segunda-feira, 5 de maio de 2014

Nem Tudo São Flores...No Meu Jardim...

...Também há algumas ervas...



Neste Maio quente, tudo cresce e floresce
e faz parte de mim...







A cameleira dobrada, junta-se à folhagem da magnólia já sem flor.








 
Há uma miscelânea de cores e perfumes um pouco selvagens...por falta de trato...mas, ainda assim, hoje me encantaram e quis partilhar convosco. 


 
Finalmente, consegui descobrir uma rosa vermelha
 mais viçosa que
as demais.
 
Gostava que gostassem...é para vós!
 
 


 
**********************************************************
*********************************

35 comentários:

  1. Lindo teu jardim,Janita! Muito! beijos,chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Chica, és uma querida!

      Beijinhos.:)

      Eliminar
  2. O jardim,
    as flores, o poema, a prosa
    a rosa
    que guardas para mim

    te agradeço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :) Rogério, meu amigo, não é para agradecer!

      Isto, que lhe ofereço, é um bocadinho de mim...:)

      Um abraço.

      Eliminar
  3. Lindo, lindo o teu jardim, as tuas palavras. Obrigada pela partilha, caiu uma lágriminha, já não tenho jardim e tenho tantas saudades, deixei lá tudo, nesta altura deve estar todo florido, mesmo sem ser cuidado porque ao abandono.

    Boa semana minha querida amiga

    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Minha querida Flor.

      Compreendo bem a tua lagrimita.

      Perto deste meu quase matagal, o teu jardim é um oásis. Penso que deves poder lá voltar, para matar saudades. Oxalá que sim, amiga!

      E, o futuro, só Deus sabe o que será...tem esperança!

      Beijinhos e uma rosa. :)

      Eliminar
  4. Agradeço a bela reportagem do teu jardim e o poema de Torga!

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tens que agradecer, Rosa dos Ventos!

      Fi-lo, para vós, com muito carinho.

      Abraço. :)

      Eliminar
  5. Lindo o teu jardim, belo o poema. Amei. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lindo, lindo, não será, Rosa-Branca, mas é um espaço aberto e calmo, que me faz bem. Obrigada.

      Beijinhos.

      Eliminar
  6. Ena tantas ervas!!! Perdão, tantas flores!!!
    Bonitas. E que cheiro... bem, já estou a inventar. O cheiro não chega aqui.

    Afinal nem tudo são ervas :-)
    Beijocas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São rosas, meu senhor... São rosas!:))

      Andas a precisar mudar de óculos, António?

      Precisava aqui de um coelho à solta para comer as viscôdeas (?) que abundam por aqui! Conheces algum? :-))

      Beijocas, com perfume de erva doce!:))

      Eliminar
  7. Olá JAnita,

    Gostei da partilha do teu jardim~. Queres saber um segredo?
    Não gosto de jardins muito bem cuidados, gosto deles um pouco selvagens, entendes o que quero dizer?
    Obrigado também pela rosa (ao princípio não estava a encontrar:))
    O vídeo?
    Não sei explicar, já vim aqui ouvi-lo e vê-lo algumas vezes. Faz com que sinta um aperto estranho. Um misto de tristeza e alegria.
    Não ligues, já sabes como eu sou.

    Abraço grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Argos!

      E eu adorei rever-te por aqui...já andava morta de saudades.:)

      Claro que entendo o que queres dizer...o excesso de cuidados e zelo, rouba muito da beleza natural dos jardins! Concordo inteiramente e até me dá jeito! Estou a brincar...:)) Esqueci.me de dizer que a rosa, mais viçosa , estava na última foto.
      O vídeo?
      Sinto o mesmo aperto quando o leio e ouço a música, mas é algo que me faz bem.
      Principalmente o fim, que adoro: "Parece o recomeço doutro destino. Este, de ser menino junto de ti..." Não achas lindo?

      Sei como és e gosto que sejas assim...muito parecido comigo!

      Beijinhos e abraços meus.

      Eliminar
  8. Olá, Janita!

    Sabes que nalguns países o chamado jardim selvagem é um género muito cultivado e apreciado.Portanto, o teu está perfeitamente na moda, apesar das ervinhas que possam existir lá pelo meio...para além de ser um bonito espaço.Quem me dera ter um assim.

    Bonito mas tristinho o poema do Torga, recordando a criança que não foi.

    Beijinhos e boa semana.
    Vitor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Vitro!!

      Quem me diria que, sem saber, estava actualizada com a moda da nova arquitectura paisagística? :) Assim, já me sinto melhor!

      Tu, também tens um espaço de terreno, mas preferes cultivar legumes e hortaliças, não é? Fazes bem! A continuar assim, qualquer dia, quem tiver um terrenito tem de deixar as rosas de lado e cultivar batatas e cenouras.

      Batatas nunca plantei, mas feijão-verde já tive muito. É muito simples de semear e, se o tempo estiver de feição cresce num instante. Já tive do rateiro e do trepar. Como não há bela sem senão, fiz alergia às folhas, que, são peludas, e acabei com a plantação!!

