, amiga! Vou levar sim, mas não para o pétalas... Aguarda!
      Beijo.

      Eliminar
  17. Achei este teu post uma ternura.
    Fiquei contente porque salvaste os melros, mas gosto de gatos e este teu está com um ar tão inocente, parece que não se sentiu culpado com o afastamento dos passarrinhos e agora parece que te está ansioso por perdão e um afago teu.
    As fotos está uma ternura.

    Beijinhos Janita

    ResponderEliminar
  18. É lindo o gato :) gosto muito deles também! Beijinhos

    ResponderEliminar