janita

janita
Rosas do meu quintal.

Argos.

Argos.
Vista parcial do Rio Douro e da Ponte D. Luís. A foto está pouco nítida por ter sido tirada do interior do Funicular dos Guindais!

Eden

Eden

quarta-feira, 30 de Janeiro de 2013

ESPELHOS DA ALMA.





Se um dia olhar para o céu e não te ver,
é que sou a onda do mar e não consigo te esquecer.
 Sou feliz do teu lado sem do seu lado estar.

 
 

Pois tu és isolado no meu modo de pensar
quando estou triste e não encontro solução
lembro-me que tu existes e moras no meu coração!
 

Carlos Drummond de Andrade

Quem pensar que este autor apenas escreve poemas românticos, pueris e idílicos, está redondamente enganado. Drumond, gostava  muito de poesia erótica e escrevia-a como ninguém.
Vejam este soneto! Sinceramente, foi a primeira vez que o li e ainda não o consegui definir bem. Defeito meu, certamente!




Beija-me, minha alma, doce espelho e guia.


Beija-me, minha alma, doce espelho e guia,
beija-me, acaba, dá-me este contento,
e cada beijo teu engendre um cento,
sem que cesse jamais esta porfia.
 
Beija-me cem mil vezes cada dia,
pra que, chocando alento com alento,
saiam deste interior contentamento
doce suavidade e harmonia.
 
Ai, boca, venturoso o que te toca!
Ai, lábios, ditoso é o que vos beija!
Acaba, vida, dá-me este contento,
 
Dá-me já tal gosto com tua boca.
Beija-me, vida: tudo em mim lateja.
Aperta, morde, mas com tento.
 
Não clarifica o autor, o que beija a boca, mas devo dizer que retirei este Soneto de um site de sonetos de Drummond, com o título “Jardim de Poesias Eróticas”.
Como curiosidade, vejo haver aqui duas palavras homónimas. Contento e com tento, ou seja, agrado e cuidado.
 
 Pronúncia igual, porém grafia e sentido diferente…J
  E esta, hein?
 
Veja como se pintam lindas margaridas.
 
 
A Arte é a maior e melhor forma de expressar e sublimar um sonho. Qualquer tipo de Arte!
 
Que pena eu não ser uma artista...
 
 
 

22 comentários:


  1. Bom dia Janita.
    Gosto da poesia de Drumond de Andrade, conheço sobretudo a de cariz mais erótico pois já tenho publicado alguns dos seus poemas ao longo do tempo e em vários espaços (como te deves lembrar) :)
    A sua poesia usa muitas metáforas e não é fácil de se entender o seu alcance. Mas também por vezes é tão direta que até choca, tão cravadas na carne são as suas palavras.

    Este poema, que eu julgo ele dedicar à VIDA, pertence ao primeiro caso... tem significados escondidos para cada um o interpretar à sua maneira.

    Quanto à arte de pintar margaridas... fico eu, que não tenho jeito para o pincel, embevecida por ver que na mão de quem sabe... até parece tão fácil!! E logo flores... que a mim são tão gratas.


    Beijinhos floridos
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Afrodite!
      Todos os poemas de Drummond são lindos. Há um, dedicado à Mãe que choro sempre que o leio. Já o publiquei no dia da Mãe, de 2011, creio.
      Os de cariz erótico, também gosto, mas como ele abusa um bocado de "palavrões" fica mais difícil a escolha. Neste, por exemplo, omiti uma palavra, que me pareceu bastante explicita, pelo que não vejo neste soneto nenhuma metáfora, muito embora a interpretação, como de qualquer poema, fique ao critério de quem o lê.

      Beijinhos e boa noite!:)

      Eliminar
  2. E que pena Carlos Drumond de Andrade ser tão pouco divulgado em Portugal...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já foi menos divulgado, João.
      Pela parte que me toca tenho divulgado bastante a sua bela poesia. Também já tenho lido poemas seus noutros blogues que, assim como eu,gostam de poesia.

      Beijinho.

      Eliminar
  3. Gostas do Drumond de Andrade? eu também. Das partes mais eróticas?:)) eu....

    Janita, aquela primeira imagem é de uma mulher asiática, não é? com a boca calada....

    Se fosse ocidental tinha os olhos tapados....é como andamos agora.

    O resto não comento agora para não dizer mais asneiras...:)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gosto, JP! Sim, JP! Tu...também, JP!

      As mulheres ocidentais de olhos tapados? Olha que não!
      Então, esta nova geração tem-nos abertos até atrás!

      E as orientais, mesmos as da Arábia Sáudita, onde o meu filho esteve há pouco tempo, apesar de andarem de óculos escuros na rua, para que ninguém veja em que "direcção" olham, também já estão bem saídinhas da casca, meu amigo.
      Os homens já são mais recatados do que certas mulheres!
      Tenho visto cada uma aqui na blogo...:))
      Pronto...Viva a evolução!!

      Eu é que sou ainda do tempo da maria cachuxa. Fazer o quê?? lol

      Beijinhos, JP!

