terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Já Fui Feliz Aqui [ XLI ]




De braços abertos
Abraçando o rio
Olhando os teus passos
De longe sorrio

Recordo esta tarde,
Já tarde no tempo
Relembro e te lembro
E sinto um vazio

Apesar de longe
A paz é maior
Sabendo que a vida
Para ti é melhor

E nesta saudade
De te abraçar
Lanço-me no espaço

  Querendo voar, voar, voar…





Para o meu filho, com Amor.

 (Agosto de 2016)


****~~~~****

32 comentários:

  1. Nunca lá fui, mas passei perto. Lindos versos. Adorei

    Hoje; Do Gil que se econtra ainda um pouco combalido, motivo por qual sou eu a visitar...»» Amor:- Essa dor Oculta

    Bjos
    Votos de uma boa Terça-Feira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Larissa.

      É local, quanto a mim, que se visita uma vez e fica visto.

      Bom resto de semana e as melhoras do seu amigo Gil.

      Um abraço.

      Eliminar
  2. Eles crescem, ganham asas, e por contingências várias, partem.
    Nós sabemos que eles estão a cumprir o seu destino. Dizemos a nós próprias que lá longe têm melhores condições de vida, são mais felizes e que o que queremos é a sua felicidade. Repeti-mo-lo vezes sem conta, mas não há razão que aqueça o nosso coração, e o liberte da saudade.
    Gostei das fotos.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grande verdade essa, Elvira. Não há razão que liberte o nosso coração da saudade.

      Um abraço e obrigada pelas palavras de conforto.

      Eliminar
  3. Lindo...acredito que o filhote vai gostar de ler!

    Beijinho Janita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostaria, sim Adélia; se visse e lesse.
      Não sei se o fará, não vou dizer-lhe nada.
      Não quero entristece-lo.

      Beijinhos

      Eliminar
  4. Boa noite Janita!
    Maravilhoso poema. Já fui em pequena, estive mesmo lá em cima. Adorava lá voltar!! :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também estive mesmo lá em cima, Cidália. Mas não sinto apetência por lá voltar. :)

      Beijinhos

      Eliminar
  5. Lindo Janita, quando as saúdades apertam é uma porra :(
    Beijinho e abracinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há um português que não sofra desse mal chamado saudade, pois não Mena? É uma porra muito nossa! :))

      Beijinhos e abraços.

      PS- Não recebeste o meu comentário no teu post, anterior ao actual? Não o vejo publicado.

      Eliminar
    2. Acho que não ninguém, que por um motivo ou outro nãi saiba o que é a saudade, seja de quem for.
      ( Janita todos os comentários ao meu espaço, são bem vindos.Mas com esta coisa da moderação doa«s comentários,às vezes, sem querer apago, acredita e principalmente, quando estou com o tlm :( aquilo são letras tão pequenas e sabes o PDI né lol mas acredita, fiquei furiosa, capaz de atirar o tlm pela janela, mas já não dá para o ir buscar :( agradeço e peço desculpa. Beijinho

      Eliminar
    3. Não te apoquentes, Mena. Deixa lá.
      Os meus comentários andam meio enguiçados. Perdem-se pelo caminho. :)

      Beijinho

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Obrigada, Catarina.
      Ainda bem que gostaste.:)

      Beijos.

      Eliminar
  7. Belíssimo, Janita.
    O filho vai adorar.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que lhe vou mandar o 'poema' por e-mail, Pedro!
      Há pouco falámos por telefone. Estava bem mais perto, tinha vindo a Madrid a trabalho. Acho que ele vai gostar, sim.:)
      Obrigada.

      Beijinhos

      Eliminar
  8. Uma maravilha! Gostei das fotos e o poema.
    O teu filhote certamente vai adorar!

    Beijinhos Janita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As fotos acho que já tinha publicado na altura, se não estas, outras do mesmo local. Fomos só nós dois e passamos um tarde excelente. Subir os setenta e dois degraus é que não foi moleza, Manu! :)

      Um beijinho.

      Eliminar
  9. Maravilhosa partilha querida amiga ,estive lá em 2015 ,uma vista magnifica ,beijinhos muitas felicidades

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas até chegar lá acima é que são elas, Emanuel.
      Fui, vi e ficou visto!
      Não gosto muito de repetir experiências.

      Um beijo e obrigada.

      Eliminar
  10. Olá Janita,


    O comentário da Elvira sintetiza tudo, mas mãe é mãe ( como diz a minha). Para elas somos sempre os seus meninos!

    Gosto muito da foto e do poema.
    (acreditas que nunca fui lá cima? :) )

    Abraco grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, e o que a tua mãe pensa a respeito dos filhos dela, penso eu no que aos meus respeita. Estou a brincar. Não é tanto assim...:) A distância é o que mais me custa, de resto sei que a vida é mesmo assim e nunca fui uma mãe possessiva.

      Um abraço, Ricardo.

      Eliminar
  11. Respostas
    1. :) E tu és um doce de pessoa, Laura.

      Beijinhos.

      Eliminar
  12. Olá, Janita.
    Um pema cantando a tua saudade do Rio, tendo como centro o Cristo Redentor. Belíssimo poema. Parabéns.
    Beijo.
    Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Pedro Luso.

      O rio é o Tejo e, na verdade, a saudade de que me queixo não é dele e sim do meu filho que me acompanhou nessa visita ao monumento do Cristo Rei e, hoje, vive no estrangeiro.
      Obrigada,
      um beijinho

      Eliminar
  13. Quando a amor é grande a saudade é imensa.
    Um abraço sabe tão bem e faz imensa falta.
    Bonito Janita.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O abraço, que aconchega e reconforta, é muito mais gratificante do que o beijo fugaz, DiDa.

      Um abraço. :)

      Eliminar
  14. Muito bonito, muitos parabéns!
    Abraço

    ResponderEliminar
  15. Lembro-me bem do teu outro post sobre a presença ali com o teu filho ! ... Há momentos, que nos fizeram felizes e que nos ficam para toda a vida !
    Como eu entendo as tuas saudades, Amiga !!!

    Um Beijo (por ele) !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Rui...antes de partir, e naquelas minha férias de Verão, que seriam as últimas em que estivemos juntos, o meu filho fez questão de me mostrar os locais que eu dizia gostar de conhecer. O monumento ao Cristo Rei era um deles. :)
      É a vida...Haja saúde!

      Beijinhos e obrigada, Amigo.:)

      Eliminar