domingo, 11 de abril de 2021

A TALHE DE FOICE.

 




Agora, digo eu, armada em parva, 

porque me deu na telha, com pena de Poeta não ser.


Ah, se estes poetas de agora

Poetassem como este Aleixo valente

Em vez de escreverem chachadas

Denunciavam sem medo

As coisas que o povo sente.


E só as nega quem mente...

...ou está com o rabo trilhado!


Faltas cá tu ó Aleixo

Tu Ary, ou Tu Bocage.

Agora assobiam prós lados

fingindo-se muito interessados

nas coisas que a gente sente...



E só as nega quem mente...

...ou está com o rabo trilhado!


😕

===============


sexta-feira, 9 de abril de 2021

O Batel e o Pequeno Girassol.

 

Foto minha.


Sonhei ser um pequeno batel

perdido no mar-alto 

da vida.

Viajando sozinha.

Sem tecto, sem companhia, 

sem ter vela nem remos. 

Longe de um porto de abrigo, 

as sabor das marés 

sem ter guarida.


Assustada,  a meio da noite acordei.


Readormeci. 

Pela manhã

Ainda de olhos fechados

Tacteei o meu lençol azul

Aquele que tem um pequeno 

girassol bordado.


Sonhei? Foi realidade?


Ainda hoje não sei

Se morri nessa noite

  ou se renasci. Quando te vi

sorrindo a meu lado...




-----------------------------------

quinta-feira, 8 de abril de 2021

QUEM ESCREVEU? # 7 [ Reedição]

 Finalmente é chegada hora de dar a conhecer a Todos quantos por aqui passaram e por este passatempo se interessaram, ainda que sem participar ou dar a cara, qual foi o livro que desta vez vos trouxe. Ei-lo:



Para aqueles que o não leram, deixo uns pequenos apontamentos, já que o principal móbil destes Desafios é desafiar a vontade e o apetite pela leitura, dos leitores mais preguiçosos. :)

****

Em Setembro de 1985 dá-se um choque frontal de comboios em Alcafache. Algumas das vítimas mortais, presas nas carruagens a arder, nunca chegam a ser identificadas.

No dia seguinte, a mãe de Marta recebe um inesperado telefonema informando que a mochila da filha - estudante de Belas Artes - apareceu entre os destroços.

Partindo dos cadernos de desenho de Marta, o narrador deste romance tenta recriar os passos da irmã nos tempos que antecederam o acidente. E, enquanto o faz, um leque de figuras absolutamente inesquecíveis....

E, mais não direi, para não retirar o suspense e vontade de o ler, saboreando-o palavra a palavra.

****

Lamento informar os apreciadores do Pódio que, desta vez, por impossiblidade minha, de conseguir a precisão na hora de chegada dos três primeiros participantes, com as duas respostas certas, ficarão os «Treze Magníficos»  em pé de igualdade.

Eis, então, o nome dos vencedores:


Teresa (Ematejoca)

 Catarina

 Elvira Carvalho

 UmaMaria (Sem blogue)

 Gábi

 Rosa dos Ventos

 Pedro Coimbra

António

José (500)

 Cidália Ferreira

 Manu

Ricardo Santos

JR  (Sem blogue)

**********


Estiveram Presentes:
 
Daniel
(Zé da Trouxa)

Miguel
(Porventura Escrevo)

Lis
(Simplesmentelis)

Dolores Garrido
(Mariana)

Kok
(Rir é Bem Melhor)

Maria
(Orações de Maria)

Megy Maia
(Coração de Borboleta)

Manuel Veiga
(Herético)

* * * * * * * 

A TODOS os participantes  e presentes
 o meu sincero agradecimento. 

Cá vos aguardo no próximo
 Desafio.


💙💙💙

    🙏    


======================================
==================

terça-feira, 6 de abril de 2021

QUEM ESCREVEU? # 7

 



Passada a quadra pascal, é chegada a hora de retomar o  Passatempo/Desafio que, espero, ainda continue a agradar-vos.

Mais uma página de um livro onde encontrarão indícios suficientes para vos lembrar de que autor e obra se trata. Para os que se não lembrarem ou não o leram, não faltam elementos- chave para a pesquisa.

Trata-se, portanto, de mais um Desafio simples e fácil.

Como já é habitual nestas brincadeiras, peço a quem souber a(s) resposta(s) que as envie para o meu e-mail (fgmncf@gmail.com) e/ou, use, aqui, de  uma forma subtil e minimamente engenhosa, de modo a fornecer pistas que possam ajudar os outros participantes a chegar à solução.

Como já frisei anteriormente estes são Desafios simples, apenas  e só um entretenimento sem intuitos didácticos.  




Pergunto, então, como anteriormente:

1ª - Qual o nome do autor deste livro?

2ª - Qual é o seu título?


Dicas:

. Escritor português, já agraciado com o Prémio LeYa. 
(queriam saber o ano, não era?)

