terça-feira, 24 de janeiro de 2017

TECENDO ILUSÕES.

Tela de  Max - Carlier




Novelos, linhas, castelos
  Volteiam entre os meus dedos          
             Tantos sonhos e desvelos
Foram ficando esquecidos   
           Perdidos em pesadelos.


Laços, linhas, rasgos em pedaços
        Loucuras, desafios, segredos
    Sonhos tecidos em medos
        Precipícios, dor, estilhaços


Fios de luz, lágrimas tecendo            
             

                     lagos,fogos e punhais.         


«««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««
«««««««««««««««««««««««««««««
             

32 comentários:

  1. Quem é o autor deste texto? Tu? Então ... parabéns.

    Beijinho, Janita.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quanta gentileza, António.
      Obrigada. :)

      Beijinhos

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Tem dias, Catarina, ou melhor, noites. :)
      Ontem, fiquei na bloguice até às tantas e, de súbito, ao ver esta pintura, foi assim de rompante e ficou agendada para hoje.
      O engraçado é que logo a seguir arrependi-me e vinha para a colocar em rascunho e a net foi-se...Estava escrito que ficaria escrito...:)

      Beijos.:)

      Eliminar
  3. E eis que descreves a vida...

    Beijinho Janita, está um frio do caraças nem o sol consegue aquecer-me :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se é Vida não sei, estimada Noname, mas que são laivos da minha vida, são!
      Bolas, mulher, então isso é um frio que vem de dentro.
      Agasalha-te e avinha-te,( não muito) antes que fiques doente.:))

      Beijinho e abraço apertado, para aquecer.

      Eliminar
  4. Parabéns Janita. É um excelente poema.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agradecida, amiga Elvira.
      Apenas palavras que o coração, por vezes, solta...
      Abraço.

      Eliminar
  5. Que bela tela teceste, Janita. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)) Vindas de uma tecedeira como tu, as tuas palavras são um afago no meu ego, Luísa!

      Beijinho. :)

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Aonde...aonde, Ricardo?!!

      Abraço. :)

      Eliminar
  7. Se, como suponho, a Janita é o autor, parabéns.
    Torna-se imperioso que a temperatura aumente, mesmo que venha a chuva - que bem necessária é - para que se altere a nossa disposição...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, uma chuvinha nocturna fazia imensa falta na terra cultivada. E no meu jardim, coitado! Amenizava a temperatura e aquecia os ânimos...Vê como estamos de acordo?

      Um beijinho, José. Obrigada.

      Eliminar
  8. Porque alinhavas os teus sentidos
    em pano de pesadelos
    se os sonhos são mais bonitos
    e mais vale a pena tê-los?

    Beijokas em forma de sorrisos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, amigo Kok.

      Alinhavei-os num tempo
      De pesadelos muito antigos
      Vou hoje tecendo ilusões
      Motivada por bons amigos.

      Beijokas e sorrisos tecidos em fio d'ouro fino.

      *-*

      Eliminar
  9. Tenho reparado que ultimamente estás muito poética e sinto que gostas de o ser !
    A ideia, o tema, o sentimento, estão bons !
    Só continuo a ser crítico na métrica, que lhe dá (ou tira)
    "musicalidade".
    Por ex., se no 4º verso, substituíres "entre" (duas ílabas) por "em" (uma sílaba), ficariam os 4 versos heptassilábicos e com melhor fluidez ! Experimenta ler de uma maneira e de outra e percebes o que quero dizer.

    Beijinho, Jani ! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É só isso que não te soa bem, Mestre Rui? Muda-se já!!!
      Para tua informação, era 'em' que estava e depois mudei.
      Tenho que me começar deixar guiar pela minha primeira intuição. :)

      Beijinho, obrigada. Os teus conselhos são preciosos. :)

      ( se bem que eu não pretenda ser poetisa e sim deixar apenas o coração falar. )

      Eliminar
  10. Que éramos nós se não tecêssemos ilusões!!! Não serão elas que nos fazem continuar e não estagnar no tempo!

    boa noite

    -___-


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ...no tempo, no espaço e na vontade de viver. Pois não é o sonho o grande impulsionador da Vida?! :)

      Boa noite, Moonchild.

      *-*

      Eliminar
  11. E assim é quando se deixa o coração falar! Lindo.

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :) Obrigada, Adélia. O coração sente tanta coisa que fica por dizer...

      Beijinhos.

      Eliminar
  12. Ilusões....
    Ás vezes são desilusões!
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas antes de vir a desilusão nasceu a ilusão, Papoila. E nada pode ultrapassar o que chegou primeiro... :)

      Beijinhos.

      Eliminar
  13. Quando se ama as palavras
    gostamos de brincar com elas
    e quando decidimos fazê-lo
    sai isto

    tão lindo
    vai repetindo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é verdade, amigo Rogério.
      Acontece é que nem sempre estou virada para a brincadeira!! :))

      Por ter sido seu pedido
      esse brincar será repetido.
      Espero que as palavras
      aceitem brincar comigo.

      Um abraço, Rogério. :)

      Eliminar
  14. Muito lindo, Janita.
    Faz bem à alma.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, amigo Pedro.
      Por vezes, quando a alma me dói, é quando sinto mais necessidade de soltar os lamentos do coração.
      Beijinhos

      Eliminar
  15. E que venham daí mais ilusões, Janita! :)

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vamos nessa, querida Teté!
      Assim a roca possa sempre fiar...:)

      Beijocas e sorrisos.!

      Eliminar
  16. Gosto de te ver ousar, de sentir o teu falar, daquilo que te mina, daquilo que te consome, sem pruridos nem arrepios.
    A essência da vida, Janita, está mesmo ao nosso lado, mas há quem teime em olhar para as etiquetas, desperdiçando o ensejo de cada dia. ;)

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na resposta ao teu comentário posterior, já te disse da minha dificuldade em ousar, quando uso o verbo na primeira pessoa do singular, A.C.
      Expondo a alma a nu, é como se expusesse o corpo, sei lá!...
      Não são pruridos estupidamente púdicos, é antes, uma forma de ser; talvez fruto de uma educação à moda antiga. :)

      Um beijinho, A.C. :)

      Eliminar