segunda-feira, 15 de outubro de 2018

É HORA DE SAMBA.

"Quem não gosta de samba bom sujeito não é/ É ruim da cabeça ou doente do pé / Eu nasci com o samba no samba me criei / E do danado do samba nunca me separei."

 Dorival Caymmi, em "Samba da minha terra".


A TELA FUI BUSCAR  AQUI



**


Quando eu te pegar você vai ver, você vai ver
Ai de ti, ai de ti
Vai se amarrar só vai querer saber de mim
Você vai se dar bem e eu também

Comigo é na base do beijo
Comigo é na base do amor
Comigo não tem disse me disse
Não tem chove não molha desse jeito que sou

Quando amo é pra valer
Quando amo é pra valer
Dou carinho, me entrego
Faço o amor acontecer

Vamos namorar, beijar na boca
Vamos namorar, beijar na boca
Vamos namorar, beijar na boca

Vamos namorar, beijar na boca

(...)


E a coisa segue por aí adiante...
 sempre no mesmo chove e não molha.

...não tem nada que saber!!



A foto é minha
(vá lá)

======================================================

domingo, 14 de outubro de 2018

"SEXUS INFIRMUS."

IMAGEM  DAQUI



Ando numa de encontrar plataformas de entendimento entre mim e todas as opiniões divergentes das minhas. Juro que me tenho esforçado. Tanto que, hoje, numa de me abster da realidade – minha e até da virtual – cheia de boa vontade em reiniciar um bom entendimento daquilo que pode passar pela cabeça de outras cabeças bem-pensantes, que não a minha, me embrenhei na leitura de um livro que havia abandonado sem chegar a ver a palavra “Fim”.

De tal maneira me introduzi por ele adentro que fui parar ao ‘Epílogo’.  E sabem de uma coisa? Estas últimas seis páginas e mais um quarto de outra, (de onde as duas palavras do título fazem parte) valeram por todo o chorrilho de histórias de alcova que me forcei a ler, para entender.

Se entendi? Entendi sim! Entendi que a minha opinião, valendo o que vale, é, e será sempre, aquela que me guiará os passos. Não por soberbia e  arrogância de pensar ser a certa, mas por ser maturada com a profundidade do meu próprio tempo e da minha essência.

Parafraseando o autor do livro, no parágrafo final: 

“Sapatos de ferro gastaria eu de bom grado nestes caminhos. A graça e o fascínio….torná-los-ia jeitosos e andadeiros”.



***************************************************

sábado, 13 de outubro de 2018

Com Muitos Beijos e Abraços....


...DESEJO A TODOS UM FIM-DE-SEMANA  FELIZ!!






:)





=======================

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Porque Hoje É Sexta-Feira. # 26











RIA  COM  ELA  E  COMO  ELA…

…HOJE  É  SEXTA -FEIRA !!


:)


--------------------------------------------------------------------------------------

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

MINHAS COISAS...

...COISAS MINHAS!






Sou Terra, Fogo, Água e Ar

Sou como sou e mais não quero ser

Proximidade, lonjura, serei tudo menos mal-querer

Tenho o meu orgulho sem orgulhosa ser

E, sabem que mais?...

Ainda que mais ninguém goste

Gosto de mim e assim seguirei até ao fim…



olhos inchados, riso sem pranto nem encanto.
Eu,  meus amigos...sou mais eu!!


****************************************

:)

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

QUE IMPORTA A MINHA IDADE?




