terça-feira, 28 de março de 2023

OLHAI, SENHORES!

 ðŸŒº ðŸŒº  ðŸŒ»  🌻 🌺 ðŸŒº

Olhai os lírios do campo, que não trabalham nem tecem, contudo,
 nem Salomão em toda a sua glória se vestiu com tanta magnificência.


Pedido

Ama-me sempre, como à flor do lírio
Bravo e sozinho, a quem a gente quer
Mesmo já seco na recordação.
Ama-me sempre, cheia da certeza  
De que, lírio que sou  da natureza,
Na minha altura eu brotarei do chão.


Poema de Miguel Torga
'in' Antologia Poética.


 ðŸŒº ðŸŒº  ðŸŒ»  🌻 🌺 ðŸŒº

34 comentários:

  1. Torga é o máximo Janita neste lindo pedido.
    Linda escolha amiga, grato pela partilha.
    Quando vi o titulo lembrei da musica: Olhai senhores esta Lisboa dos prazeres...
    Feliz semana com paz e alegria e poesia nos olhos.
    Beijo de paz amiga.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Toninho!
      Gosto muito de Torga e não perco a oportunidade de o trazer ao meu cantinho.
      Quando pensei no título para este post e o agendei, só tinha escrito OLHAI...e todos saberiam que me referia à lição implícita no romance, mas depois optei por legendar a foto do lírio com esse Salmo da Bíblia e então acrescentei "senhores".
      Quando mudo algo, chego empre à conclusão que nunca é para melhor.
      Sabe Toninho? A nossa Diva do Fado deve ter sido mulher de múltiplos prazeres, mas a letra diz que Lisboa é de outras «Eras» e dos cinco réis, das esperas e das touradas reais... 😊
      Brincadeirinha, amigo Toninho!
      Um abraço caro amigo.

      Eliminar
  2. Adoro aquela cor.
    E o Torga também.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também eu, Pedro!
      Essa belíssima cor que fica entre o violeta e o azul é a minha preferida. E claro, o Pedro sabe o quanto gosto de Torga, o homem rude, porém, de carácter forte e leal.
      Beijinhos

      Eliminar
  3. Oiço dizer maravilhas do Torga, mas conheço pouco da obra dele. O que mais recordo dele é por ter sido um proscrito das Letras na Era Salazar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Torga nunca quis envolver-se nas teias de Salazar. Foi um homem que sempre se rebelou contra as injustiças e nunca se conformou nem vergou perante os abusos de poder. A escrita era a sua paixão, apesar de exercer medicina como a sua principal profissão. Nos anos 70 após a revolução, apoiou a candidatura de Ramalho Eanes à presidência da República, mas tudo com muita discrição. A política fazia-a ele com os seus livros... revelando através das suas personagens a miséria e a ignorância que se vivia no tempo do Estado Novo.

      Eliminar
  4. Que mania a tua de publicar coisas maravilhosas. Isso não se faz!
    Beijinhos, Janita.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem sempre, meu Amigo, nem sempre! 😊 Se há coisa de que tenho consciência é das minhas limitações.
      Beijinhos, António.

      Eliminar
  5. Lindo poema de Torga e tu sempre compartilhando coisas boas! beijos, chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grata pela tua simpatia, querida Chica! 😊
      Beijinhos

      Eliminar
  6. Bom dia
    Uma publicação com dois lindos textos com uma referência .
    Lírio, uma bela flor .

    JR

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro JR, como uma cantiga vale mais do que um milhão de palavras, trago-lhe o pessoal da minha santa terrinha que, como sabe, é Serpa - se não sabia ficou a saber - para atestar de como é linda a singela flor do campo, o MEU LÍRIO ROXO DO CAMPO . Cliquem, sff. 😊
      Boa noite e obrigada

      Eliminar
    2. Bom dia amiga.
      Não sendo Alentejano , sou um grande admirador dos costumes alentejanos, nomeadamente do " Cante Alentejano "

