sexta-feira, 22 de outubro de 2021

AS LINHAS E OS LUGARES DAS FLORES....

 ....QUE DEUS FAZ.



Pede-se a uma criança. 
Desenha uma flor! Dá-se-lhe papel e lápis.
A criança vai sentar-se no outro canto da sala onde não há mais ninguém.
Passado algum tempo o papel está cheio de linhas. 
Umas numa direcção, outras noutras; umas mais carregadas, outras mais leves; umas mais fáceis, outras mais custosas. A criança quis tanta força em certas linhas que o papel quase que não resistiu.
Outras eram tão delicadas que apenas o peso do lápis já era demais.
:Depois a criança vem mostrar essas linhas às pessoas: Uma flor!
As pessoas não acham parecidas estas linhas com as de uma flor!
Contudo, a palavra flor andou por dentro da criança, da cabeça para o coração e do coração para a cabeça, à procura das linhas com que se faz uma flor, e a criança pôs no papel algumas dessas linhas, ou todas. 
Talvez as tivesse posto fora dos seus lugares, mas, são aquelas as linhas com que Deus faz uma flor!

A Flor - Texto/Poema de José de Almada Negreiros.


🌺  🌺  🌺  🌺 


O que Almada Negreiros não sabia era que, quando o Deus da Natureza quer, até sob um oleado pousado no chão,  onde havia dois pequenos furos, pode nascer um  belo bouquet de flores campestres, qual centro de mesa em tons de rosa e branco. Ora vejam...Por vezes não nos basta ver, temos de ir olhar de perto, com os olhos da alma e o pulsar do coração. Voltei a colocar o ramo de flores como o vi de longe e regressei a casa de alma lavada. Havia chovido nessa manhã e, no oleado, ficaram as flores e umas pequenas poças de água, aqui e ali...Dentro de mim, brilhava um  sol radioso...



 🌷   🌷   🌷


quinta-feira, 21 de outubro de 2021

"Mater Mea est Burra Mala" (?)

 

Pois é! Há dias para celebrar tudo. Hoje calhou a vez à saudável Maçã. Mal tomei conhecimento disso, já aqui sentada frente ao meu fiel amigo PC, fui a correr à cozinha ver o que por lá tinha deste fruto, de modo a poder celebrar condignamente este dia que lhe é dedicado. Oh, azar dos azares...só havia três maçãzitas (meio ranhosas) e estas duas que vão salvar a honra deste espaço. Ei-las:

As etiquetas estão bem visíveis para comprovar que são das nossas:
 Alcobaça, pois então!

Mas como tudo isto que me pertence é muito pouco para tão grande benfeitora da nossa saúde, trago-vos a palavra sábia  de alguém de nível poético superior.

------------

MAÇÃ

Mater mea est burra mala
Não é nem injúria nem louvor
Aquela que no berço nos embala
Conselhos nos dá como um favor

Em língua que hoje se não fala
De que o português é filho júnior
O que é para nós soberba gala
E se espalhou por mundos em redor

Aquele que vida longa queira ter
E que faça para a merecer
Vida longa mas também vida sã

Siga o primeiro verso em latim
Que se pode traduzir mesmo assim
Coma pela manhã uma maçã.


Poesia de  Manuel Leal Freire


🍎 🍎 🍎

E, agora, estimado leitor, faça-me um favor,  vá já ver e ler  AQUI a poesia do bismulense de pena firme e de memória prodigiosa, autor deste belo Soneto. Obrigada.


🍎  🍎  🍎  🍎

 🍎 🍎



quarta-feira, 20 de outubro de 2021

UMA PROPOSTA (nada) INDECENTE.

  

Amor, vamos dar corda ao relógio

do mundo?

Imagem da Net

 

Quando duas pessoas fazem amor

Não estão apenas fazendo amor

Estão dando corda ao relógio do mundo.

 

[ Assim falou: Mário Quintana ]






💙  💚  💛  💜

segunda-feira, 18 de outubro de 2021

O FOGO DOS DEUSES.

 


O dióspiro não sendo  o meu fruto predilecto, aprecio-o muito. 