      Isto está bonito! Estou a cair de sono , mas resolvi dar resposta os meus queridos leitores e não me deito sem o fazer...:)

      Eliminar
  4. Confesso que sou um mau leitor, principalmente de prosa. Gosto mais de poesia, mas também não sou um grande leitor. Nunca li nada de Drumond e não conheço os "seus temas" !
    No soneto publicado, parece-se que a tua pergunta encontra resposta no último verso ! (?) ...
    "Que pena eu não ser uma artista" - Em minha opinião também é "artista" aquele que é "sensível" a uma "obra" ! ...mesmo não sendo capaz de a fazer é capaz de a apreciar plenamente ! :))

    Beijinho ! :))
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rui:

      Sei que gostas de poesia e que és um bom apreciador da boa literatura, mas obviamente que não podes conhecer todas as obras. Nem tu nem ninguém! Só os que nada sabem, se convencem que sabem tudo!

      Sendo eu uma pessoa sensível a tantas obras de arte, que não sei fazer, mas aprecio, considero esse teu último parágrafo como uma forma muito gratificante de me elevar o ego.
      Obrigada, Rui. És um bom amigo!:)

      Beijinho.


      Eliminar
  5. Olá Janita...

    quanto à actualização das mensagens ali na tua "A MINHA LISTA DE BLOGUES." tens que ir editar a ligação! O meu blogue agora tem a ligação

    http://otempoquehadevir.wordpress.com/

    e não a que ainda tens na tua lista

    http://otempoquehadevir.blogspot.com/

    basta alterar o "blogspot" para "wordpress" e pronto... Já actualiza!

    Quanto ao sítio... Eu sei de um... Fica no meio da Amazónia e tem cerca de 100 humanos a viver sem sistema monetário...

    Mas por cá também era possível viver sem sistema monetário com as actuais regras... Mas não me alongo pois o tema não é este! E como vais actualizar a ligação qualquer dia podes ler o que penso sobre as hipóteses de mudança!

    Belos poemas... E o vídeo... até para simples!

    Bjhs
    voz a 0 db

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, VOZ.
      Não sei o que se passa com o teu blog! Já por duas vezes que o actualizo e ele volta ao post de há dois meses atrás e ao ao blogspot. Estranho!
      Agora voltei a actualizá-lo e ficou no post 699. Vamos cer se desta, fica permanente ou se lhe dá na telha voltar a mudar.:)

      É isso! Este vídeo até para quem não percebe nada de pintura, fica com a noção de quão simples pode ser pintar uma tela de margaridas. Bela observação!

      Beijinhos, VOZ!

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Olá, Eufrázio, seja bem-vindo!

      No fundo todos guardamos ainda em nós um pouco da criança que já fomos. Graças a Deus!!
      Tristes daqueles que deixaram o seu lado inocente perdido pelo caminho.

      Mas voltarmos a ser crianças, no sentido de perdermos a noção da realidade e o tino, isso é pior do que a morte.
      Que Deus nos poupe a esse estado vegetativo.:(

      Um beijo.

      Eliminar
  7. Amiga Janita:
    Reúnes neste teu post duas coisas que eu gosto muito, pintura e poesia.

    Ser sensível à arte, quer seja poesia ou pintura, é também uma forma de ser artista.
    Gosto muito de Drummond que foi seguramente, por muitas décadas, o poeta mais influente da literatura brasileira.

    «Tenho apenas duas mãos e o sentimento do mundo.»


    Beijinho


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Fê.
      Não só gostas com tens um enorme talento para a poesia e para a pintura, também.

      Carlos Drummond, com apenas duas mãos, teve todo o sentimento do mundo para deixar para a posteridade uma belíssima obra:

      "Tenho apenas duas mãos e o sentimento do mundo, mas estou cheio de escravos, minhas lembranças escorrem, o corpo transige na confluência do amor….

      …e não foram encontrados ao amanhecer,
      esse amanhecer mais noite que a noite."

      Beijinhos, amiga.

      Eliminar
  8. Lindo demais Janita, gosto muito de Drummond, não tenho nada dele, mas já li!
    Abençoada arte, adorei ver, gosto muito de pintura, mas eu apenas desenho!

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Flor!

      Desenhar já é um dom e uma bela forma de Arte, Adélia.
      Um dia tens que nos mostrar os teus desenhos, amiga!

      Beijinhos e margaridas!:)

      Eliminar
  9. Como sabes, não sou grande leitor de poesia, mas tens uma especial intuição para escolher poema de que eu gosto.
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Carlos!
      A intuição foi um dom com que a natureza me dotou, modéstia à parte.:-))
      Mas nem sempre nos traz compensações!

      Beijos.

      Eliminar
  10. Carlos Drummond de Andrade é o meu poeta brasileiro de eleição, Janita.
    Eu que, tal como o Carlos, não sou grande leitor de poesia.
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem, Pedro!
      Mesmo para não apreciadores de poesia em geral, Drummond de Andrade tem um tipo de poesia muito versátil, que agrada a (quase) toda a gente.
      Beijinho.

      Eliminar

  11. Não tenho alma de artísta; talvez seja por isso que não tenho grande sensibilidade para entender/gostar de poesia; porém, há algumas que me conseguem fazer pensar e sentir algo indefinido...

    ResponderEliminar