domingo, 1 de janeiro de 2017

A TI...


Sem fogo-de-artifício, sem trombetas sonantes
       Surgiste de mansinho, quase nem por ti dei
Partiu o outro, o antigo, já velhinho…
    Não faço balanços, periclitante me sinto eu… :) 
E o que passou, passou...
Vi-te partir;
   pouco doce, porém, não totalmente amargo
           Sabendo que algo de bom ficou.





      A ti…
          …tão pequenino, só agora nascestes
Quero poder sentir o gosto e a alegria de abraçar-te
             Que te sinta sempre nos meus braços

Como um braçado de frescas flores campestres… 


( Tela de Dima Dmitriev )


26 comentários:

  1. Respostas
    1. Tudo de bom, Poeta.

      Com o meu abraço!

      Eliminar
  2. Gostei do texto !... Do passado que é já passado e não interessa e do futuro que queremos "moldar" esse bebé nos braços !
    Fica sempre algo de bom e lógica e irremediavelmente, algo menos bom !... É natural !... mas é passado !
    ... Mas, o importante não é o Ano ser este ou aquele. Ser bom ou ser mau ! ... Não creio nessa possibilidade. :(
    O importante somos NÓS !
    Cá para mim, não é o 2017 que terá que ser diferente,... melhor !...
    Se queremos algo diferente no próximo ano, temos que ser NÓS o objecto dessa diferença ! ...

    Dentro de 2 ou 3 dias farei um post sobre isso e verás o meu ponto de vista ! :))

    Uma beijoca, Jani ! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cá fico a aguardar esse teu post sobre a diferença que parte de nós, se quisermos que a nossa vida mude para melhor, Rui. :)

      Um enorme abraço e beijocas sempre remoçadas! :))

      Eliminar
  3. Que venha cheio de brilho e de beleza, o ainda pequenino Ano!!

    (Linda imagem, Janita!)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este pequenino, que ainda agora nasceu, será sempre uma incógnita. Graça.
      Muito poderá partir de nós, mas bom seria se tudo fosse como queremos...
      Esperemos que seja o mais colorido e suave possível.

      Beijinhos.

      Eliminar
  4. Que assim seja amiga.

    Um abraço e bom ano.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, a ser assim, que o seja para todos , amiga Elvira.
      Fresco, suave e colorido.:)

      Um abraço, tudo de bom.

      Eliminar
  5. O novo ano ainda é pequenino. Precisa de alguns cuidados, boas intenções e esperança de que tudo irá correr pelo melhor.

    Um beijinho, querida Janita :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tudo o que hoje é pequeno, amanhã será maior e maior; fugirá ao nosso controlo, por muito boas que sejam as nossas intenções nem sempre estará ao nosso alcance fazer com que tudo corra pelo melhor. Instinto de sobrevivência e consequente reacção, poderá parecer má intenção? Eu acho que não!

      Um beijinho e um smile, querida Miss...:)

      Eliminar
  6. Ano após ano, a nossa esperança vai-se mantendo. Mesmo que depois ... não seja bem assim.
    Apesar de tudo, continuemos a acreditar. Não dói, não custa nada.

    Beijinho, Janita.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mal de nós se um dia perdermos a capacidade de manter viva a Esperança e a Ilusão, caro amigo.
      Enquanto há Vida...

      Beijinhos, António.

      Eliminar
  7. Respostas
    1. Obrigada, Manuel Veiga.
      Retribuo-os na mesma medida.

      Beijinhos.

      Eliminar
  8. Com o velho nada mais podemos fazer, vamos então cuidar do pequenino dia após dia.
    Adorei a imagem.

    Bom ano Janita e um beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O velho, novo já foi! Se não foi tão bom quanto gostaríamos terá sido por falta de cuidados nossos, Adélia?
      Eu peço é resistência, força e saúde para enfrentar o que este me trouxer de menos bom.
      A tela é muito bonita, sim. E fresca; quase podemos sentir o perfume das flores.:)

      Um beijinho, Adélia, um excelente Ano para ti e os teus.

      Eliminar
  9. Respostas
    1. Que bom vê-lo de novo nestas andanças, Amigo Pedro. :)

      Feliz Ano, para si e suas princesas.

      Beijinhos.

      Eliminar
  10. Não é bonito o sussurro da Janita? A despedida de um amor, sem rancor, e a entrega plena num abraço à esperança renovada do novo?
    Bj.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)) Um enorme gosto e com um grande sorriso, no rosto, é como fico de cada vez que o Agostinho me dá o prazer de ler as suas bem dispostas palavras. Obrigada.

      Beijinhos

      Eliminar
  11. Que as flores se mantenham frescas para ti neste 2017. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Luísa.
      E tu, que possas sentir o sempre o seu perfume. :)

      Beijinhos.

      Eliminar
  12. E que 2017 venha carregadinho de coisas boas... :)

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para ti também, querida Teté :)
      Obrigada.

      Beijocas.

      Eliminar
  13. Eles, quando acabados de nascer, são tão ternurentos...
    O pior é depois, quando começam a sujar as fraldas e a espernearem e a fazerem birras e a exigirem tudo e mais alguma coisa... alguns chegam mesmo a darem coices!!!

    Para ti, amiga, o melhor de sempre com alegria e essa vontade de seres mais forte a cada dia que passa!
    Beijokas (e sorrisos).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só agora vi que tu, Kok, a Teté e a Luísa tinham aqui estado.
      Já me deito a sorrir com a seriedade deste teu comentário tão oportuno e verdadeiro.:) às vezes, os danados escoceiam ( ou é escocinham?) tanto, que apetece pea-los. :))

      Amigo, para ti, já sabes, desejo o melhor do mundo, agora e sempre.

      Beijokas e um abraço.

      Eliminar