      Como tive uma infância muito feliz, não vejo o poema por esse lado triste.
      Sinto-o doutra maneira.

      Beijinhos amigos e bom resto de semana.

      Eliminar
  9. Olá Janita,
    Visito este seu jardim. Sou adapto dos jardins com muita relva e aqui e acolá com canteiros "selvagens" sem formatos definidos....algo semi-selvagem ;)

    Bonitas as flores em contraste com o poema acinzentado mas igualmente bonito do Torga.
    Deixo um abraço ツ

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, ZéCarlos.

      Agradeço as suas gentis palavras, ao dizer gostar de canteiros 'selvagens'! :))
      Sabe que estes canteiros têm formatos definidos? Olhe, neste espaço, tenho quatro redondos e no centro um em forma de losango, onde está plantada a cameleira de flor dobrada. O estado semi-selvagem em que, actualmente, se encontram, é que não deixa ver nada.
      Tempos houve, em que isto parecia os jardins 'do Paço' como dizia a minha filha, na brincadeira! Outros tempos, outras vontades!...

      Leve, também, um abraço meu! :-)

      ( sorriso bonito esse que deixou, não sei é como se faz)

      Eliminar
  10. Nem tudo são flores em todos os jardins, Janita.
    E, mesmo algumas flores, têm espinhos.
    É normal.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os jardins assemelham-se às coisas da vida, não é Pedro?
      Os espinhos e as ervas, são os escolhos que temos de ultrapassar com algum trabalho e muito cuidado, para não nos ferirmos e torná-la mais bela. :)

      Beijinhos.

      Eliminar
  11. Podem não ser só flores, mas não me importava nada de ter um jardinzito assim. Com ervas e tudo! :)

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As ervas daninhas são uma praga, Teté. As que crescem na relva já nem me preocupo em arrancar, passo-lhes com a máquina corta-relva por cima e pronto!! Os canteiritos é que ficam melhor, limpinhos, mas vai-se fazendo o que se pode.:) O pior é que cada vez se pode menos...os anos não perdoam:(

      Beijinhos! :)

      Eliminar
  12. Si se disfruta este lindo mes de mayo donde te ofrece ese colorido y unas olorosas aromas.

    Gracias por la visita aún me falta un poco para estar bien.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hola, José.

      Mayo és el mês que más me gusta entre todos del año. Hay un clima ameno e el aire és oloroso y colorido.

      Poco a poco tus ojos van mejorar y te vas a quedar bien, te digo yo pués he pasado por él mismo que tu.

      Agradezco tu visita, José y te mando un abrazo

      Eliminar
  13. Obrigada, Ricardo!
    Ao vivo, não será tão bonito, mas sabes que quando fotografamos procuramos os ângulos mais bem parecidos! :)

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  15. Janita Florida,
    Um presente irrecusável / é este belo jardim / um presente tão afável / adivinha odores sem fim.
    Abraços meus,
    Jorge

    ResponderEliminar
  16. Olá, Jorge, meu poeta amigo! :)

    Afável é o seu trato, sempre generoso e amigável!

    Bem- haja, querido Amigo.

    Beijos e abraços meus.

    Janita

    ResponderEliminar
  17. Amiga cheguei atrasada será que sobrou alguma para mim ? :)

    Invejo o teu jardim, quem vive na cidade não tem essa sorte.

    beijinho

    ResponderEliminar
  18. Chegas sempre a tempo, Amiga!

    Agora, as rosas vermelhas e cor -de-chá ainda estão mais desabrochadas e bonitas, podes levar um ramos delas!:))
    Quem vive em apartamentos sempre pode colocar floreiras nas varandas...mas não é a mesma coisa!!:)
    Tempos houve em que a jardinagem chegou a ser como uma terapia para mim.
    Depois que tive o enfarte, custa-me muito fazer esforços e canso-me com facilidade, mas há dias em que me apetece e lá vou eu.

    Beijinhos querida Fê.

    ResponderEliminar
  19. Que lindo jardim.

    Luanda.
    dosamoresmeus.blogspot.com

    ResponderEliminar
  20. Versos e flores numa harmonia perfeita.

    ResponderEliminar
  21. Eu gostei! Eu gostei bué da muito pá!

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E ainda hei-de procurar um outro post de quando o meu neto era pequeno e estava comigo, Noname. Nessa altura vinha uma senhora ajudar-me dois dias por semana e o jardim estava um brinquinho.
      O tempo passou, a senhora adoeceu e deixou de trabalhar, eu tive o raio do enfarte e a coisa começo a descambar. Enfim...alguma coisa ficou e eu ainda cá estou.

      Beijocas.

      PS- Ao ler os comentários fiquei com um aperto no peito quando li o comentário da nossa querida Teté, que este mês nos deixou.:(

      Um abraço, NN.

      Eliminar