      JR

      Eliminar
    3. 👍 🙏 😊

      Eliminar
  7. Minha amiga Janita, este Miguel é raiz de urze, não a que se faz carvão, mas a que nos dá a boa poesia, a boa prosa, o que se confessa "lírio da natureza", para nos entreter neste lirismo mágico. Olhai o lírio dos campos evoca também Érico Veríssimo, gaúcho de boa cepa. Mas é do lírio emoldurado que não afastamos o olhar.
    Vim mais cedo hoje. Há dias que adiamos tudo porque é um belo dia. Um belo dia para você, minha amiga! Sem adiamentos...
    Beijinhos,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu Amigo José Carlos.
      Este transmontano de temperamento tão rude e árido como o solo que o viu nascer, mas de coração nobre e leal, de seu nome Adolfo Correia da Rocha, escolheu o psedónimo literário, Miguel numa homenagem a outro grande homem das Letras, Miguel Unamuno e Torga, numa referência à urze ou torga, que nasce espontânea em terrenos que ele tão bem conhecia.
      É óbvio que sei não lhe dar novidade nenhuma, nem ao José nem a qualquer outro dos meus leitores. Foi assim como um fazer a vontade à minha vontade de proclamar o valor deste dramaturgo, ensaísta, poeta e médico, sabe?😊
      É verdade que Erico Veríssimo quis, através deste belo romance, "Olhai os Lírios do Campo" que tenho aqui a meu lado e até já tinha sublinhado um parágrafo para transcrever, dar-nos uma lição de que a ganância e a vaidade, não nos conduz a bom porto. Que o diga Eugénio...
      Agradeço-lhe sensibilizada o ter adiado outros afazeres para me fazer companhia, mais cedo do que é hábito!
      Isto hoje são só trocadilhos...😊- sem risos mas muitos sorrisos despeço-me por hoje com um grande abraço.
      Beijinhos, amigo JC.

      Eliminar
  8. Como eu gosto de lírios e desta cor!
    Bonito poema de Torga!
    Beijinhos Janita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostamos ambas, querida Manu.
      Porque têm um cor linda, porque são flores singelas e campestres e porque são uma flor que simboliza a beleza sempre eterna da Mãe Natureza, não é?
      Um beijinho grande, Manu!

      Eliminar
  9. Bela flor!

    Boa semana!

    O JOVEM JORNALISTA está no ar com muitos posts e novidades! Não deixe de conferir!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, o lírio é uma bela flor do campo, bem como outras também o são. Mas, ao lírio, vestiu-o a Natureza com um manto belíssimo. Grata pela visita, caro Emerson.
      Dias felizes!

      Eliminar
  10. Mateus dixit, ou melhor, escreveu.
    Lírios e tudo o que seja flores, é comigo. Como deve estar lindo o seu Alentejo! Poesia nem tanto, como sabe, ainda que, como também sabe, tenha "batido" muitos versinhos.
    Já agora, e não sei porquê, Os Lírios do Campo remetem-me para um filme do Sidney Poitier. Estarei confuso ou errado? a Janita, que tudo sabe, talvez possa esclarecer-me.
    O Torga, com o seu mau feitio, caçador e tudo, nunca esqueceu a sua aldeia natal, São Martinho d'Anta e a paisagem agreste que a rodeava. Li pouco da sua autoria. Erro meu.
    Bjis.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se permite, vou esclarecer quem nos estiver a ler que, isso de "bater" versinhos, significa - deduzo eu - ter escrito na máquina de escrever ou, mais tarde, no PC, os poemas manuscritos de uma Poetisa da família. Estou certa?
      Por esta altura, o 'meu' Alentejo ainda não deve ter as suas planícies cobertas de lindas e variadas florzinhas. Desde o vermelho das papoilas até ao branco e amarelo dos malmequeres, a Natureza só as vai pintar lá mais para meados de Abril.
      Agora, vamos lá esclarecer uma coisa importante: eu não sei tudo e, na verdade, não gostaria que assim fosse. Que graça teria a vida se não houvesse mais nada para aprender?
      Tanto assim é que tive de me ir informar AQUI que, efectivamente o actor Sidney Poitier, ( o actor, sim, conhecia) não só protagonizou o papel prinicipal no filme de 1963 "Lírios do Campo", como ganhou o Óscar de melhor actor na Gala no ano seguinte. Agora sim, aprendi algo mais, está a ver? Também não referi S. Mateus quando reproduzi a citaçâo bíblica, porque já não me lembrava o nome do Santo!!