Que cuántos años tengo?
Qué importa eso
Tengo la edad que quiero y siento
La edad en que puedo gritar sin miedo lo que pienso.
Hacer lo que deseo, sin miedo al fracaso o lo desconocido…
Pues tengo la experiencia de los años vividos
y la fuerza de la convicción de mis deseos.
Qué importa cuántos años tengo! ¡No quiero pensar en ello
Pues unos dicen que ya soy viejo
otros “que estoy en el apogeo”.
Pero no es la edad que tengo, ni lo que la gente dice,
sino lo que mi corazón siente y mi cerebro dicte.
Tengo los años necesarios para gritar lo que pienso,
para hacer lo que quiero, para reconocer yerros viejos,
rectificar caminos y atesorar éxitos.
Ahora no tienen por qué decir:
“Estás muy joven, no lo lograrás!…
Estás muy viejo, ya no podrás!”
Tengo la edad en que las cosas se miran con más calma,
pero con el interés de seguir creciendo.
Tengo los años en que los sueños,
se empiezan a acariciar con los dedos,
las ilusiones se convierten en esperanza.
Tengo los años en que el amor,
a veces es una loca llamarada,
ansiosa de consumirse en el fuego de una pasión deseada.
y otras… es un remanso de paz, como el atardecer en la playa..
Qué cuántos años tengo?
No necesito marcarlos con un número,
pues mis anhelos alcanzados,
mis triunfos obtenidos,
las lágrimas que por el camino derramé al ver mis ilusiones truncadas…
Valen mucho más que eso!
Qué importa si cumplo cincuenta, sesenta o más!
Pues lo que importa: es la edad que siento!
Tengo los años que necesito para vivir libre y sin miedos.
Para seguir sin temor por el sendero,
pues llevo conmigo la experiencia adquirida
y la fuerza de mis anhelos
Qué cuántos años tengo?
Eso!… A quién le importa?
Tengo los años necesarios para perder ya el miedo
y hacer lo que quiero y siento!!
Qué importa cuántos años tengo.
o cuántos espero, si con los años que tengo,
aprendí a querer lo necesario y a tomar, sólo lo bueno!




-------------------------------------------------------

Eu, que nunca consegui ler um livro Dele, de princípio ao fim, mas que adoro a sua poesia, vinte anos depois do Nobel, homenageio José Saramago,
 com humildade e gratidão!
*
Obrigada, Poeta/Escritor
 por este poema tão belo e que, hoje, tanto me diz!
**
Por favor, não fiquem apenas pela leitura do poema.
Oiçam-no, na bela voz de Miguel Angel Andrín e sintam cada palavra.


===================================================

sábado, 6 de outubro de 2018

Book Club.





Nunca uma tarde passada num Centro Comercial me soube tão bem como hoje. Há largos meses que não ia ao cinema. Fui hoje. Eu e a minha filha. Só nós as duas. Coisa que também não acontecia há longos, logos anos. Cinema em casa vejo frequentemente, na televisão. Bons filmes que vejo, ou revejo, com prazer, como boa apreciadora da sétima arte que sempre fui.

Desde que, há cerca de duas semanas, ouvi o jornalista Mário Augusto, fazer a apologia do filme "Book Club" - cujo título em português, "Do jeito que Elas querem" é puro chamariz que nada tem a ver com a essência do filme - que fiquei com imensa vontade de ir sentar-me numa sala, no escurinho do cinema, mas sem pipocas nem drops de anis. O meu interesse baseava-se no magnífico leque de actrizes, pois não me recordo de as ver alguma vez contracenar todas juntas num filme.



São elas; Jane Fonda, Candice Bergen, Diane Keaton e Mary Steenburgen, sendo esta última uma quase ilustre desconhecida para mim.

Uma comédia que me deixou de sorriso rasgado no rosto. Não li o livro nem vi o filme que deu azo a esta comédia. As "Cinquenta Sombras de Grey", mas posso garantir-vos que todas as mulheres 'maduras' deviam ir ver este Club do Livro. Adorei! Um filme sublime que 'nos' diz, e a mim muito especialmente, que não há idade para recomeçar a viver. Muitas foram as vezes, durante o filme, em que me pareceu ouvir uma voz segredar-me: "Por favor, volte a sentir-se jovem". Ainda estou a sorrir só de pensar nisso.

Deixo-vos com um dos vários trailers, legendado em português, e mais não vos digo para que não percam o desejo de ir ver este maravilhoso filme.



                               




=================================================