É dulcíssimo. Não precisa ser mastigado.

Quase se derrete na boca. 


E é muito curiosa a origem do seu nome.

É uma palavra composta por dois étimos gregos: Dios  que significa Deus, e a palavra pyros, que significa fogo. 


Então, o dióspiro é o fogo de Deus ou o fogo dos deuses. 
Essa referência talvez provenha da própria cor do fruto,
 um laranja avermelhado.
Como aquele sol que se põe numa noite quente de Verão.
 
* * * * * 
A S S I M: 

 Nota 1 :  Este magnífico pôr-do-sol
roubei-o AQUI
Espero que o Remus, o autor da fotografia, não se zangue.

Nota 2:  Desta vez não me apeteceu mostrar-vos 
a desgustação deste manjar dos deuses,
como aconteceu com o maracujá.
Peço que me desculpem, uma vez 
que vos havia dito que o faria,
porém, nem sempre  é possível
cumprirmos.

Em compensação trago-vos a  belíssima foto,
que nos oferece o exemplo de como 
o fogo existe, tanto 
na terra como no céu.




sábado, 16 de outubro de 2021

PROXIMIDADE DA TORMENTA

 



Nunca soube viver somente

por mim e para mim.


Enfrento agora esse dilema...

E não sei o que fazer por mim

nem comigo.



========================================

====================

quinta-feira, 14 de outubro de 2021

A MINHA FRUTA.

 Ontem, olhei para a minha fruteira de balcão* e pensei:

"O que irei comer de sobremesa?"

Um maracujá  de bom aspecto e ar apresentável, 

um maduro,  encorrilhado e todo enrugado, 

uma laranja de casca fina e de aspecto sumarento,

ou uma maçã gala que,

sendo das pequeninas

tem ar de ser rijinha, 

tem a pele lisa, coradinha, e,

tal como tudo o que é vermelhinho e saudável

deve ser bem docinha?

 

*...de balcão, porque tenho outra na mesa.


Vejam só o que aconteceu...



...Escolhi o maracujá com a casca mais lisa e de melhor aparência...


...cortei-o a meio e gostei do seu aspecto fresco e apetitoso.

 

Com a ajuda de uma colherzinha separei a polpa das cascas. Provei um bocadinho e achei o sabor ligeiramente ácido. Então, decidi fazer a experiência de comparar a polpa do maracujá enrugado que à partida rejeitei. 


O seu aspecto interior era semelhante ao exterior, ou seja, pouco ou nada apetecível. Repeti o procedimento anterior, retirando toda a polpa  sem a misturar com a outra....



....que, no meio desta delicada operação, fui saboreando entre uma careta e outra.  Quando meti à boca a primeira colher da polpa do segundo fruto, seco e enrugado...hummmm, que sabor, que doçura. Uma delícia!




 Lentamente, pouco a pouco, deixei-me inundar por uma sensação de tão grande prazer que, creio bem, quem estendesse do assunto diria tratar-se da tal  sensualidade atribuída à boa fruta. 

Só depois de digerir as emoções e degustar os sabores, até ao fim,  me apercebi que o meu velho tabuleiro de plástico merecia estar enfeitado com um paninho bordado. 

Moral desta história: nunca menospreze a fruta de aparência enrugada. Ela pode proporcionar-lhe a deliciosa surpresa de  prazeres nunca antes sentidos.  


😍😍😍😍😍😍😍


 


quarta-feira, 13 de outubro de 2021

DOIS ANOS DE TERNURA, ENLEVO E FELICIDADE.

 É verdade, o tempo passa rápido. 

Talvez rápido demais.

 O meu Noah faz hoje dois aninhos.



Esta fotografia já tem uns dias.

O pai mandou-a para nos mostrar o seu novo corte de cabelo.

Provavelmente ainda virão mais, pois agendei esta

 publicação ontem.

A vida prega-nos partidas pelo que não sei se haverá 

festinha e comemoração a exemplo do que aconteceu 

no ano passado.

Ao meu Noah não falta amor, carinho e toda 

a atenção dos papás  e de toda a família.