. Romance avassalador que se debruça sobre quão ténue é a fronteira que separa a loucura da sanidade, e, os laços perturbadores que tantas vezes unem a Vida à Arte.




Boa Sorte!  😊

===========================

segunda-feira, 5 de abril de 2021

SOLITUDE.

 


                                                                             



Medo, tristeza, solidão.

Sempre que falo convosco

 é medo, inquietação

que vos vejo no olhar____

____  tudo o que eu posso fazer

[aqui tão longe]

é ter Fé, Esperança e... Rezar!



**********************************************



*****************************




sábado, 3 de abril de 2021

SONHO VS PESADELO.

 

Foto minha


Longa e sinuosa 

é a estrada

que me transporta 

à terra dos meus Sonhos.

Lá, cantam rouxinóis e

brilha intensamente uma Lua branca...

mas, pelo meio, há uma longa noite de espera.


Talvez seja esta noite, 

logo à noite,

 que te encontre. 

Juntos,

percorreremos essa longa, longa estrada.

Por terra ou mar, 

tanto me faz.


Queres?




V O T O S    D E 

P Á S C O A    F E L I Z.


* * * *   -------   * * * * 

sexta-feira, 2 de abril de 2021

PÁSCOA.

 ==============================

Houve em tempos um Homem

De seu nome Jesus Cristo

Que neste mundo habitou,

Foi pequenino e cresceu

Já com a cruz do destino

A pesar-lhe como um fardo

Que carregou sem um queixume

Segundo já estava previsto.


Dizem que por nós morreu

Penso que Ele não escolheu

Morrer crucificado.

Nem por nós nem p'la 

Crença que defendia.

Foi o medo, a cobardia

A triste escolha do povo

Que salvou um criminoso

(O malvado Barrabás)

Condenando um inocente

Cujo crime foi somente

Pregar a sua verdade__

__A verdade que sabia.


 Se Ele morreu por nós___

___Fomos nós que o matámos!

* * * 

Mas enquanto no Mundo houver Gente,

Haverá sempre Esperança na

Ressurreição!





P Á S C O A    F E L I Z


Esta fotografia é da Páscoa 2020.
O Noah actualmente está assim:

                                    


                                   

==========================


quinta-feira, 1 de abril de 2021

VAMOS CONTAR MENTIRAS?

 Mentir por diversão - 

O desejo de Jacob Hall de ser um super-herói inspirou uma história que lhe valeu a conquista do Prémio de Melhor Mentiroso do estado da Virgínia Ocidental. “As minhas histórias seriam muito aborrecidas sem logros”, - diz este homem que tenciona inventar mentiras - “durante o resto da minha vida, se alguém conseguir acreditar nisso”.



Mentir para fins de auto-engrandecimento - 

Mark Landis, que afirma ter sido um fracasso como artista comercial, passou quase três décadas a imitar obras de pintores famosos, incluindo esta, inspirada no estilo de William Matthew Prior. Fazendo-se passar por filantropo ou padre jesuíta, doou-as a museus de arte e divertiu-se ao vê-las tratadas com respeito cerimonioso. “Eu nunca sentira isto antes e quis continuar a senti-lo”, afirma. “Não sinto remorsos por ter praticado este acto. Quando fui descoberto e tive de parar, fiquei muito triste.”


Mentir para obter ganhos pessoais - 

Frank Abagnale, Jr. é hoje um respeitado consultor de segurança, mas as mentiras descaradas que inventou quando era novo inspiraram o filme “Apanha-me se Puderes”, de 2002. Leonardo DiCaprio interpretou Abagnale, que fugiu de casa aos 16 anos e aprendeu a sobreviver utilizando a sua astúcia, tornando-se falsificador de cheques, charlatão e impostor. “Tinha de ser criativo para sobreviver”, diz. “Estou e vou continuar arrependido para o resto da minha vida.” Frank fez-se passar por piloto, pediatra e advogado com uma licenciatura em direito obtida em Harvard.
[Quem não se lembra deste filme? Eu, vi-o imensas vezes, tenho o DVD]

Mentir para contar histórias - 

Alguns dos vídeos e fotografias mais virais da Internet foram encenados por um artista conhecido como Zardulu, que raramente revela as suas invenções. “Como todos os mitos, os meus são criados para gerar uma ideia de encantamento pelo mundo, para contrabalançar a percepção de domínio e compreensão que temos dele”, diz. Zardulu aparece com uma cabeça de carneiro, simbolizando uma viagem à mente inconsciente, enquanto o hierofante, intérprete de mistérios, representa a sombra pessoal.


****
E, finalmente, cheguei onde queria chegar:

Qual foi a vossa maior, e melhor, mentira em que toda a gente acreditou?
Hummm... não digam que nunca brincaram neste Dia das Mentiras?!

---------------------------------