quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

LUA SEM LUAR.


A Fotografia é Minha...e as Palavras, também!!  :)





Leves, os novelos de nuvens
Zelam ciosas a luz da Lua

Antes que o Sol usurpador surja
E empalideça o seu esplendor...











28 comentários:

  1. «O Sol perguntou à Lua
    O Sol perguntou à Lua

    Quando'a, quando havera amanhacer
    Quando'a, quando havera amanhacer

    À vista dos olhos teus
    À vista dos olhos teus
    Que vem, que vem o Sol cá fazer
    Que vem, que vem o Sol cá fazer»

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hummmm...esse sotaque açoriano ainda precisa de muito treino, Rogério!! :)
      Veja AQUI como é a pronuncia, que o Adriano C. de Oliveira não se vai importar...

      Abraço!

      Eliminar
  2. Que esta continue a ser uma época muito feliz.
    Com a Lua a iluminar-nos alma.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta e todas, Pedro. Isso é que era... Mas não é!!

      Beijinhos

      Eliminar
  3. :) Cá está uma lua que eu ainda consigo distinguir num formato muito próximo do círculo... à verdadeira, vejo-a sempre multiplicada por três ou quatro, sem forma; apenas uma mancha branca e distorcida sob um fundo negro... malvadas cataratas ;)

    Lindas, a fotografia e as palavras, Janita.

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se a Maria João consegue ver esta lua, pequenina, então as cataratas não são malvadas de todo...:)
      Obrigada, pela benevolência. :)

      Beijinho.

      Eliminar
  4. Adorei! Muito linda a foto e palavras! beijos, chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As palavras não digo, mas a fotografia saiu-me bem, Chica! :))
      Beijinho

      Eliminar
  5. A imagem é muito bonita...Adorei os versos :))

    Hoje:- No labirinto dos meus pensamentos

    Bjos
    Votos de uma óptima Quinta-Feira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com uma 'plateia' tão magnânima, estou como quero, Larissa! :))

      Obrigada, beijinhos.

      Eliminar
  6. Foto e palavras muito bonitas!

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Leo...e o Natal foi bom?
      Espero e desejo que sim.

      Beijinho

      Eliminar
  7. Fotografia e palavras que valem 5 estrelas.
    Beijinho, Janita.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai...que maravilha! O espírito natalício ainda paira no ar!! :))

      Beijinho, António.

      Eliminar
  8. Lindo demais.
    Continuação de festas felizes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grata, Nataline!
      Fico contente que tudo lhe tenha agradado.

      Igualmente, para si e os seus.
      Um abraço.

      Eliminar
  9. A Lua ainda se vai vendo, agora o luar é que é mais difícil. Talvez em Janeiro, lá para o cimo de uma montanha, até porque, dizem, não há luar como o de Janeiro nem amor como o primeiro, no que não creio.
    bji.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, como eu gostaria que tivesse podido ouvir a minha gargalhada, José! Estava mesmo a precisar!! :)
      Lá para Janeiro, então, vamos ao cume da montanha mais próxima para ver o Luar de Janeiro e o tal amor que é melhor do que o primeiro. :))

      Beijinho

      Eliminar
  10. Teve apontaria para a foto, lool
    Acho que tem uma veia poética!

    Continuação de festas felizes...
    ---> Abro a janela ...
    Beijos - boa noite

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E a mais não pratico tiro ao alvo, Cidália! Pontaria é comigo! :))
      Para mim, as festas já deram o que tinham a dar.

      Beijos e noite serena.

      Eliminar
  11. Que o luar não tape a lua e os teus versos sejam a continuação do desejo de um céu claro que te ilumine sempre.

    Deixo-te uma beijoka sem luar😘

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os luares de Agosto são os mais bonitos e luminosos, Manu! :)
      Obrigada, amiga. Bem preciso de ser iluminada por algo que me dê energia.
      Fico com a beijoka sem luar e tu, leva um abraço sem nuvens nem nevoeiro; límpido! :)

      Eliminar
  12. Temos poeta :) a foto está muito bonita, também gosto de fotografar a lua e o por do sol, mas lua sem luar não é lua, adoro as noite de luar.

    r: não sei ser de outra forma Nita.
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, Mena. Não têm poeta nem nunca terão cá para estes lados, quando muito uns arremedos de versos sem magia. Palavras ao sabor do sentir no momento, somente.

      E estás muito bem como és, amiga. Sincera e transparente!
      Beijinhos.

      Eliminar
  13. Lindo! Gostei muito da imagem e das palavras.

    Beijinho Janita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este céu chamou-me a atenção, Adélia! Nesse fim de dia estava vento e se não me apresso, as nuvens tinham desaparecido para mais longe e a fotografia não me teria saído assim. Fiquei contente. Sou como as crianças, contento-me com pouco! :)

      Beijinho e obrigada.

      Eliminar
  14. Ficou escrito e visto
    que o menos é mais
    profundo,
    Janita, gostei da densidade
    do simples que é o princípio
    da felicidade.

    Antes cheia que nova.
    A nova é uma trinca espinhas que nem para canivetes...
    Mal por mal prefiro a minguante.
    Que venham as nuvens carregadas
    até chorar
    que há-de voltar o crescente.
    E.

    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah...Agostinho, aqui, não me atrevo a ombrear consigo.
      Irei apenas agradecer-lhe a dádiva de o ter como Amigo.
      Bem-haja!

      Beijinho.

      Eliminar