Quis partilhar convosco esta alegria pois sei que também vós

lhe quereis bem.


P A R A B É N S  

M E U   Q U E R I D O  N E T I N H O

M U I T O S ,   M U I T O S   B E I J I N H O S 

D A    A V Ó 

Q U E   T E   A M A   M U  I T O.

O Noah a festejar na escola,

 com a professora

 e os amiguinhos.



❤ ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ ❤ 

🌞  🌼  🌞  🌼


terça-feira, 12 de outubro de 2021

OS NOVOS TIRANOSSAUROS.

 


Onde estão os meus verdes?

Os meus azuis?

O arranha-céu comeu!

E ainda falam nos mastodontes, nos brontossauros,

nos tiranossauros,

Que mais sei eu...

Os verdadeiros monstros, os papões, são eles, os arranha-céus!

Daqui

Do fundo

Das suas goelas

Só vemos o céu, estreitamente, através de suas empinadas

gargantas ressecas.

Para que lhes serviu beberem tanta luz?!

Defronte

À janela onde trabalho

Há uma grande árvore...

Mas já estão gestando um monstro de permeio!

Sim, uma grande árvore...Enquanto há verde,

Pastai, pastai, os olhos meus...

Uma grande árvore muito verde...Ah,

Todos os meus olhares são de adeus

Como um último olhar de um condenado!


Poema de Circunstância - Autor: Mário Quintana.

***______***



Eu ainda vou tendo a sorte 
de poder desfrutar dos meus verdes...

...e dos meus azuis!!!
--------------------
🔼
--------------------------------
E convosco, como são as cores 
que observam das vossas janelas?
Espero e desejo que ainda sejam belas!
---------------------------------------------------------------

🌴🌴🌴🌴🌴🌴🌴🌴🌴🌴

domingo, 10 de outubro de 2021

O DEDAL.

 



Foto e dedal meus.

Rústica

Da casinha, em que vive, o reboco alvacento

Reflete o ribeirão na água clara e sonora.

Este é o ninho feliz e obscuro em que mora;

Além, o seu quintal; este, o seu aposento.


Vem do campo, a correr; e húmida do relento,

Toda ela, fresca do ar, tanto  aroma evapora

Que parece trazer consigo, lá de fora,

Na desordem da roupa e do cabelo, o vento...


E senta-se. Compõe as roupas. Olha em torno

Com seus olhos azuis onde a inocência bóia;

Nessa meia penumbra e nesse ambiente morno.


Pegando da costura à luz da clarabóia,

Põe na ponta do dedo em feitio de adorno,

O seu lindo dedal com pretensão de jóia.


Soneto de Francisca Julia César da Silva Münster ( 31 de Agosto de 1871 – São Paulo - 01 de Novembro de 1920 ) foi uma poetisa brasileira, professora primária, pianista e crítica literária 

Francisca Júlia




sábado, 9 de outubro de 2021

PARABÉNS, FILHA.

 [ À minha filha, neste seu dia de aniversário.]

O Teu Sorriso




Filha, quando em pequenina sorrias, iluminavas-me a vida

          De cores de um sublime esplendor.

A minha alegria eras tu, naquela vida sofrida 

qual ave de asa ferida.

          Eras tu o meu perfume como o de uma singela flor.


A vida não era fácil nem dourada de alegria, 

no meio de  tanta saudade,

          da minha mocidade perdida em ilusão e quimera

Mas quando  tua boquinha sorria encantava minha alma

          Em esperanças de Primavera.



Foste crescendo em sorrisos que sempre fiz por manter

          Em ti depositei o meu olhar

Fiz tudo para te ver sorrir, saudável e feliz, enquanto te via crescer.

          Sempre com o sonho de bem alto te ver voar.


Sou hoje o Sol que agoniza, e tu, o que quiseste ser

          Uma coisa me contenta, 

Escolheste o teu próprio caminho e sei que nele te elevas.


Ainda hoje, quando sorris, inundas o meu mundo de luz,

          E afastas de mim as trevas!