      Quanto a Torga, como 'velho' amigo deste cantinho, já o José está mais do que informado do meu agrado pelo poeta/escritor, apesar de todos os seus 'senão' ...certo?
      Ainda vai muito a tempo de ler mais sobre este escritor e, assim, emendar o erro. 😊
      Beijinhos.

      Eliminar
  11. Uma das muitas maravilhas que a natureza nos oferece é essa linda flor.

    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Diz bem, "natureza de poeta", esta flor é uma das muitas maravilhas que a Natureza oferece. Mas, só a quem estiver de olhar atento, para ver os lírios e restantes flores campestres, digo eu! Quem passar de nariz no ar, não vê nada...

      Um abraço e o meu agradecimento pela sua visita, que retribuirei.

      Eliminar
  12. Quando vi o título pensei logo naquela canção bem antiga:
    " Olhai, senhores
    Essa Lisboa de outras eras,
    Dos soldados, das esperas
    E das touradas reais..."
    Mas saíu Miguel Torga que eu admiro muito mais!

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha...hoje é 'cada tiro cada melro'... 😋
      O Toninho dizia que Lisboa era dos «prazeres» e tu, Leo, dizes que é dos 'soldados'...Então não era dos cinco réis...? 😂
      Também gosto mais de Torga do que das touradas reais e todas as bizarrias lisboetas...
      Beijinho, e não leves a mal estas minhas parvoíces.

      Eliminar
    2. Fiz uma adaptação! :))

      Abraço

      Eliminar
    3. E fizeste muito bem! :))
      Abraço.

      Eliminar
  13. Muito bom!
    Os lírios também fazem parte das minhas flores favoritas!! :)
    .
    Beijo e uma excelente tarde.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lírios, margaridas e petúnias, são as minhas, Cidália.
      Não há rosas nem orquídeas, por mais belas, que me conquistem e atraiam. Mas também gosto, claro. :)
      Beijo e bom resto de semana.

      Eliminar
  14. Regresso.
    Vamos por partes:
    - não é que não goste de poesia, e de alguns poetas, mas prefiro a literatura em prosa.
    - o "bati" é isso mesmo, bati no PC os versinhos que deram origem a 2 livrinhos da minha mulher, recentemente digitalizados pelo meu filho
    - ainda bem que não sabe tudo, e quando não sabe procura saber, como é agora o caso do filme do Sidney Poitier, que creio ter visto, mas de que não tenho memória. Obrigado pelo esclarecimento e pelo vídeo. Tiro-lhe o meu chapéu, que por vezes uso, mais como adorno, mas não só
    - sim, o "seu" Alentejo ainda não está no "ponto", mas falta pouco: e bem que gostava de o ir ver.
    E por aqui me fico que o escrito já vai longo.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então, vamos ver se consigo respobnder-lhe também por partes:
      1 - Há longos anos que sei da sua preferência pela prosa, ainda que goste de poesia. Como não se tem 'uma poetisa em casa'? Foram estas as suas palavras quando nos 'conhecemos' há um ror de anos.
      2 - Esses tais dois livros de poesia já eu tenho...as capas, em fotografia. Ainda aguardo os poemas...
      3 - Claro que, curiosa que sou, corro atrás do que não sei e gostaria de saber. Nada a agradecer.
      4 - Vá lá ver o meu Alentejo e, depois, conte-me como foi. Bem que eu gostaria de ir consigo/convosco, mas a minha falta de energia actual, não me o permite. Iria ser um estorvo. :(
      Beijinhos, com tristeza.

      Eliminar
  15. Excelente escolha poética.
    Também gosto de lírios do campo, porque na cidade quase não os há. E já o Erico Veríssimo nos disse quase há um século para olharmos para eles.
    Continuação de boa semana, minha amiga Janita.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente, amigo Jaime, quem vive nas cidades habituou-se à floresta de betão. As torres de cimento armado não deixam ver a beleza das flores simples do campo, apenas as rosas dos jardins bem cuidados das casas apalaçadas...Pena!

      Um beijo amigo e um bom fim de semana.

      Eliminar