💙💙💙 🌺 🌺  💙💙💙 🌼🌼💙💙💙🌷 🌷💙💙💙

quarta-feira, 6 de outubro de 2021

"À Flor da Pele"

 


Comprei este livro em Outubro de 2002, como poderão ver na foto que se segue, mas não o comprei para enfeitar a estante. Li-o sofregamente como de resto fazia sempre que comprava ou me ofereciam livros. Foram tempos em que os blogues ainda não faziam parte da minha vida...absorvendo-me as ideias e o tempo. Mas, como quem corre por gosto nunca se cansa, cá vou continuando e, embora não tenha deixado a leitura de parte, leio muito menos. Em contrapartida, tenho aprendido a partilhar as coisas que me encantam e a não me envergonhar de exteriorizar os meus sentimentos, além de ir  espalhando beijos e abraços,  ah - os abraços - como diria um bloguer do meu blogobairro. 😊 Coisa antes para mim impensável, tratando-se de pessoas que nunca vi na vida,(algumasnem sequer por fotografia, imagine-se!... 



Vou dar-vos um cheirinho do enredo. Coisa pouca, mas suficiente para suscitar o interesse dos leitores que apreciem  este género literário, pleno de mistério e suspense.

*   *   *

Zoe, é uma jovem professora atraente, recém-chegada à grande cidade.  

Jennifer, é uma ex-manequim actualmente transformada em mãe e esposa modelo. 

Nadia, é uma mulher irrepreensível e livre, animadora de grupos de crianças.

Vivendo em lugares diferentes de Londres, debatendo-se com os seus problemas e acalentando sonhos próprios, estas três mulheres têm apenas uma coisa em comum: um potencial assassino que as persegue, sádica e doentiamente.

À medida que o calor do Verão se vai começando a sentir, estas mulheres começam a receber cartas revelando que estão a ser observadas, estudadas, amadas...até à morte.

Todas elas, a princípio, dirão que as cartas são ridículas, depois incomodativas, depois aterradoras e, finalmente, subjugantes...

-----------------------------------------

Perguntar-se-hão os mais curiosos, porque razão veio este livro à baila e não qualquer um outro? Simples, porque o retirei hoje da prateleira mais alta desta estante e, tenciono voltar à sua leitura. Porque razão hei-de comprar livros se tenho em casa alguns de que já não me lembro bem de todos os pormenores da história? É que dezanove anos, não são dezanove dias...

Há um outro pormenor curioso acerca do nome dos autores, que só esclareço caso haja algum leitor/a interessado e eventualmente o não saiba.


FIQUEM   BEM   E   SEJAM   FELIZES...!! 


❤ ❤ ❤



terça-feira, 5 de outubro de 2021

A SORRIR TAMBÉM SE APRENDE ....

...especialmente  se a Mestra for a sensata Mafalda.







Como a minha apetência para rimar,  versejar, tão pouco para prosear é completamente nula,  deixo-vos com as imagens e os ensinamentos da sábia menina que o cartoonista Kino, criou há mais de meio século. Para nosso proveitoso deleite, a Dona Mafalda mantém o mesmo aspecto exterior de menina, conservou intacto o seu espírito rebelde e irreverente, porém, manteve a sensatez que, contrariamente ao que se diz, nem sempre se ganha com a idade. É algo inato que a Mafaldinha soube conservar.


Como prova disso, termino deixando-vos com esta minha gracinha sem graça nenhuma.

FIQUEM BEM E FAÇAM POR SER  FELIZES!!

segunda-feira, 4 de outubro de 2021

DE ONDE VEM O FOGO E A LUZ?

 


Há uma luz, 

uma ténue luz

que não sei dizer se é do Sol

se é fogo, se é luz da Lua ou se é  chama. 

Há uma luz, 

uma ténue luz

Que quer expandir-se, alastrar-se para além 

do espaço em que vive amordaçada. 

Falando muito sem dizer nada.  

Há uma luz, 

uma ténue luz. 

Que tanto vê sem nada ver

não distinguindo já

a verdade da ficção, os factos da ilusão.

E todas as palavras insanas

todas as coisas que não sabe

e nunca irá saber.

São palavras que o vento leva

 porque são leves, sem lógica,

sem cabimento nem razão, 

palavras silenciadas

porque depois de proferidas, 

já se não podem recolher.


🍀 🍀 🍀 


Nota da administração: 

Naturalmente as palavras são da autora do blog, mas a enigmática  fotografia é da autoria de Luís Rodrigues. Um amigo nestas lides blogosféricas.




sábado, 2 de outubro de 2021

SÓ VIVENDO SE APRENDE A VIVER.

 

Fonte  da foto.

"Naquela tarde, em véspera de jogo, Jujú Chuteirinho convocou-me. O seu semblante era sério, solene. Manuseava um varapau como se fosse uma lapiseira gigante.

   - Estás a ver a pequena área?, perguntou fazendo uns rabiscos na areia.

  Os rabiscos complicaram-se ilustrando, enquanto falava, a minha evolução caótica pelo relvado. depois, voltou a reforçar o traço num pequeno quadrado:

   - Faz de conta que a pequena área é uma miúda . Sim, uma miúda, uma gaja. É preciso descascá-la, acariciá-la, beijá-la. Mas, depois... depois...

  - Sim, depois?, inquiri eu, meio adormecido pelo riscar da madeira na areia.

  - Depois..., depois pergunto eu: Depois, no momento decisivo, é preciso o quê?

Era óbvia a alusão do Mestre Jujú, o melhor treinador de todos os tempos. Para mim, porém, a metáfora tinha-me escapado. O amor não tem «depois». O amor é o tempo inteiro consumindo-se no instante.

Uma vez mais a poesia me tinha fintado. Pode haver um Mister para as artes da bola. Mas o único treinador para as lides da Vida, somos nós mesmos."


Curto excerto do conto "Fintado  Por Um Verso" um dos que fazem parte deste livro.


Mia Couto nasceu na Beira, Moçambique, em 1955. Foi jornalista e professor. Actualmente, é biólogo e escritor.

Em 2011 venceu o Prémio Eduardo Lourenço, que se destina a premiar o forte contributo de Mia Couto para o desenvolvimento da Língua Portuguesa.

Em 2013 foi galardoado com o Pémio Camões e em 2014 com o Prémio norte-americano Neustadt.

================================================

=======================

quinta-feira, 30 de setembro de 2021

BEIJOS.

 

Le Baiser - Henri de Toulouse-Lautrec 



Um Beijo


Foste o beijo melhor da minha vida,

Ou talvez o pior...Glória e tormento,

Contigo à luz subi do firmamento,

Contigo fui pela infernal descida.


Morreste, e o meu desejo não te olvida:

Queimas-me o sangue, enches-me o pensamento,

E do teu gosto amargo me alimento,

E rolo-te na boca malferida.


Beijo extremo, meu prémio e meu castigo,

Batismo e extrema-unção, naquele instante

por que, feliz, eu não morri contigo?


Sinto-me o ardor, e o crepitar te escuto,

Beijo divino e anseio delirante,

na perpétua saudade de um minuto...


 Soneto de Olavo Bilac.

[ Este Olavo Bilac não é o nosso Santo & Pecador. Foi um poeta/jornalista e cronista brasileiro, que viveu de 16 de Dezembro de 1865 a 28 de Dezembro de 1918. Faleceu, portanto, com apenas 53 anos.]


                                                               ***___***


                                                                         



=======================================


terça-feira, 28 de setembro de 2021

MAGOS & MAGIAS.

 ☀️  ☀️  ☀️  ☀️  ☀️  ☀️  ☀️  ☀️


Levar demasiado a sério a magia.

É minimizar o acto criativo do ilusionista.

Surpreendo-me com a invenção

Com o arrojo de quem a coloca em prática

Pasmo com a capacidade 

de quem me faz acreditar 

nas coisas que sei não serem verdade.

Isso é  a verdadeira Magia.




Perceberam agora o meu ponto de vista?

Fiquem bem e sejam felizes

desfrutando da ilusão

de que a felicidade

existe.

Que ninguém ouse desviar-nos dessa crença.


😔  😊

*******************************************

🌺   🌷   🍀  🍂  💐